Feliz Dia do Pai

My light

Creative Commons License y_egan via Compfight

     Pai, aprecio em ti o teu empenho e a tua curiosidade, pois sem ambos não serias o melhor arquitecto e o melhor Pai do mundo.

     Obrigada por eu ter herdado a tua sensibilidade e espírito de aventura!

    Adoro quando fazemos caminhadas no parque e gostava de fazer isso todos os dias. Quando crescer, vais fazer a escola de sonho da Beatriz e vai ser a melhor escola do País.

     Obrigada por fazeres de mim uma grande pessoa, por me teres feito nascer, e por eu ter herdado o dom de desenhar bem.

     Feliz Dia do Pai!

Carolina C V

O Momento em que Me Transformo

um assaltante mascarado vem exigir chocolates á oficina de escrita

     O Carnaval, para mim, é um momento em que eu me transformo. Com um disfarce posso ser alguém diferente?

    Eu vou-me mascarar de palhaço assassino, e, ao mesmo tempo, de assaltante; trago uma pistola, quero dizer, uma metralhadora, que faz um  barulho do tipo “Trec-trec-trec”.

    Chego ao Colégio, junto-me ao meu amigo Eduardo, que vem de cowboy e vamos ao Pavilhão e aos corredores do Secundário fazer um assalto!

    Por que é que as crianças gostam de se mascarar? Por que é que os adultos também comem doces e pregam partidas?

Lourenço J, 5A

Princesa no Carnaval

uma coroa de princesa encastoada de jóias, usada no Carnaval

     Imagem: Oficina de Escrita

     O meu carnaval consiste em ir, no Carnaval, mascarada para a escola! Decorar a casa toda e enfeitá-la com máscaras, doces coloridos, serpentinas e confetis!

    Quando eu acordo bem disposta, para começar bem o dia, vou me vestir de Princesa de luxo.

     Falta-me descrever a minha coroa às bolinhas, : cor de rosas, verdes, azuis e amarelas, tão linda que parce real e que me deve pôr como uma senhora borboleta.

    Quem me disse para eu usar aquela máscara para me dar sorte…

Constança R, 5A

Inventamos as Festas…

mário a guiar o seu carro azul no jogo Mário KartAutor: Bago Games Flickr Atribuição: CC      

     Nas minhas grandes férias de Natal, fiz muitas coisas; a primeira foi estar com a minha Família e descobrir que o meu Pai vinha de Angola para Portugal.

     A minha segunda atividade criativa a fazer nas férias era ajudar a minha Mãe a embrulhar as prendas de Natal para os meus primos.

     E a terceira surpresa a realizar foi abrir as minhas prendas de Natal: tudo o que recebi foi fantástico. No momento em que acabei, a minha Mãe pregou-me uma partida, dando-me, num saco de roupa, uma consola!

     Desde aí, tenho-a utilizado de muitas maneiras: uso-a como um écran com dois comandos ao lado, presos à consola, onde jogo “Just Dance“. Posso tirar dois comandos e transformá-los num para jogar “Mário Kart 8“. Tirando os dois comandos e mexendo-os com os movimentos das próprias mãos, gosto de jogar ARMS – os jogadores são todos de boxe e os seus braços são molas!

     No fim do ano, o meu Pai convidou todos os seus amigos e, por causa  disso, não havia crianças, mas, às 2h 20, o meu Tio chegou com o meu primo Martins; até às 3h 10m o meu primo e eu comemos gelado e jogamos na minha consola.

      Inventamos as Festas para termos uma pausa no nosso trabalho, mas não só: também serve para nós, humanos, estarmos felizes por alguma razão que nem precisamos de saber qual é.

Luís P 6C

Peripécias no Natal

Christmas Compose

CBcreativity via Compfight

    Passei todo o dia de Natal com a minha Família. No Natal posso brincar com eles: brincar ao Peka Bod; já lá fui uma vez brincar com flores de neve.

     Um dia até a minha cadela já brincou com elas. Os flocos tocavam no nariz da minha cadela e ela, de cada vez, ia lambendo o nariz, mas cada vez caía mais neve.

    Mas chegou a comida do jantar da véspera do Natal, e, de repente, fechou-se a luz. A minha cadela aproveitou a vez dela para atacar a comida. Quando voltou a luz, ela estava em cima da mesa a comer as sobremesas!

    O Natal é o melhor tesouro que acontece todos os anos na minha vida!

Constança R, 5A

Disfarce de Carnaval

 pintura de máscara feminina

Atribuição – CCO . Pixabay Autor: Ractapopulous

     Eu vim disfarçada de bébé para o Carnaval porque achei que era uma forma simples e divertida de me mascarar.

     Porque gostamos de nos mascarar?   Nós gostamos de nos mascarar para sermos diferentes, por um dia, pois podemos ir disfarçados como queremos e assim mostramos diferentes maneiras de ser.

     No ano passado, vim de unicórnio: a minha Mãe mandou-me fazer um macacão polar, branco, com um chifre de papel brilhante no meio de flores, seguro por uma bandelete.

    Hoje, as minhas amigas vieram, umas, de pijama, outra de unicórnio, outra de vaca branca e preta, e um rapaz vestiu-se de menina.

     Estas férias de Carnaval vou poder ficar na cama até mais tarde, sem me preocupar com as horas; vou ver muitos filmes com a minha família; brinco com o meu gato e coma as minhas amigas, mas também com o cão da minha avó.

     Bom Carnaval a todos!

Margarida R, 5C

Considerações sobre o Basket

Michael Jordan voando no ar para encestar a bolaFlickr CC   Attribution: Creative Commons

     O Basket é um nobre desporto que exige muita concentração e muita velocidade. É por isso que eu o pratico. Só que, para chegar ao cesto, é preciso ter muita altura.

    Por isso me mascarei de jogador deste lindo desporto, no Carnaval. No dia 9 mascarei-me e diverti-me com os meus amigos que também estavam mascaradose muito engraçados!

    A minha equipa ganhou 120 a 20 contra o Maria Pia, em que os jogadore tinham um fato vermelho com pintinhas pretas. Quando ganhamos, cantamos:

“A Lady Bug chegou para vencer/ O seu coração é o seu poder”

    Na netflix, observando os passos dos jogadores, aprende-se imenso. Ando agora a treinar o “ankle-breaker”: é um truque difícil, porque tenho de lançar a bola a dois ou três passos antes do meio-campo. Recomendo a todos o Basketball, este nobre desporto de que quase toda a gente gosta.

    O Michael Jordan era o melhor do mundo; reformou-se por causa da idade, mas tem os fabulosos ténis “Jordan”.

Francisco M N, 6A

“Happy” no Carnaval

Liza - The House Cat

BockoPix via Compfight

     Era uma vez uma menina chamada Mariana, tinha 10 anos e gostava muito de ficar na sua moradia, com duas amigas da sua Escola, durante as férias.

     Nestas férias de Carnaval, como era hábito, foi ter com as suas amigas, Vitória e Beatriz e disse-lhes que tinha tido uma ideia para essa tarde; as amigas ficaram muito curiosas e queriam saber o mais rápido possível; então, a Mariana deu pistas:

     – Meninas, uma das pistas é… – É o quê?  – Exclamaram as duas amigas em sintonia.

     – Tem a ver com o tema das nossas férias. – Explicou a Mariana.

     – Deixa-nos pensar… – pediu a Beatriz. – Já sei, é o Carnaval! – Interrompeu a Vitória.

     – Boa, Vitória! Então, agora já posso contar a minha ideia: cada uma vai para sua casa mascarar-se; depois encontramo-nos em minha casa, e vamos pregar partidas às outras moradias. – Disse a Mariana.

     As suas amigas gostaram da ideia. Então foram às suas casas mascararem-se e foram ter à casa da Mariana. E começaram as partidas que tinham combinado.

     Entretanto, começou a ficar escuro; encontraram um gatinho muito bebé; levaram-no para casa, trataram dele e deram-lhe o nome de Happy, porque, naquele dia, estavam muito contentes.

    Deram-lhe um banho e, depois, quiseram por-lhe uma roupa para não passar frio. Então, foram comprar-lhe uma camisa e umas calcinhas, e ainda mais roupas. Ficaram assim a brincar com o Happy e a experimentar mais roupas.

Madalena C, 8A

(Exercícios criativos: um tempo e um tema: escrever sem parar. Do livro “Quero Ser Escritor”)

Adoro Surpresas!

     balões coloridos e a frase "sou mais capaz de pensar a fundo e por isso também de amar

     Photo by Gaelle Marcel on Unsplash

     Amanhã, dia 8 de Fevereiro, vou fazer 12 anos!

    Só no dia 10 é que faço a Festa no Bounce. Vou convidar as minhas melhores amigas: Alexandra, Sofia, Mariana I, Mariana II, Madalena T, Madalena S, Bia I, Bia II, Rebeca e Diana!

UAU!

     Vamos brincar e divertirmo-nos muito!

     Quando amanhã chegar, vou fazer um jantar em Família, com a minha Mãe e o meu Padrasto. O meu menu favorito vai ser camarão.

     E, quando soprar as velas, vou pedir um desejo secreto e muito bom!

    Não faço ideia do que poderão ser os meus presentes de anos, mas eu adoro que me façam surpresas, principalmente quando vêm dos meus Amigos e da minha Família.

     O meu dia favorito do ano é o meu aniversário: adoro relembrar o meu passdo e celebrar com a minha Família o facto de existir.

     Sempre que fico mais velha sinto-me feliz, porque fico, não só mais crescida, mas mais inteligente, aprendo palavras novas, sou mais capaz de pensar a fundo e, por isso, também, de amar. 

Layane S, 6C

DJ Marshmellow

disfarce de dj marshmellow

   Oficina de Escrita

      O Carnaval é uma festa de que eu gosto muito, porque é diferente dos outros dias e porque vamos mascarados.

     Este ano eu mascarei-me de DJ Marshmellow, porque gosto muito deste DJ e também porque é muito engraçado e uma personalidade rica.

     Ele gosta de aparecer com este disfarce e isso faz-me lembrar um desenho animado.

     Eu gostaria de ser como ele e gosto muito das músicas dele. Estas férias vou aproveitar para ver netflix: os filmes dos Simpsons.

     Tenho um grand-danois cinzento, que está no jardim; ainda é pequenino, tem dois meses, mas é gigante para a idade e vamos brincar imenso os dois!

    Também gosto de estar ao pé da lareira e, aos sábados,  leio um bocadinho do Harry Potter: já vou na 2ª volta dos livros.

    Fiquei satisfeito com as minhas notas, nesta primeira etapa: subi a Matemática e mantive as outras notas. Desejo um BOM CARNAVAL a toda a gente!

Zé G, 5A

Para que a Vida Aconteça

espigas de trigo com frase: para que a vida aconteça, quantas vezes é preciso morrer"

Imagem: Pablo.com

      Começamos a preparação para viver a Páscoa de Jesus, com um tempo a que chamamos Quaresma. Não é tempo para se lamentar, nem chorar, mas para renovar a vida. Tempo para lançar a semente da fé e do amor na terra da nossa existência e permitir que, morrendo, ela fecunde a vida e a transforme! Para que a vida aconteça, tantas vezes é preciso morrer!

   Para que os filhos possam ter uma vida em que não falte nada…tantas vezes os pais precisam “morrer” e trabalhar longas horas, dia após dia.

   Para que os alunos possam progredir e aprender…tantas vezes professores e educadores têm que “morrer” para o seu tempo de descanso e de atenção à família.

    Para que os doentes num qualquer hospital e centro de saúde possam ser cuidados com dignidade…tantos profissionais da saúde têm de “morrer” para os seus próprios problemas e dedicar-se, de corpo e alma, para aliviar a dor.

   Para que os meus resultados escolares apareçam…tantas vezes é preciso “morrer” para a brincadeira ou para as minhas saídas de fim de semana!

    Se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, fica só; mas se morrer produzirá muito fruto. (jo 12,24). Se o grão de trigo, ou uma qualquer semente, não se quiser entregar à terra e nela morrer, ficará sozinha, não produzirá plantas novas, sementes novas. 

    Páscoa é isso mesmo…fazer o caminho de “morte” para ressuscitar (nascer) para uma realidade mais bela, renovada, em que se possa respirar vida…ser Vida!

    Todas as turmas e setores da escola devem trazer os vasos para a celebração da missa de Páscoa do dia 23 de março.

Obrigado e bom trabalho

A Diretora Geral,  Irmã Natália

Ver Artigo completo na Página da Direção

Celebração Especial

https://blog.us.playstation.com/2017/02/14/rocket-league-ps4-pro-support-coming-february-21/

      Imagem: Rocket League

      O dia dos meus anos foi espetacular: eu e os meus amigos fomos jantar ao Mac Donald’s e, enquanto estávamos a jantar, eu encontrei uma amiga minha. Depois, fomos ao cinema ver o Jumanji que foi um filme muito fixe.

     Também ainda no dia dos meus anos, recebi o “Call of Duty WW2“, recebi o Rocket League, uma coluna, uma bola de futebol, um cartão da FNAC e uma caneca do Batman.

     Fez 15 anos que a minha Mãe me atura e foi um dia muito especial para mim. Nestes momentos, sentimos a amizade ao estar a celebrar os meus anos em união com a minha Família.

     Com os meus 15 anos sinto-me um ano mais velho e sinto-me mais capaz de desenhar um projeto de Futuro. 

Manuel N, 8B

 

Momentos de Aventura e Paz

Airbeat One Festival 2017 Spanhof.Info – Illusions of Photo-Art via Compfight

     Nas férias de Natal, fui à piscina do Hotel onde o meu Pai trabalha, o Hotel Pestana, na Fortaleza de Cascais. Depois, estive a ver os jogadores do Portimonense a entrar no Hotel: parece que eles comeram onze quilos de bananas!

      Nas férias, fui também à Festa dos Anos do Afonso, em que jogamos Laser Tag

   O que eu gostei mais de receber no Natal foi o Red Pass do Benfica. Também fui a um Museu de Arte e Tecnologia e joguei Fifa 18. Fui ver o Star Wars ao cinema. Um amigo meu levou com um chinelo na cara e deitou sangue do nariz!

      Passei o Natal em casa da minha Tia onde apreciei sobretudo o bolo de chocolate. No fim de Ano estive em casa da minha Avó: a nossa cadela estava com medo do fogo de artifício e veio esconder-se na sala. Depois saltou para cima da mesa e comeu uma tigela de pinhões!

     O meu principal objetivo para este 2º Perído: gostava de terminar com positiva a Matemática.

     Este mês de Janeiro, celebramos a Paz: 

  • Para haver Paz em Portugal temos que contribuir para não haver incêndios, limpando as florestas e patrulhando os lugares mais sensíveis.
  • Para manter a Paz a nível da Escola, é bom tratarmo-nos com respeito e bom-humor. Em relação aos professores, temos de fazer um esforço para estarmos atentos.
  • Para aprofundarmos a Paz dentro de nós, devemos evitar preocuparmo-nos inutilmente e procurar atividades de que gostamos.

Manuel N 8B

Aventuras de Natal

Me ✈Busy-Off To Canada Today!✈ via Compfight

     No meu Natal recebi muitas prendas, mas antes de começar a enumerá-las, o mais importante foi estar com a Família.

      De entre as prendas que recebi, gostei muito de um perfume, um jogo de carros para a PS4, e o jogo do Grande Turismo, com volante e pedais.

       Com a Família toda, estivemos a jogar Sing e eu controlo o meu tio “cá com uma pinta”! Antes da meia-noite, vimos um filme: “A Viagem de Arlo”, que era bem giro.

      Nunca tinha visto fogo de artifício tão perto: uma luz muito forte e todas as cores do arco-íris. Como eu fazia anos nesse dia, antes da meia-noite comemos o bolo, que tinha a forma de um jogo de Basket.

      No hospital, vesti uma roupa própria e deitei-me na cama com rodas e fui levado por duas enfermeiras giríssimas para a sala de operações. Puseram-me a máscara e adormeci logo. Acordei cheio de dores, mas não reagi como o médico tinha esperado.

Francisco M N, 6A

 

Seguir em Frente com a Vida

Call of Duty: Infinite Warfare Clinton Crumpler via Compfight

     Um acontecimento inesperado destas férias foi o meu irmão e o meu vizinho terem encontrado um cão abandonado: era rafeiro, pequeno, de pelo claro. Habituou-se bem a nós, mas parecia bem alimentado, embora sem chip. Ficou bem com o nosso cão Pepe, durante um dia e depois fomos entregá-lo a uma Associação de animais, para ser adotado.

     No dia 24, o meu Avô fez anos, passei o dia todo em Família e estávamos muito felizes! À meia-noite, abrimos os presentes. O meu favorito foi o Hawei P8 Lite e, ultimamente, tenho jogado PS4. Troquei um jogo repetido por Lego Marvel Super Heros 2 e amanhã ainda vou comprar o Watch Dogs 2.

     Eu passei o Ano Novo com a minha Mãe, um amigo meu, o Mota, e estivemos a jogar, na minha PS4, Call of Duty Infinite Warfare Eu e o meu irmão completamos um jogo a 100%. Jantamos “almofada de pato” e fomos para Cascais ver o fogo de artifício, que era de imensas cores: azul, vermelho, verde, laranja; formavam diferentes formas no céu e lançavam quilos de fumo.

     O meu irmão disparou a rolha do Champanhe e depois disso fomos ao LuzMar; enquanto estávamos lá, vimos o meu vizinho a passar, junto á Roda Gigante, mas, infelizmente, não conseguimos cumprimentá-lo.

    Não pedi desejos em especial, mas como resolução de Ano Novo gostaria de melhorar a nota de Português, em especial nos Verbos e Adjetivos.

     E é só seguir em frente com a Vida! 

     Em cada Turma, há Grupos de 3 pessoas que têm de fazer uma tábua de madeira onde criam símbolos para o valor de cada mês. Este mês, estou a trabalhar num projeto em que celebramos a Paz: se toda a gente se ajudasse uns aos outros, teríamos um mundo melhor.

Vicente E, 5A

 

Confetis, Prendas e Carinho

https://www.jeuxdenim.be/jeu-DixitImagem: Dixit

      A minha querida véspera de Natal foi em casa dos meus primos. Foi tão giro: recebi tantas prendas e carinho!

      Eu passei o Ano com a minha Família: o meu pai, mãe e irmã e outros amigos Espanhóis e Portugueses. Ao todo, éramos 14 e sempre jogávamos um jogo de tabuleiro chamado “Dixit“.

     Nós éramos 6 crianças e passávamos as noites a jogar às escondidas, foi tão engraçado!

    Ao jantar, a entrada foi tamboril molhado em molho de ouriços do mar, sopa de peixe, o prato principal foi ravioli de cabrito e a sobremesa foi mousse de chocolate e avelã.

    Depois, à  meia-noite, lançamos confetis e fomos dormir.

André R, 7A

Um Presente Absolutamente Inesperado – III

http://actalliance.org/act-news/act-alliance-joins-unicef-refugees-welcome-programme/

    Imagem: actalliance

     Todos os colegas se solidarizaram com a sua tristeza e os intervalos seguintes foram passados, em harmonia, a partilhar as tradições de Natal dos dois países. Tamir pôde finalmente compreender o significado do Natal e a importância profunda do nascimento de Jesus Cristo, que o Duarte e o resto do grupo celebravam, enquanto católicos. 

      Nos dias seguintes, mesmo fora da escola, os dois novos amigos passaram imenso tempo juntos. O Duarte teve oportunidade de conhecer a simpática família de Tamir e até de participar nas suas tradições como, por exemplo, a de brincar ao dreidel, um jogo com um peão de quatro lados com letras hebraicas gravadas, onde o divertimento passava por adivinhar qual era a letra que ficava para cima quando ele parava de rodar. Também Tamir se encantou com o que aprendeu acerca das tradições ligadas ao Natal dos católicos: a coroa de ramos com quatro velas que se vão acendendo sucessivamente nos quatro domingos do Advento, a  Missa do Galo, etc. E claro que ambos se deliciaram com a comparação entre a culinária tradicional da Consoada – o bacalhau cozido com batatas e couves, o bolo-rei, as rabanadas, as filhós – e a típica do Hanukkah – latkes (panquecas de batata) e sufganiyot (roscas com geleia), fritas em óleo.

     Através da mãe do Duarte, até os pais de Tamir acabaram por se envolver (servindo de tradutores e mediadores junto da sua comunidade) no seu projeto de voluntariado, que promovia a integração de imigrantes e refugiados por via do ensino do Português num ambiente acolhedor e facilitador da interação entre eles e os cidadãos locais, o que permitiu aproximar as pessoas, fortalecer as suas redes de solidariedade e projetar a cidadania de cada um no outro, num tempo que, como mais nenhum, é de vivência comunitária e familiar.

     Entretanto, chegara o dia da troca de presentes do amigo secreto e foi já na aula que o Duarte se apercebeu de que, com a catadupa de acontecimentos dos últimos dias, se tinha esquecido completamente do presente. O seu pânico aumentava à medida que a Professora ia tirando à sorte e anunciando os nomes dos alunos que ofereciam e dos respetivos recetores e nem deu atenção à bonita caneta com que foi presenteado pelo Rui, até que ouviu:

            – E para concluir, Duarte, entregue, por favor, o seu presente ao Tamir.

            Quando, muito envergonhado, Duarte se levantou para assumir a sua falha, Tamir interrompeu-o antes que conseguisse falar e, depois de pedir a palavra à Professora, proferiu:

            – Duarte, muito obrigado pelo teu maravilhoso presente, que por ser tão grande e especial não poderia ser trazido para aqui. Eu e a minha família ser-te-emos eternamente gratos pela nova vida que nos proporcionaste. Ofereceste-nos um presente inigualável!

     Nesse momento, os outros colegas levantaram-se e, emocionados, exclamaram em uníssono, enquanto aplaudiam:

            – Duarte, conseguiste dar o melhor presente de sempre! Muitos Parabéns!

      Naquele dia, o Duarte compreendeu que o mais importante não era dar um presente, mas sim ser presente! 

Leonor V, 6B       

Um Presente Absolutamente Inesperado – I

Queen Bee of Beverly Hills Designer Handbags HolidayCreative Commons License Queen Bee via Compfight

     Aproximava-se o final do primeiro período e em toda a escola reinava um clima de grande azáfama devido aos preparativos para as comemorações de Natal, mas em nenhuma turma o alvoroço se comparava ao da do Duarte. Por esta altura, habitualmente, realizavam a troca de presentes do amigo secreto, mas na turma do Duarte esta atividade tão singela assumia proporções quase descontroladas, pois havia sempre uma grande competição, existindo até uma espécie de concurso paralelo: quem levasse o presente mais original e apreciado pelo destinatário tornava-se “rei ou rainha da popularidade” até ao ano seguinte.

  Para refrear um pouco os ânimos, a Diretora de Turma até havia definido, como nova regra, que este ano apenas saberiam a quem ofereceriam cada presente no dia da entrega, pelo que não haveria possibilidade de utilizar os estratagemas habituais para conhecer previamente os desejos dos respetivos destinatários e, dessa forma, tentar garantir uma escolha perfeita, capaz de alcançar o tão ambicionado título; ainda assim, a turma estava excitadíssima e o tema do presente passou a dominar as conversas em todos os intervalos.

       Mas nem todos os alunos da turma partilhavam desta agitação: Tamir, um refugiado sírio que havia integrado a turma há pouco tempo, não compreendia todo aquele aparato, quer porque nunca participara numa atividade deste tipo, quer por ser uma pessoa pouco expansiva com quem a turma praticamente não interagia.

      Por seu lado, o Duarte estava muitíssimo entusiasmado, uma vez que se convencera de que, se no último ano os pais do Rafael – um colega com quem mantinha uma rivalidade saudável – não lhe tivessem trazido de Paris um presente absolutamente exclusivo para ele oferecer à Catarina, o título de melhor prenda não lhe teria escapado. Mas, este ano, estava convicto de que, com a nova norma, iria encontrar um presente que surpreenderia e encantaria quem quer que o recebesse. Porém, não era só ele que queria ganhar e, no intervalo, enquanto uns se proclamavam vencedores antecipados, outros queixavam-se dos presentes que tinham recebido no ano anterior.

   – No ano passado, recebi um boneco insignificante saído de uma máquina de brindes! A minha amiga secreta, a Elisa, apesar de conhecer os meus gostos requintados, não se esforçou minimamente! – reclamou a Vitória, a rapariga mais pretensiosa da turma, acrescentando: – Deixo já claro que, este ano, só aceitarei um presente se for de uma marca ao nível do meu excecional bom gosto e classe!

     – E como é que a pessoa vai saber que quem lhe vai calhar és tu, presunçosa?! – indagou o Eduardo, em tom de censura.

(Continua)

Leonor V, 6B

Férias de Paz

    chuck and his crazy hair Keith Survell via Compfight

      As minhas férias de Natal foram boas. Recebi um coelho miniloop chamado Tobias, ele é muito brincalhão e gosta muito de saltar!

     O Tobias, quando o vi pela primeira vez, saltou para o meu colo! Ele tem um mês: é um bebé!

     O meu Natal foi giro: fui ao cinema com as minhas amigas vi o filme Coco e o Picture Plenert 3.

      Estive em casa a dormir às vezes até às doze horas.

     No dia 26 fui à Wonderland  de Lisboa: andei de patins e na roda gigante. No dia 25 foi Natal: recebi o meu coelho e roupa giríssima.

     Durante o Ano Novo, nas doze badaladas comi passas. Ouvi o fogo de artifício na minha casa: fiz uma resolução de Ano Novo.

      Este período, devo melhorar a Inglês, a interpretação de texto; a Geografia já consegui uma estratégia para não confundir a Escala Gráfica com a Escala Numérica.Mas quero levantar a nota.

      Este mês celebramos a Paz: gostava muito de fazer uma viagem à Indonésia. Realizarmos estes pensamentos contribui muito para a nossa felicidade. E sermos felizes contribui para a Paz no mundo.

Mariana C 7A

 

 

Momentos de Natal

New Years Eve Fireworks 2017 Kyle Nishioka via Compfight

      Estas férias, a ida à Vila Natal foi ótima! Gostei muito da pista de gelo e de tirar uma foto com o Pai Natal, de andar dentro de uma bola brilhante sobre a neve.

     O Natal foi admirável! Adorei os presentes, mas ainda gostei mais de estar em Família! O meu novo “telelé” é um Vodaphone, cheio de cores espantosas, com uma capa giríssima, de um azul fascinante. Recebi o cartão sim e comecei logo a utilizá-lo.

      No Ano Novo, adorei o concerto dos “Dama“; o hotel em que fiquei chamava-se “Vila Galé“, em Lagos.

     O fogo de artifício foi fantástico: havia uma bala no céu a explodir e a dividir-se, começando numa cor; as mini-balas dessa divisão explodiam de novo.

     Outras pareciam umas balas de canhão que subiam, e quanto mais subiam, mais apagavam a parte de trás até à ponta: eram brancas, verdes e vermelhas! Nunca tinha visto um fogo de artifício tão magnífico, foi uma novidade que nunca vou esquecer.

     Estas férias senti-me muito alegre.

Miguel M, 6A

 

Com as Pessoas de Quem mais Gosto…

Garden over the bayCreative Commons License pedrik via Compfight 

     Este Natal, abri um presente maravilhoso: uma coluna para ouvir música na Escola; ligo-a ao telemóvel e ouço imensas canções e músicas, a que nem sei dar o nome, pois gosto de tudo. Até ouço ópera com o meu avô! Conheço um cantor francês, Philipe Jaroussky…Enquanto fazíamos a árvore de Natal com o meu avô, eu e o meu irmão ouvíamos ópera.

     A minha prima Inês passou quase uma semana comigo: ficávamos a preguiçar de manhã, fomos a Sintra comprar queijadas originais, conversávamos sem fim e eu até disse à minha Mãe que não é nada igual estar com a Inês ou sem a Inês…

     Fui visitar a Vila Natal com a minha Madrinha e a Constança, de 4 anos – adoro bebés! Adorei patinar no gelo – como sei andar de patins não era difícil – visitei a casa do Pai Natal, passei um túnel de luzes, vi os camelos dos Reis Magos e um recinto com burrinhos, um duende e vários coelhinhos. Andei na bola gigante dentro de uma piscina de esferovite.

     Que férias inesquecíveis com as pessoas de quem mais gosto!

Margarida R, 5C

Férias Magníficas

7. It'a beginning to look a lot like ChristmasCreative Commons License Mark Gunn via Compfight 

     Passei as minhas ferias quase todas sentada no sofá ,com uma mantinha a ver televisão , mas algumas vezes fui passear .

     Nesses dias fui visitar a casa dos meus avós ,um museu de dinossauros e fui ao oceanário ,fui também ao shopping ver um filme mexicano chamado”Coco”. Como o filme é Mexicano, em vez de pipocas comi tacos, e achei uma delícia!

     Para passar algum tempo com a minha Família, fui ver as luzes de Natal e também fomos à Wonderland em Lisboa. Passei o Natal na casa do meu Tio e com a minha Família e comemos bastante.

     Passei o Ano Novo no Jardim do Casino a ver os fogos de artifício e foi muito engraçado, porque nós esquecemo-nos do champanhe e das passas: então pedimos emprestado a uma pessoa que estava ao nosso lado e divertimo-nos muito!

Carolina CV

Resoluções de Ano Novo

http://www.cascaischristmasvillage.pt/

     Imagem: Vila Natal Cascais

     Este Natal, um grande momento, foi quando abri os presentes: um livro para pintar com canetas, mas é mesmo dos difíceis.

     A seguir, do que gostei mais foi do livro “Aventuras de um Banana Super-Herói“. Fui à Vila Natal e adorei andar na pista do gelo, tal como faço sempre que vou ao Porto. Como faço patinagem com rodinhas, para  mim é fácil.

     No ano novo, estava a dormir profundamente e assim ganhei um dia 1 todo inteirinho, cheio de energia.

     Este 2º período, a minha principal resolução de Ano Novo vai ser conseguir pintar o meu livro todo, ler a Aventura e subir as notas a Ciências e a Português.

     A Português posso melhorar na resolução de questionários, o que já estou a treinar com a minha terapeuta da fala.

     Que bom, este mês, celebramos a Paz!

Carolina A, 6B

A Casa de Natal

http://www.mapav.com/santarem/ferreira_do_zezere/pias/Imagem: Mapav.com     

     Este Natal, no dia 25 de Dezembro, eu fui a Pias, Ferreira do Zêzere, onde estivemos numa casa gigante!

     A casa tinha um trampolim, uma campo de futebol, uma vista linda, um jardim enorme e ainda um parque de estacionamento no exterior.

     No interior, mal abrimos a porta, temos, dos dois lados, dois quartos; se andarmos em frente e virarmos para a esquerda, temos um quarto, uma casa de banho e outro quarto. A seguir, temos as cozinhas, e, ainda ao lado, a enorme sala de jantar; em frente, abre-se a sala de jogos de tabuleiro; logo a seguir, a sala de estar; desde aí vamos dar á entrada. 

    No piso de cima, havia um quarto, depois uma sala onde nós tocamos numa orquestra. Aí também se abria um quarto dentro da sala. A seguir um quarto de crian ças; em frente, um outro quarto com duas  casas de banho e depois, ainda outro quarto.

     Depois de visitarmos a casa de Natal, fomos passear e fazer “caches”.

Afonso F, 6D

O que Mais Gostei no Natal

https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0ahUKEwiQjsaFor_YAhXLwBQKHVmLBw0QjRwIBw&url=http%3A%2F%2Fwww.gamezebo.com%2F2016%2F12%2F12%2Fhill-climb-racing-2-tips-cheats-strategies%2F&psig=AOvVaw2TahIndN3UtK4ACIEdfIJC&ust=1515188136777075

Imagem: Hill Climb 2

O que eu gostei muito de receber foi um telemóvel Huwai, Y6 Pro 2017. Joguei o Hill Climb II, onde já estou muito avançado: já vou no nível Diamante 2.

Nesse jogo, recebemos um carro muito mau e vamos comprando carros com o dinheiro que ganhamos nas corridas indo contra outros carros.  Podemos melhorar a potência do motor, a suspensão e outras qualidades.

Também recebi um skate e andei na pista do Dramático.

No Ano Novo, assisti ao Fogo de artifício no Tamariz. No jardim do casino e ao pé de mim estavam uns homens a atirar uns petardos.

Eduardo M, 5B

As Surpresas com que Eu Sonho

http://cadescrita.edublogs.org

Imagem: Mariana J – 2011     

      Olá Pai Natal,

     Eu queria receber muitas surpresas, que seriam: 

  • Uma hoverboard
  • Uma boneca
  • Visitar a minha avó na Ucrânia
  • Ter um Forbe e uma Piscina
  • Uma casa nova e grande
  • Comprar prendas para a minha Família toda!

 Gostava que a minha casa tivesse uma sala grande para o nosso convívio, uma sala de cinema, o meu quarto amplo e verde-água; um jardim enorme à volta, umas árvores com frutos, como pêssegos, maçãs, pêras e ainda vegetais, como tomate, pepino e alface. Teria ainda dois cãezinhos e um gatinho dentro de casa!

    Desejo a todos também que imaginem e possam ter o que mais querem.

Ana Sofia D, 6A

O Espírito de Natal

   Merry Christmas Leo Reynolds via Compfight

     O Espírito de Natal consiste em fazer o Presépio, passar o Natal em Família e em abrir os presentes. Multiplicam-se campanhas de Solidariedade nesta época, precisamente por ser uma época de amizade, inspirada na pobreza de um Deus sem abrigo.

   Nas férias, adoro jogar na PS4 e treinar  Futebol. A prenda mais fabulosa que eu já recebi foi a PS4! Costumo passar aPassagem de Ano a ver a Televisão e a conversar.

 Quando estou de férias, o meu primeiro pensamento é sobre estar livre dos Testes! Prefiro passar o meu tempo a passear ou a andar de bicicleta.

Este Natal gostava de receber um Iphone 6.

A minha sobremesa preferida são rabanadas!

 Desejo que o Natal continue a ser o mesmo: árvore a brilhar, convívio em Famíla, abrir presentes e Espírito de ajudar quem mais precisa!

Manuel N, 8A

O Silêncio da Alegria

http://www.etoilenotredame.org/actualites/resolutions-pour-le-mois-de-jesus-naissant-24

     Imagem: Étoile Notre Dame

     José já se instalou no último lugar: junto ao  berço da Glória. A jovem Esposa radiante ilumina-lhe a confiança pedida pelo Anjo em pleno sonho.

     Não pode ir mais longe, não há outro abrigo:  chegou a hora em que o coração tão denso de silêncio pode captar o relâmpago da Alegria.

    Os pastores dormitavam nos campos ou falavam em voz baixa em volta das fogueiras: figuras de silêncio recortadas na noite. Os magos caminhavam no rasto da Estrela que os inebriava de silêncio.

    Tanta luz transparece nesta noite, que só a espessura do silêncio – a espessura de séculos de silêncio – acertadamente sintoniza.

    José, à entrada da gruta, transido de silêncio. Maria, inclinada sobre a mangedoura, transfigurada de silêncio: só eles contêm o dilúvio da Alegria, ligam à terra a torrencial voltagem da Alegria, que se aquieta, infante, no berço de carne do silêncio.

OE

A Esperança dos Pobres

http://michele-gabriel.chez-alice.fr/pge83-25.html

Imagem: Michel-Gabriel-chez-Alice

“Que Alegria, quando me disseram: “O Senhor vem a nossa casa!”

      Belém, a mais pequenina das cidades de Judá… para lá sobe José, descendente de David, com sua esposa, grávida de Ti!

     Os passos dos pobres seguem em Esperança: os que não têm lugar em nenhuma estalagem, os que dormem nos campos, ao relento, e a quem envolve a Glória do Altíssimo. 

    Mais atrás vamos nós, seguindo os rastos de ouro que a Esperança dos pobres acendeu: escuridão e frio; esforço do silêncio; e todo o ser de homem uma questão que pulsa, escuta e, finalmente, vive.

 OE

Um Alien no Natal

No One Inside Remembers Jason Carpenter via Compfight

     No ano de 2017 tive um Natal muito bom em casa do meu avô. Nós comemos cabrito, estava ótimo! Foi o melhor cabrito que eu já comi!

     Depois de abrir os presentes, fui para a cama, olhei pela janela e vi uma coisa azul a vir para mim; começou a aproximar-se e BOOM! Partiu a janela. E eu disse:

    – O que é que será?

     Fui ver e era uma espécie de homem pequenino, só que verde, com duas antenas. Ele perguntou-me:

    – O que é o Natal?

     – O Natal, para mim, é a melhor celebração do mundo! Celebramos o Nascimento de Cristo, fazemos uma Ceia com a nossa Família e abrimos muitos presentes.

     E ele disse: 

    – Ah, okay! Assim, quando chegar ao meu planeta, já posso dizer o que é o Natal aos meus amigos.

    –  Adeus, até ao próximo ano! – Exclamei.

    – Adeus! – Respondeu ele, antes de entrar na sua pequena nave redonda e azul que deixou um rasto elétrico azulado, desaparecendo a alta velocidade.

     E assim, o Alien e o Eduardo ficaram os melhores amigos.

Eduardo M 5B

O Natal Russo

Fortnum & Mason Christmas window display Kotomi_ via Compfight

      Túlio tentou acordar a Svetlana, mas sentia-se muito dorminhoco.

     – Acorda, cabeça de sono! – exclamou Túlio.

     Mas a Svetla estava a dormir. Ele resolveu atirar-lhe água.

    – Mas o que se passa, Túlio? Estás Normal?

     – Depressa, Svetla, é Natal! A Família do nosso pai vai estar cá.

     Foram os dois fazer um bolo de chocolate. Os dois tinham medo da Elia, a pequenina sobrinha que chegou da Rússia. Um dia, quando eles estavam a dormir, ela pintou-os, como Mascha e o Urso.

     Este bolo vai atraí-la. Eles puseram o bolo na mesa, correram para o seu quarto e esconderam-se.

    A Elia chegou com a Família toda do Aeroporto. Primeiro, ela interessou-se pelo Túlio e Svetlana, e não pelo chocolate. Foi um “flop”. Perguntou onde estavam os primos.

      Os dois amigos saltaram pela varanda e foram esconder-se na sua casa da árvore, mesmo em frente ao quarto. Treparam pela escada de lã e enrolaram-na rapidamente para que a pequenina não soubesse onde é que eles estavam.

    À noite, comeram todos um delicioso bolo de chocolate e riram-se deste episódio divertido de um Natal Russo!

Svetty T, 6B

Ser Feliz, Amar os Outros…

Seasonal Joy IICreative Commons License Anne Worner via Compfight

     Eu nunca me canso do Natal, porque é estar com a Família e ser feliz, amar os outros.

     Para mim, a Família é o mais importante; se eu a perdesse, nunca voltava a ser a mesma.

    Quando passo por alguma pessoa pobre, eu começo a pensar no Natal e como as pessoas podem não ter Família.

    Se alguém me perguntasse o que é o Natal, eu diria que é uma celebração, quando Jesus nasce, celebra-se com a Família e entramos no tempo d’Ele.

    Este ano, eu já não recebo presentes, e já não faço cartas para a minha Família. Tenho tanta pena!

   Ah, mas vou dar bombons, com uma pequena carta, a cada pessoa da Família, a dizer que gosto muito dela, a dizer que a adoro. E ver os sorrisos na cara de cada uma, ao receber…

    O Natal é magia, canções, convívio e surpresas. Eu adoro o Natal!

Mariana Lm, 5ºA

Um Natal Maravilhoso

Narizao, The Cool Brother of the Other Guy - 2017.02.17.F01 jonix_k via Compfight

    Eu costumo, no Natal, estar em casa dos meus avós.

     Eu, o meu irmão, a minha irmã e o meu pai fazemos a árvore de Natal e o presépio. Nós costumos comer bacalhau e bolo Rainha.

    A minha sala tem luzes por todo lado, tenho a árvore toda iluminada.

   Os meus avós põem os presentes debaixo da árvore e depois chamam as crianças e ficamos muito contentes.

   O ano passado eu recebi três puzzles e uns brincos muito giros. Eu dei um postal à minha mãe e ao meu pai.

  Foi um Natal maravilhoso!

Carolina A, 6B

Uma Alegria Única

 http://aronbengilad.blogspot.pt/2015/05/Imagem: Aronbengilad.blogspot   

    Para celebrar a Alegria, as pessoas continuamente inventam mil surpresas subtis ou grandiosos eventos.

    Podemos partilhar com os amigos a ida a um concerto da nossa banda favorita, por exemplo; ou simplesmente sentarmo-nos num banco do parque, à sombra generosa de uma tília e tecer a conversa mais interminável do mundo.

      A Alegria pode expressar-se de muitas maneiras diferentes:

  • A Alegria de sermos felizes – porque alguém nos amou primeiro.
  • A Alegria Profunda – o facto de existirmos, que podia não ter acontecido.
  • A Alegria de estarmos contentes – a partilha dos bons momentos com os amigos.
  • A Alegria de termos recebido alguma surpresa – descobertas que mudam a vida. 

     A Alegria também nos rodeia no facto luminoso de quase tudo o que existe ser colorido e atrair assim o nosso olhar para uma radiação ínfima no espectro daquilo que inspira sorrisos. 

     A meio do espectro da Alegria, situam-se todas as Festas humanas, desde as celebrações de Família àqueles momentos íntimos que só festejamos com os amigos mais queridos.

     Acima da faixa da Alegria que nós, humanos, conseguimos captar, estende-se toda uma gama de notas divinas que já apenas conseguimos pressentir de longe.

     Mas, inclassificável entre todas, brilha, inconfundível, a Alegria que a Festa da Imaculada irradia e que é, ao mesmo tempo, humana e divina.

    Podemos captá-la intensamente, porque envolve a nossa humanidade, mas ao mesmo tempo ultrapassa-a, porque se refere à Liberdade de Maria.

    Esta Liberdade, que  é total e sem falha, que nos está prometida e que Ela viveu perfeitamente, desde o seu primeiro instante, transmite uma Alegria diferente, mas capaz de se entranhar em todas as nossas Alegrias.

OE

O Meu Natal

Brunna Peretti Loureiro via Compfight

     Eu costumo começar o meu  Natal dia 23, em casa dos meus Tios, do lado do Pai. Depois, dia 24, é em casa da Bisavó, do lado do Pai. No dia 25 recebo presentes em casa da Mãe e, a seguir, vou a casa da minha Avó.

     O presépio e a árvore são feitos por todos nós, em casa da Mãe; em casa do Pai, são os filhos e em casa da Avó, são os 16 netos.

     Como sobremesas especiais e bebo leite com chocolate quente. A sala está tão enfeitada e gira! O ritual para celebrar em casa da minha Mãe e da minha Avó é estarmos à espera de que todos cheguem.

Maria Pr, 5B

Adoro aquele Momento tão Feliz

     IMG_7900_web - Christmas decorations Alex DROP via Compfight

    Eu costumo reunir-me no Natal em casa dos meus tios, avós, ou mesmo em minha casa. Mesmo se for em minha casa ou não, eu e a minha mãe fazemos sempre o presépio e a árvore de Natal na sala.

      Na ceia de Natal costumo comer bolo de chocolate, de iogurte, e também broas de mel e muitas mais surpresas deliciosas.

     A minha sala costuma estar decorada com pais-natal e predominam as cores vermelho e branco.

     Eu costumo abrir os presentes às 00 horas. Os meus pais e as pessoas de família dizem para deixarmos os sapatos e põem lá os presentes – “O Pai-Natal”. O meu presente favorito, que eu gostaria de ganhar era um jogo: The Sims.

     O Natal nunca cansa, sabem porquê? Sempre recebemos presentes e eu adoro estarmos a passar aquele momento tão feliz com as pessoas de quem mais gostamos – a Família.

     Se eu explicasse a um menino de outro planeta o que é o Natal, diria que é das épocas mais bonitas e religiosas de Portugal, em que nós recebemos presentes, brincamos muito e comemos também à vontade. Eu adoro e acho que ele iria gostar desta experiência nova.

     Se, um dia de Natal, eu fizesse uma inovação, iria para outro país com a minha Famíla e como ninguém nos conhecía, ficávamos muito mais à vontade. Mas mesmo assim eu gosto imenso como nós passamos cá o Natal.

Margarida Rs 5C

Um Vídeo a Abrir os Presentes

Decorative LightsCreative Commons License Marco Verch via Compfight

     O Natal, para mim, é muito giro.

    Gosto de presentes de Natal e gosto de estar com a Família. Faço um jantar de família e só abro os presentes à meia-noite.

     Se calhar, vou fazer um vídeo de Natal para o youtube e abro os presentes em vídeo. Vai ser muito giro fazer um vídeo com sete subscritores. Não faz mal ser com sete pessoas porque não podemos reclamar com o que temos.

     Se eu tivesse um amigo de outro país que não soubesse o que era o Natal, eu dizia-lhe que é uma época em que se recebe presentes e em que se está com a Família. Lourenço J, 5A

Projetos de Festas

Airplane vs London Eye mystero233 via Compfight

       O dia 31 de Outubro é dia de Halloween: os mais novos mascaram-se de vampiros, diabos, fantasmas. As crianças pedem doces de casa em casa. Eu vivo essa festa vestindo-me de vampiro ou de fantasma e, com os meus amigos todos mascarados, fazemos uma festa.

      Nós vamos de noite, a casa das pessoas, batemos à porta e pedimos doces ou fazemos travessuras. As pessoas, geralmente, recebem-nos bem, dão-nos rebuçados, doces folhados e chupa-chupas. Mas há outras pessoas que não abrem a porta ou que não nos dão nada. Há pessoas que não seguem a tradição do Halloween, ou então os doces já acabaram.

       Na minha opinião, celebra-se o Halloween porque é uma boa ocasião de as crianças andarem sozinhas na rua, à noite. Em Portugal, há uma tradição com muitos anos, em que as crianças pedem “o pão por Deus”. 

       O dia 1 de Novembro é dia de todos os Santos e eu faço anos: no meu aniversário vai haver bolo e vamos cantar os Parabéns. No dia 2 de Novembro, vou  a Londres, para comemorar o facto de eu ter nascido. Gostava de ir ao Museu de Cera, à loja de MM’s ao London Eye e passear no Hyde Park.

Mariana C, 7C

Festa Surpresa ao Prof de HGP

  Surprise party !Creative Commons License Waqas Mustafeez via Compfight   

       No Domingo, o Prof de HGP fez anos e fizemos uma festa surpresa para ele. Ele gostou muito: quando entrou, ficou muito feliz; ele não estava à espera.

      Na 6ª feira, a Bárbara, que trouxe gomas, pediu para cada um trazer algo de comer ou de beber para a festa. A Leonor trouxe um bolo de ananás que é o preferido do Professor. Eu trouxe pipocas e pusemos tudo numa mesa.

      A sala ficou às escuras e nós escondemo-nos debaixo das  carteiras. Quando o Professor abriu a porta, nós cantamos-lhe os Parabéns!

      Neste Professor, eu aprecio ele explicar bem  HGP; o ano passado, descobrimos que o professor desenha muito bem, toca piano e canta. É uma pessoa alegre e que nos transmite boa disposição; ele perdoa os rapazes que fazem disparates e, ao mesmo tempo, tem autoridade.

     O Professor é justo com toda a gente, às vezes tem de perder a paciência com alguns colegas para a aula ser de todos.

     Estas festas de anos de surpresa são importantes para fazermos os outros mais felizes e para celebrarmos o grande mistério de nós existirmos.

Carolina A, 6D

O Que o Meu Coração Ama

Sunny Studio Two Scoops Rainbow Sherbet Card Mendi Yoshikawa via Compfight

      Adoro ir ao Bounce, porque é fabuloso saltar e divirto-me imenso, principalmente quando vou com amigos.

      Gosto muito de fazer anos e convidar amigas, porque há tantas coisas divertidas para fazer: festa de pijama, apanhadas, comer doces, brincar com insufláveis, lutas de balões e corridas.

     Sabe-me bem, de vez em quando, saborear um belo gelado com a Família  e com os amigos, até só de o escrever, já me estou a babar. Os meus sabores preferidos são: avelã, stratiacella, nata, meloa e baunilha.

      Estar com a família é algo que o meu coração ama e eu também amo. Por exemplo, mesmo quando eu estou zangada com os meus pais, ainda sinto o meu coração a bater.

      As amigas são também como os pais, mas ainda assim, não há amor maior do que o dos pais, mas os amigos também são algo muito precioso.

Joana Cb, 5A

O Que Eu Mais Amo

     Eu adoro ir à praia, porque quando eu vou para a água, sinto-me livre!
    As festas para mim, são magia, celebração de algo como o Halloween, com bruxas e fantasminhas.
     Eu gosto imenso de chocolate: quando como um bocado, quero comer o resto, nunca deixo sequer uma migalha e fico cheia de energia!
      Eu amo a minha família, é o que eu tenho de mais valioso;  no Domingo costumo ter um almoço: só eu e o meu mano de 14 anos, os outros são todos adultos e falam ao mesmo tempo em conversas cruzadas!   
     Os amigos são as pessoas em quem podemos confiar. Quando eles fazem anos, gosto tanto de ver a alegria no rosto deles quando recebem um presente.
Mariana L 5A

A Felicidade Transborda

IMG_6022Creative Commons License Marianne Bevis via Compfight

      Eu adoro Ténis porque o Roger Federer é o meu ídolo de Ténis. Eu gosto de bater bolas com o meu Pai, só os dois sozinhos.

     Adoro quando o meu primo faz anos, porque eu fico com os seus amigos de 15 anos e os amigos, mas eu tenho 10 anos. Então eu posso brincar com eles, que são 5 anos mais velhos, o que “mete piada”.

      Adoro brincar com os meus amigos, porque quase não nos zangamos e por isso estamos sempre juntos. Adoro ir à piscina, jogar zoombies, na playstation do meu segundo melhor amigo e jogar na piscina; mas o que eu mais gosto é de fazer bodyboard com o Diogo, no Guincho! No Alentejo apanhei a minha maior onda e adorei.

      Adoro ir para a casa da minha Avó, porque vou para lá com o meu primo favorito. Então, à noite, quando paro para dormir, nós ficamos a ver vídeos para rir e a nossa Avó não nos consegue ouvir a rir, porque com a sua idade já não se ouve muito bem.

       Com tudo isto, a felicidade transborda!

Francisco Go, 5B

A Alegria de Fazer Anos

https://unsplash.com/photos/Z-4kOr93RCI

Imagem: Photo by Luca Upper on Unsplash

     Hoje eu Faço anos!(1) Acho que se deve celebrar, porque o dia em que eu nasci é muito entusiasmante: 

  • Fui e sou uma prenda para os meus Pais 
  • Para Mim própria
  • E para os meus Amigos

     Hoje vai haver um jantar fabuloso de Família: vão lá estar os meus tios, primos, vai haver um bolo de surpresa e vamos cantar os Parabéns com toda a Alegria para mim e para o meu tio que também faz anos neste dia.

      Espero que os meus amigos também se lembrem dos meus anos: Esta manhã a Joana e a Mariana já me deram os Parabéns e sinto como gostam de mim.

      Gostaria de receber um trampolim e todos lá em casa queriam ter uma piscina. Eu punha o trampolim no quintal de trás e podia saltar quando chegasse ao fim da tarde. Não sei o que a minha gata Emília pensaria ao ver-me pelo ar!

     Eu acho que os anos das pessoas são uma Alegria cheia de Fantasia. Estes valores enchem a nossa vida e dão-nos força para crescermos com Felicidade!

(1) 31/10

Matilde Cia, 5A

O que Eu Gosto mais de Fazer na Vida

Harry playing footy vs Oak Park-30 Russell Charters via Compfight

     Para mim, o futebol é o melhor desporto do sempre!  O jogador que eu mais admiro é o Harry Kane, da Equipa do Tottenham: ele chuta mesmo bem!

      Estar com os amigos é fabuloso, pois se eu não tivesse amigos, não tinha com quem brincar.

      Adoro as festas de família, como os aniversários e o Natal. As melhores festas de aniversários são as dos meus tios e dos meus primos, porque têm uma enorme garagem para fazer uma discoteca.

       Fui duas vezes à Madeira e o que eu admirei mais foi a água do mar porque era muito quente, transparente, o mar era manso e havia pedras em vez de areia.

       Na Disneylândia o que eu achei mais extraordinário foi a montanha russa maior da Europa: a Space Mountain.

       No verão, vou três meses ao Alentejo e admiro muitas estrelas quando vou andar de bicicleta à noite. Faço bodyboard na praia da Zambujeira onde o mar tem muitas ondas e a areia tem cor de pele e é fofa. 

Eduardo M, 5B

O Hino da Vida

https://getstencil.com/app/saved

  Imagem: Stencil   

     Dedicado ao Amigo Miguel, nos seus 15 Anos

   Graças pelos 15 anos de Paz que deslizam rápidos, atraídos pela eternidade rumorosa, peso de ouro a encurvar o espaço-tempo de tudo, na gravidade do coração jovem, irresitível queda em mais além como num voo vertiginoso.

     Um presente: a beleza toda surpreendida deste hoje que se distende no estuário do seu curso, uma homenagem de filho a seus pais: nasci livre, um prodígio.

    Os 15 anos de vida fluem, tão imprecisos na estonteante diversidade do que acontece, indecifráveis na sua permanente prenhez de sentido que explode, abrindo atalhos inventados pela força do seu ímpeto e é assim que compõe um hino de louvor.

    A tua vida flui, mas obedece a um ritmo, responde a um compasso interior que lhe orienta o fluxo e quando te deixas modelar por ele, mais te surpreende pelo efeito de suprema liberdade com que desfaz o que parecia emaranhado e áspero, com que torna invencível o que de ti se aproxima sob os traços da Paz. 

Parabéns, Miguel!

OE

Assunção de Maria

 Our Lady is Raised Up Lawrence OP via Compfight

  (Dedicado aos meus alunos em férias)

     Que celebramos nesta Festa? Por que é uma das mais importantes para nós, cristãos?

     Jesus, Palavra do Pai, fez-se carne no seio de Maria. Ela foi pré-redimida, desde o início, desde a sua conceção. O que significa isto: primeiro fruto da Redenção, Maria recebeu-se a si própria como um dom e à incomparável pureza dele correspondeu perfeitamente no trajeto de uma vida única. Assim, ao dom originário da  “concecão imaculada” correspondeu com o seu “imaculado coração”.

     O sentido último destas palavras escapa-nos, porque elas são infinitas, mas herdámo-las pelo nosso batismo, já fazem parte de nós. Elas também significam que Maria, desde a origem, foi criada livre: liberta de todo o mal e livre para todo o Bem.

      Assim, o seu corpo não estava sujeito à condição da morte, como o nosso: é uma consequência de ser Imaculada. Celebramos então o facto de a sua pessoa, que inclui a totalidade do seu trajeto no tempo, estar inteiramente assumida na eternidade de Deus.

     Mas por isso mesmo está tão próxima de nós. E sem cessar abrindo o acesso ao que é mais íntimo a nós do que nós próprios: morada interior de Deus que tudo transcende, mas se oculta no recôndito dos corações.

     Maria pertence-nos: foi-nos dada pelo Filho na continuação do próprio gesto em que totalmente nos entregou o que tinha de mais precioso: “Eis a minha carne. Eis o meu sangue. Eis a minha Mãe.”

     Que é esta maternidade da Mãe de Jesus em relação a nós? Ao anúncio inaudito do Anjo, Maria respondera com um “Sim” sem condições. Agora, aos pés da Cruz, no extremo do percurso terrestre do Seu Filho, Maria reencontra este “Sim” inicial dilatado ao infinito: o seu consentimento para engendrar tornou-se espiritual e alargou-se à humanidade de todos os tempos.

     Filhos no Filho e irmãos de Jesus, somos filhos espirituais de Maria que sem cessar nos engendra para a Glória da Bondade divina onde,desde já, inteiramente, exulta e vive.

OE

Estrelas de Milevane

 Excertos da Carta da nossa Prof Catarina Santos em Junho de 2017

      Família Amor de Deus,

    Contam-se os dias em que o Santo António guiar-me-á para o aconchego do vosso saudoso abraço, mas não queria sair de Milevane sem antes voltar a partilhar com vocês alguns dos momentos que aqui vivi e senti.

Imagem: Escola de Milevane

     Hoje aprecio o céu como um pintor sente a sua arte. De astronomia pouco percebo, por isso admiro e contemplo esta pintura estelar como se de uma obra de arte se tratasse. Preenche o coração! Imaginem-vos a pegar num pincel grande com tinta branca e a rodopiá-lo sobre um manto negro. Agora imaginem todos a pincelarem o céu em simultâneo!

      As estrelas parecem tão próximas que iluminam o caminho até casa esta noite.

     Os meus olhos já se habituaram à escuridão, alguns sons já não me são estranhos e as pessoas já sabem que existo. Hoje vou aproveitar a oportunidade que as nuvens me deram, de ter a luz das estrelas, enquanto caminho para casa. Atenta aos perigos mas em paz.

[…]

     Esta tarde escrevo-vos à luz das velas. Houve um corte de corrente – a chuva intensa que persiste em durar não deixa passar os raios solares e, por isso, a energia não chega até nós. Quando os painéis solares não funcionam liga-se o gerador mas sem gasolina também não dura muito tempo. Já passaram dois dias em que as baterias estão descarregadas. Talvez amanhã haja um raio de sol que queira permanecer. 

    As noites estão tão frias que me fazem lembrar a minha terra – Sintra. Nestas últimas duas semanas, o chá quente e o cobertor são meus amigos e as camisolas de alças são os inimigos que prendi no guarda-roupa!

    Milevane fica nas montanhas da Zambézia!

Imagem: Campo de Milevane

    Acredito que a simplicidade da palavra obrigada, quando dita do fundo do coração, traduz a importância que esta viagem foi para mim, por todo o que envolveu – sacrifícios, ajudas inesperadas, partilhas…uma verdadeira missão partilhada!

      Às comunidades de Milevane e de Cascais – simplesmente obrigada!

Beijinhos para todos.

Até breve.

Catarina 

(Prof. Catarina S)