Diário de Escola

    Basket

Leo Hidalgo via Compfight

     Hoje acordei com a minha mãe aos berros. Estava sempre assim porque já eram 7 h 40. Ela Tinha acabado de tomar banho. Ela odiava dizer “acorda” e eu ficar a dormir, mas… pronto.

     Fomos para a escola: era azul com linhas amarelas; tinha muita luz, mas à noite era assustadora: havia muito vento a soprar nos campos de futebol.

     Os professores eram maus e rudes, excluindo  uma “setora”  que era muito simpática e bondosa.

     A Escola era na rua das Palmeiras. Aqui estudo a Arte de Navegar, Música de África com Instrumentos, e a parte mais gira, Natação acrobática.

     A minha outra escola era diferente: era em Espanha, a escola de Cáceres, uma escola que participou sempre, até 2016, nos Jogos Userianos.

     Eu era muito boa no futebol, por isso, o treinador da Escola convidou-me para ser Federada lá na Escola. Hoje é o único dia da semana em que ligo para a minha Escola de Espanha, “Cáceres”.

    Olha, nem sabes o que aconteceu hoje, foi lindo: os meus melhores amigos, o Alex e o Juan, vieram visitar-me à minha escola nova.

    Quando chegaram, nem queria acreditar, saltei para os braços deles e comecei a chorar. Eles também estavam muito contentes. Depois foram comigo para casa e ficaram a semana inteira.

Carolina S-C, 6B

Print Friendly

Simas Party Falsa

     Holiday Party Hat invitations

jcbonbon via Compfight

     Querido Diário,

     Ontem eu e as minhas amigas combinamos irmos dormir a minha casa, mas antes, uma amiga minha, chamada Gabi tinha perguntado à mãe se podia vir comigo ao Shopping, mas  a Mãe dela não deixou, pois a Gabi estava de castigo.

     Então, nós tivemos a ideia de fazer uma Festa falsa, para isso, fiz-lhe um convite falso. Entreguei o convite à Gabi hoje. Agora esperemos que a mãe dela deixe, para eu, ela e mais amigas irmos. SPF, até à próxima.

    Querido Diário,

     A minha Simas Party falsa já ocorreu: foi gira. Fomos ao cinema ver um filme espetacular, de seguida comemos no Sushi, perto do casino.

     A única coisa que correu mal, foi a mãe da Gabi não a ter deixado ir. Ela disse: Hum… como foi? Ah, foi: “- Não posso abrir exceção” – em Brasileiro. Ela não podia ir nem as minhas duas amigas Carlotas. Mas adiante… apesar de elas não terem ido, foi maravilhosa a nossa Festa falsa. SPF.

     Adeus Diário.

Mariana S, 6C

Print Friendly

Querida Kate

Happy Valentine's day! 2013 ♥  jacilluch's flickr friends

Creative Commons License jacinta lluch valero via Compfight

     Eu sei que tu não existes na realidade, mas tens sido um bom apoio, para desabafar e contar-te tudo o que tem acontecido.

     Hoje recebi uma carta anónima com uma declaração de amor assinada com uma assinatura parecida com a minha, é o Vítor e ele é um bocado… chato!

     Eu não sei bem o que fazer, porque não sei se ele fez isto a brincar ou a sério, ou então se foi mesmo ele… A letra era de computador, por isso é difícil de saber quem foi… pode ser outra pessoa que não ele e simplesmente ter falsificado a assinatura.  

     Eu estou com imensa curiosidade para saber quem foi… A carta estava tão fofa e ou me estou a iludir, ou essa pessoa gosta mesmo de mim. Apesar de eu nunca saber bem a sensação de ser amada… como como tu sabes, para mim, o amor é uma estupidez, acho que ninguém gosta de mim A minha mãe acabou de me chamar para Eu ir lá abaixo. Volto já, vou fechar-te à chafe, mas não é  por mal , porque  ainda não te contei tudo o que tinha a contar, tenho de fechar por causa do cusco do meu irmão. Bem, a minha mãe já está farta de me chamar, volto já.

Voltei!

Tu nem vais acreditar no que é que acabou de acontecer, eu recebi uma carta dele. .. Mas quem será? Ah, quero tanto saber, vou lear  a carta!

Ò meu Deus, ele quer se encontrar comigo hoje, daqui a 10 minutos, vou-me arranjar e depois, conto. O meu Deus, ele quer se encontrar comigo hoje! Daqui a 10 minutos vou-me arranjar e depois conto-te como foi.

Carolina V, 8B

Print Friendly

Minha Querida Mãe – II


madalena_diario_2

Imagem: Oficina de Escrita

    Ah, Mãe, ele é lindo, que “swag”, ah, Mãe, desculpa, “swag” é estilo, ah ah, é a palavra que agora se usa para estilo.

     Mãe, o pai já está a dizer que o jantar está pronto, sim, Mãe, o pai está a cozinhar, ah ah, então vá, nós falamos até às 18 30.

     Mãe, estou tão feliz, ele partilhou coisas tão íntimas comigo, entre as quais, o pai ter falecido há uns dias! Mãe, e agora, com a minha experiência do que é perder alguém, sinto-me capaz de o ajudar e de o apoiar.

     Mãe, o Papi já me está a chamar, vou saltar para a parte mais importante e quando tiver tempo, explico-te em pormenor.

     Então, um dia, estávamos só os dois no parque e ele disse-me que o ajudei muito e que me tinha tornado a melhor amiga dele. Depois, nas semanas seguintes, ele afastou-se muito de mim e mais uma vez estávamos no spot e o momento finalmente chegou: ele declarou-se a mim e pediu-me em namoro.

     Mãe, agora abordo o tema ” o Amor é tão confuso”: Mãe, foi estranho ele ficar umas semanas sem falar comigo e depois declarou-se!

     Mãe, não tenho mais tempo tempo, tenho de ir provar o petisco do pai. Não estás cá fisicamente, mas o teu espírito permanecerá para sempre no meu coração.

     Amo-te, mulher da minha vida.

Madalena G, 8B

Print Friendly

Minha Querida Mãe

   madalena_diario_2

      Minha Querida Mãe

     Bem, hoje preciso muito da tua ajuda, ai ai, o amor é tão confuso, Mãe, só gostava de ter aqui e dares-me aqueles teus abraços, Mãe, mas nem toda a gente tem sorte na vida e nada acontece por acaso…

     Bem, voltando ao tema que te vinha perguntar: minha vida, lembras-te daquele rapaz de quem te falei na semana passada? Aquele loiro, de olhos azuis, alto, ai ai, com os abdominais tipo Dylan O’brian? Mãe, ah ah ah, o Dylan O’brian é um rapaz famoso pelo qual todas as adolescentes são loucas, ai ai, lá estou eu a desviar-me do tema, mas ele é mesmo giro!

     Então, esse rapaz mudou  de lugar e veio para a minha frente, e pronto, como já sabes, sou muito distraída e, por esse motivo, Mãe, eu comecei a fazer-lhe festinhas nas costas, como o meu antigo colega Diogo gostava que lhe fizesse. Ele, nesse momento virou-se para  trás e começou-se a rir… eu fiquei super- envergonhada, e ele  disse-me que podia continuar, que ele gostava e piscou-me o olho!

   Ai, ele é tão giro, Mãe, eu sei que não o deveria ter feito, mas, minha vida, aquilo, sei que não o deveria ter feito, mas, minha vida, era mesmo um CASO DE VIDA  OU DE MORTE!

     Pronto, ele mandou-me um  um papel, que dizia:

“És muito simpática e essa covinha fica linda quando estás envergonhada.”

     “Nós não nos conhecemos muito bem, mas acho que devíamos começar a falar mais.  Hoje aparece no spot às 17h.”

     Mãe, o spot é um parque que nós temos ao pé da escola. Então lá fui para o parque; fui 15 minutos mais cedo, pois estava tão nervosa e ansiosa que não aguentei, tive que ir! Foi então que o avistei ao fundo…

    Madalena G, 8B

Print Friendly

Página de um Diário Antigo

     Night well

Jos van Wunnik via Compfight

    Estou há tanto tempo na varanda, a contemplar a beleza deste poente interminável e não me canso. Como poderia cansar-me esta visão  da energia indomável da vida?

     Os sons do anoitecer sobem devagar da cidade longínqua, mas são amortecidos ao atravessar o campo: espessura natural de mil folhagens rumorejantes de vida a coar a estridência das máquinas que corroem a alma da cidade na distância.

     Estou há tanto tempo a lançar raízes no silêncio das vozes daqueles que vivem comigo. Vivem apenas, não convivem. Não batem os seus corações pela mesma aventura, pela mesma sensibilidade ao mistério pungente de existir.

     Desfilam imagens repletas de afeto pela minha mente enfraquecida: a infância dos meninos que cresceram voltados na direção de embora, mas conservei o ramalhete dos seus risos na jarra de água fresca do meu coração.

     E ainda o companheiro, o único, a cuja sombra sobrevivo no êxtase da espera. Porque a sua ausência se tornou fogueira, fogo vivo na alma, mais íntimo a mim do que eu própria, inacessível sentido de cada instante, mas fiel e pleno.

     Ainda ninguém chegou para jantar. Aproveito a demora para absorver a paz que rodopia com a ascensão das primeiras estrelas a pique, no céu.

    Que diferença fará que acabem por chegar? Aproximam-se de mim como de um mundo submerso, de que nem adivinham a profundidade nem a audácia. Não veem para lá da estreiteza do seu horizonte, não suspeitam que o próprio infinito se desenrola a seus pés até perder de vista.

    Quem arriscou a vida e a razão no desafio de amar não estará só jamais. Ladram os cães ao fundo, geme o portão, já vêm.

O. E. 

Print Friendly

Um Diário Secreto

carlota_c_6c_escrever

Imagem: Oficina de Escrita

    Olá Diário,

     Hoje foi o aniversário da minha melhor amiga. Ela estava super-contente e a sua irmã mais nova fez um bolo de chocolate ótimo – pelo menos eu adorei. Mas coitadinha, esquecemos que ela vinha, então já não sobrou bolo para ela! Mas eu, para a animar, lembrei-me que a Marta adorava os queques de chocolate  do bar da escola. Então perguntei-lhe se ela queria. Ela já ficou mais contente e aceitou.

     Hoje, finalmente, tive coragem para falar com o giraço da minha turma, mas quando eu fui ter com ele e ele estava com aquela cara linda e o seu sorriso que parece o sorriso que fazem na tv, com o brilho nos dentes, mas, quando finalmente fui em direção a ele, perdi a coragem toda e corri até ao pátio.

      No dia seguinte, planeei um esquema para falar com ele. Fui ao cacifo dele ver do que ele gostava. Tinha lá imensa cor verde, uma fotografia dele a cantar e outra a fazer desporto. Bingo! Encontrei todos os assuntos de que podia falar com ele!

     Mas quando me vinha embora, a minha pulseira da amizade ficou presa num cabide do cacifo e ele estava a vir para ir buscar um livro que tinha deixado. Eu só pensava: “Estou feita! O que faço?”

     Então entrei dentro do cacifo. E quando  estava a pensar no que lhe ia dizer, quando ele me visse, vieram as minhas  heroínas – ou as minhas amigas – para o distrair e eu consegui sair.

    Não demorou mais de um minuto a perceber que o cacifo estava trancado, mas uma rapariga tem sempre um cartão de crédito na mala, então consegui abrir o cacifo e fugir a tempo.

     Às 10h fui para o pátio, o melhor sítio para falar com um rapaz. Tinha um vestido verde, (a sua cor favorita), tinha a minha voz (a fotografia dele a cantar), estávamos ao pé do campo de futebol (um desporto), e consegui falar com ele! Eu acho que foi a melhor conversa que já tive em toda a minha vida. Acho que ficamos amigos.

Beijos e Boa Noite

Carlota C, 6C

Print Friendly

Querido Diário

     Making poetry

     Aurelio Asiain via Compfight

      Querido Diário:

      Na minha última semana, experimentei um tipo de dança: a contemporânea. Em relação à dança, adorei a experiência, pareceu-me magnífica, mas  eu achei estranho  que a música era lenta pois estava habituada  a danças mais mexidas.  

     Nesta atividade, sinto-me bastante descontraída, não estou a pensar na “seca” da escola, porque a escola tem imensas disciplinas no 8º ano e são muito aborrecidas; estar a olhar para o professor fica bastante cansativo.O que eu gosto da escola são as atividades práticas, acho magnífico  nós estarmos a conviver com os colegas.

     A minha outra atividade é o teatro: gosto muito de o fazer,  porque já não sou tão tímida como antes. Na última aula, nós tínhamos que ler um texto que era absurdo e expressar o sentimento que era mandado. No meu caso, foi o medo e, a seguir, tínhamos que representar a pares, a partir dos textos que lemos. Mal posso esperar por Junho: vou apresentar a minha peça de teatro, “O Mistério da Estrada de Sintra”, mas  só em Janeiro é que vou começar a ensaiar.

     Até breve, Diariozinho, as férias estão a chegar.

 Sofia L, 8C

Print Friendly

A Rapariga Popular

     The Architecture of MadonnaCreative Commons License qthomasbower via Compfight

       – A Sério, estou a dizer-te: ela é popular em todo o mundo!

     É incrível, não é? São só coisas deste género que as pessoas dizem sobre mim…

    Às vezes gostava de ser como as raparigas normais… Quando vou para a escola, ninguém está comigo, porque acham que não estão ao mesmo nível que eu, em termos de popularidade.

     Na rua, toda a gente se afasta quando me vêem passar; nas lojas, os vendedores têm receio de não terem estilo suficiente.

     A minha vida é assim: é muito aborrecida, nem amigos eu posso ter. Sou conhecida até na China! É o que acontece às pessoas que têm demasiados talentos…

     Mas hoje, sinto-me com sorte: vou para a escola e vou meter conversa com raparigas e rapazes que pareçam ser muito fixes. Espero que me corra bem…. Estou no carro a ir para a Escola; virar à esquerda e já está, finalmente, cheguei!

    Toda a gente se afastou quando passei pelo corredor; vi um grupo de duas raparigas e três rapazes, consegui reparar quais eram os parzinhos e sobrava um rapaz, o mais giro! Pensei logo:

   – É só para mim! Ele era mesmo lindo…

Vera E, 6B 

Print Friendly

Querido Diário


ECB-elevate-2013-1180 Scott Moore via Compfight

     Querido Diário,  

     Hoje estou aqui para te contar que no domingo vou ao  meu primeiro concurso de ballet. Estou ansiosa, mas acho que vai correr bem estar em cima do palco, a dançar, a ver tantas pessoas a olhar para mim, com olhos que são dois bocadinhos de noite.

     Este domingo vai ser muito especial para mim, por isso vou levar-te comgo para me dares sorte. A minha barriga parece que tem borboletas que vivem livremente, mas dentro de mim.

     Eu queria sentir que estou preparada para entrar como uma gaivotinha que vai aprender a voar. É tão boa esta sensação de que podemos dançar livremente!

    E pronto, querido Diário, vou fechar-te, mas ficas na minha mala, não quero deixar-te na escuridão de uma vida sem luz, sem emoção, sem amor. Por isso, espero que fiques bem e, por agora, adeus! Deseja-me boa-sorte!

Rafaela C, 7A

Print Friendly