Pokémon Go e Eu

 

Tetsujin-28-go Laruse Junior via Compfight

        Existem diversos tipos de Pokémon tais como os de tipo : água, eléctrico, fogo, gelo, psíquico, dragão, voador…

     No Pokémon Go existe sempre um problema que é completar a Pokédex (A Pokédex é um dispositivo que mostra os Pokémon que se captura ou se vê.)

     Nestes dias aconteceu-me um azar muito grande que foi : Estava a passear com o meu pai e com a minha mãe e apareceu-me dois gastly´s se são pokemons de tipo fantasma , depois apareceu-me um hypno que dizia que o cp ( combat power) dele era de “???”.

     No Pokémon Go existem vários eventos (como o de Halloween) que servem para capturar Pokémon que não se encontram ou que se encontram dificilmente.

    Os mais interessantes Pokémons que eu já apanhei que eu queria muito foram estes do Halloween: são tipo fantasma que parecem um gás roxo, têm a forma de uma bola roxa. Estavam em Cascais, na Praça Luís de Camões.

     Aprecio neste jogo eles trazerem um jogo de que muita gente gosta à realidade; eles fazerem as pessoas saírem á rua só por causa de um jogo. Houve crianças no hospital que saíram das suas camas, só por causa do jogo.

     Falta neste jogo: os Pokémons da segunda geração; o melhoramento da Pokémon Go plus – uma pulseira que indica quando um Pokémon está perto ou não.

João F, 7B

Rumo à Vitória

'The girls are back in town' ad

anabananasplit via Compfight

Um Momento Marcante do Ano

    Foi o Sarau: na semana do Sarau, eu e dez minhas grandes amigas faltamos uma semana e meia às aulas para criar a coreografia e ensaiar a dançar! Os ensaios eram muito divertidos.

   Se o Oitavo fosse um Animal

    Seria um rato, porque é básico. Achei o mais fácil deles todos. Ao mesmo tempo, fartei-me mais, fiquei mais cansada. Nos três últimos testes já não estudei.

     Hoje fizemos o jogo da mímica na aula de Matemática e eu fiz um caranguejo e uma tartaruga. Eles adivinharam: a Madalena e o Tiago. Depois jogamos ao telefone estragado.

O Ténis e a vida de Estudante

     No estudo cheguei a chumbar e desde que comecei a competição do ténis, as minhas notas subiram muito e consegui alcançar boas notas. O ténis dá-nos mais autonomia, mais responsabilidade: saímos sempre às 8 30, temos sempre menos tempo, já sei que tenho mesmo de fazer as coisas naquele tempo limitado.

Uma Mudança Surpreendente

    Tornei-me mais simpática para as pessoas.

Projetos para o verão 2016

      Ganhar o Nacional, em Julho. Já estou em treinos intensivos; quero fazer uma boa classificação  nos 3 Campeonatos internacionais. Em Setembro vou faltar um mês inteiro às aulas.  Vou ter torneios até Setembro. Venho aqui treinar ou no Jamor. O nosso clube vai treinar ao Jamor.

Como se Progride no Ténis

     Progride-se no ténis em aspectos técnicos, psicológicos e físicos.

     Fisicamente, temos de correr, estar sempre em movimento, ter resistência física.

    Tecnicamente, temos de aperfeiçoar a direita, a esquerda, o smash, o serviço.

   Num jogo, há que  estar sempre positiva, saber onde se mete a bola; o ténis é muito psicológico: se uma pessoa falhar quatro bolas seguidas, é muito difícil ficar indiferente na 5ª jogada. Pode faltar um ponto para fechar o jogo e, se não fechar, pode perder: é uma pressão terrível.

    Pressentimentos

     Como sabemos que algo vai acontecer: trabalhando, se queremos muito algo, para alcançar, torna-se um objectivo. Os sonhos que estão no horizonte mudam sempre, depois de os alcançar. Neste momento já mudaram, já alcancei alguns.

   Para que serve Sonhar Acordado

      As pessoas gostam de sonhar, num momento de relaxamento, sonhom o que gostariam de ter ou de ser…

Conselho a um Adulto

    Um adulto deve ter filhos para não perder o contacto com a sua infância.

Uma Pergunta que às vezes nos Persegue

    Como será lá em cima?

Votos para o Verão 2016

     Ganhar o NACIONAL!

(Ditado) Luisinha R P, 8B

Eu e o meu Irmão no Minecraft

    minecraft_YouTubeImagem: Minecraft – You Tube

    Ontem, dia 24 de Janeiro, fomos à FNAC comprar um jogo para a PSP4. O meu irmão disse que era ele a pagar, mas depois eu tinha de lhe dar 12,50 euros.

     Quando chegamos a casa, eu tive de estudar das 3h às 6h e depois fui jogar com ele.  Nós estávamos a jogar Minecraft: fizemos uma casa numa montanha.

     Ele estava a tentar fazer uma mina mais funda do que o mar. Depois fez uma casa no cimo da montanha. Eu construí a casa: primeiro fiz um buraco na montanha com uma picareta, depois troquei a pedra por madeira.

     Fiz o meu quarto e depois fui plantar cenouras, trigo e açúcar.

Margarida L, 5B

A Consola Virtual

 A Quebra do Tempo

       Imagem: Quebra do Tempo – Minecraft

     Este jogo trata de uma consola que ganha realidade;  reúne-se um grupo  de sobreviventes com caçadeiras a tentar pará-la; encontram um cientista que tem uma fórmula para conseguir parar essa máquina. (Ingredientes da fórmula: um deles é água.)

      Futuro e o passado foram destruídos por uma magia, porque o passado roubou o nexo do futuro e o futuro roubou o nexo do passado e estão em luta. As peronagens são pessoas futuristas e magos, reis, ferreiros e aventureiros do passado.

     A pessoa do futuro, Feromonas,  tem um dragão do passado que encontrou, mas não o pode usar na guerra nem voar com ele; se o fizer pode destruir os nexos e  o mundo acaba… Tem um canhão de água que, quando leva com a água, arde; possui uma armadura robótica com lança-granadas e metralhadoras que é gigante, entra-se nela e controla-se.

     A pessoa do passado – “Authentic Games” –  tem joias mágicas: a armadura sagrada, o martelo da justiça,  luvas que lhe transmitem mais velocidade e um colar que lhe dá mais força. Tem uma capa de invisibilidade que não funciona, apesar de ele quase ter morrido para a conseguir. Para isso, conseguiu auto-invocar-se, juntamente com um súbdito, para o inferno, onde matou um demónio para obter a essência da invisibilidade e colocou-a numa capa para poder usá-la.

    Os dois precisam dos nexos: têm de ter dois nexos no mundo deles; se não tiverem nenhum, desaparecem; se só tiverem um, há uma magia que tenta destruir o mundo deles com meteoritos, furacões e tsunamis.

    A pessoa do passado é um rei; a pessoa do futuro é um aventureiro futurista. Distinguem-se pelos objetos que usam e pela forma como se vestem.

     Cada nexo é uma parte – em corte vertical –  de uma espécie de ampulheta mágica. Se passarem três anos sem o nexo estar completo, só têm mais duas semanas para o resgatar, senão desaparecem no tempo com o seu próprio mundo.

     A ação, no futuro, decorre em Cubetron – a cidade flutuante do futuro, que parece uma nuvem meia destruída, com casas altíssimas, mas só com rés-do-chão, uma espécie de rectângulos brancos; existe ainda  um veículo público, meio destruído,  sem eletricidade, onde umas argolas anti-gravitacionais permitem que o veículo flutue, mas não pode ser utilizado porque está avariado.

     A ação, no passado, decorre ainda no Reino antigo de Gohemlock que possui um castelo meio destruído,  uma muralha com alguns buracos por onde se consegue passar e crateras a arder no chão.

   Zombies, esqueletos com flechas, aranhas gigantes, Crippers  – são uma espécie de corpo retangular com cabeça quadrada e quatro patas –  que explodem quando nos aproximamos – são algumas das figuras que os heróis futuristas e passadistas enfrentam.

Ditado por Miguel F, 7B