As Estrelas Desaparecem?

   uma menina ue olha para o céu e tem uma enorme estrela à sua frente

   Imagem: Gentileza da Autora

    Sinto que a cada dia que passa as estrelas desaparecem e que não posso fazer nada por isso,mas ao mesmo tempo também acho que sou especial,  a única pessoa no mundo que sabe, ou melhor, que pensa que se passa alguma coisa com as estrelas…

     E eu tão triste por saber que não posso fazer nada por isso…

     Eu também acho que não posso confiar em ninguém, pois toda a gente ia achar completamente absurdo e que eu estava a imaginar demais.

    Os meus pais já me disseram que isso das estrelas desaparecerem “não acontece”, que eram as nuvens ou a claridade das cidades que não as deixavam ver, mas eu, sempre de espírito aberto, pensei sempre que não, que as estrelas desapareciam por causa de alguém ou de alguma coisa.

     As estrelas são irmãs das constelações, as constelações são primas do universo e o universo é nosso pai.

      Será que um dia, quando as estrelas e as constelações desaparecerem, todo o universo desaparecerá e tudo o que existe ficará resumido a uma mancha escura no céu? Será … será…

     Ninguém sabe o que irá acontecer no futuro, mas eu sei que irá ser fantástico com estrelas ou sem elas.

     O Sol é uma estrela muito pequena, por mais que pareça muito grande.

     O meu pai já me disse que as estrelas, quando desaparecem, demoram a parecer ao olho humano, pois a luz dessa estrela que desapareceu continua seguindo o seu caminho até chegar a nós.

Carolina C, 6B

Mãe, Adoro o Teu Sorriso!

06.Roses.1300BlockTStreet.NW.WDC.8May2012Creative Commons License Elvert Barnes via Compfight

    Mãe, admiro-te por seres tão amigável e por gostares tanto de nós (o Pai é igual).

   Eu adoro quando tu e eu e a Mariana estamos todas na cozinha a fazer bolos. Eu adorei quando tu me ensinaste a fazer ovos mexidos.

     Mãe, eu adoro quando te esforças para me perceber. Por exemplo, quando eu aprendi a fazer contas de dividir. 

     Mãe, lembras-te, nas férias de verão, quando tu me ajudaste a superar o meu medo do 5º ano? Eu acho-te muito independente e, por isso, sinto-me segura. Admiro-te quando me ajudas a estudar!

    Mãe,  Adoro o teu sorriso alegre e amigável. Eu adorei quando fomos brincar as duas nas ondas! Eu acho que herdei de ti o meu gosto de pintar. Eu sinto que, quando tu eras pequena, tinhas muito jeito para desenhar e os mesmos gostos que eu. Por isso acho que, o que tu desenhasses agora, iria ficar belo.

    Agradeço-te por me teres ajudado nos meus momentos de dificuldade e fico feliz por fazeres de mim o que sou. Neste teu Dia, desejo-te uma vida muito feliz, como eu me sinto a desenhar.

Carolina C, 5B

O meu Pai é forte como uma Montanha

 

     Dad and Daughter on an Adventure

Creative Commons License Colin Bowern via Compfight

    O meu Pai é alto, magro e forte como uma montanha e é muito resistente. ele é um pouco moreno, tem um contorno de rosto suave e cabelo grisalho; uma boca sorridente e olhos castanhos escuros, tal como um tronco de uma árvore.

      O meu Pai é muito sorridente e faz com que nós alcancemos os nossos objetivos: por exemplo, ele combina com a minha Mãe para ela estudar comigo e depois pede-me resultados acima de setenta por cento.

      Gosta muito do seu trabalho na natação e na defesa do ambiente. Gosta muito de ouvir música dos anos 80, como as que dão na FM80. O meu Pai gosta imenso de correr, ver tv, visitar sítios connosco,  como o Centro Cultural de Belém ou monumentos e de viajar, como ir à América, à Disneylândia, que foi onde mais gostei de ir.

     Ele é uma pessoa responsável, que se preocupa muito connosco. É tão corajoso, que, quando estamos com ele, faz de tudo para nos divertirmos, mas em segurança.

      Nunca esquecerei quando o Pai saltava comigo nas ondas, ou quando o Pai e eu descemos uma montanha, de trenó, na Serra da Estrela. 

     Quando o meu Pai for velhinho, eu irei ajudá-lo no que for preciso, e espero que ele goste tanto dos seus netinhos, tal como ele gosta de mim. 

     Pai, neste teu Dia, desejo-te um resto de uma vida feliz. Agradeço-te tudo o que fizeste por mim.

Carolina C, 5B 

Enigmas de Salamanca

Imagem: Denibatista Flickr Creative Commons

     Eu gostei muito dos meus presentes, mas o que mais gostei foi de um jogo para a Nintendo.

     Gostei imenso de ir a Salamanca.Lá havia muitas igrejas, tão bonitas, tão incríveis, que nem sei explicar.

     Na velha Universidade, descobri uma rã em cima de uma caveira; essa rã era especial, dizem que a pessoa que conseguir encontra-la sem ajuda de ninguém terá muita sorte para o resto da vida.

    Também descobri um astronauta numa Igreja muito, muito antiga e fiquei a pensar como é que eles esculpiram aquilo, se nem sabiam o que era um astronauta ou se alguém do futuro lhes tinha deixado a sua marca…

     Eu adorei o Ano Novo: fui a casa dos meus vizinhos. O pai deles disse-nos para não atirarmos serpentinas para cima dos carros estacionados, mas nós atiramos à mesma! 

(Imagem: Misterio Desocnocido)

Carolina C, 5B

Vivências de Natal

 Christmas Lights

Guido Gloor Modjib via Compfight

     Eu adoro o Natal, pois ele faz com que a minha Família se junte toda.

    Eu acho que o Natal serve para ajudar as pessoas, pois é o Nascimento de Jesus e Jesus ajudava as pessoas.

     Eu gostava de ir à Serra da Estrela. No Natal, costumo estar com os meus avós, primos e os meus pais.

     No Natal eu gosto de construir a árvore de Natal, mas quando eu me magoo, eu não gosto, pois eu não consigo encaixar os ramos, mas chamo o meu Pai e ele encaixa aquilo num segundo.

     Houve um ano em que a minha mãe meteu bolachas na mesa e nós saímos de casa; quando voltamos, os biscoitos tinham desaparecido!

    Às vezes penso – quando estou na cama e não consigo adormecer – se eu fizesse algo, por exemplo, se fosse por um caminho, mas recuasse no tempo e fosse por outro, eu ficava confusa sobre se o meu destino era mesmo esse: mudar o que aconteceu…

Carolina C, 5B

Parecia Voar no Céu!

   Trek bike

Jim via Compfight

      Eu aprendi a andar de bicicleta  este verão, pois todos os meus amigos já estavam a andar e eu tinha de ir de trotinete. Então, eu cheguei ao ponto em que estava farta e decidi aprender a andar. Quando tentei, consegui logo e soube-me tão bem! Parecia que estava a voar no céu!

      No meu Campo de Férias, eu diverti-me imenso, mas a melhor parte foi quando descobri que a minha amiga Carolina estava a namorar com o Rafael, um menino francês. Eles eram perfeitos um para o outro, mas tiveram que acabar pois o Rafael tinha de ir outra vez para França, porque as férias tinham acabado! Nós ainda tivemos uma ideia, mas eles não quiseram.

    Eu gosto imenso do 5º ano, acho que é mais fácil do que eu pensava e espero que  as pessoas da minha turma achem o mesmo.

Carolina C, 5B

A Beca

brinkley romp one

Creative Commons License patchattack via Compfight

     O cão do meu tio é um cão salsicha. É muito comprido e é castanho claro, uma cadela, muito ativa e fofa.

      Eu conheci-a quando o meu tio foi ficar 6 meses a passar férias na minha casa e trouxe o cão. Ela chama-se Beca.

     A primeira vez que a vi, tive medo, porque ela saltou para cima de mim e latiu.

      Lembro-me quando ela saltou para cima da minha cama e se enrolou no meu edredon.

     Se ela ficar doente, eu vou fazer de tudo para que ela se cure. Ela faz-me feliz, porque sinto-me bem com ela.

Carolina C C 5C

Ana Clara

ana_clara_vieira_mini

Imagem: de Ana Clara  R

     A Ana Clara é bonita e alta para os seus onze anos. O seu cabelo é comprido e escuro, os seus olhos são castanhos-claros e os seus lábios são rosados e fininhos. O nariz é perfeito, direito e bem desenhado.

     Ela é a minha melhor amiga; bastante inteligente, gosta muito de desenhar, é maravilhosa, tem um talento magnífico.

     Ela pertence a uma banda de música com umas colegas de oitavo ano, com um professor que as orienta. Ela é maravilhosa a cantar, tem uma excelente voz, toca muito bem guitarra.

     Adoro ir a casa dela, tem sempre atividades muito divertidas para fazer, como, por exemplo, ficamos a conversar horas sem fim, jogamos ao “quarto escuro” no sótão e fazemos “caça ao tesouro”.

     Espero que fiquemos melhores amigas para sempre.

Carolina C, 7B