O Animal Real que foi Inventado

cat #653

K-nekoTR via Compfight

     Era uma vez um animal que tinha umas orelhas de lince Ibérico, corpo de chita, carapaça de tartaruga, força de elefante e riscas de tigre.

     Um dia, ele foi passear e o lince Ibérico, o tigre comum, a chita comum, o elefante comum e a tartaruga comum disseram:

     – Que estranho! Foste inventado pelo cientista mais maluco que existe!

     – Eu sou como quiser. Hum! – Respondeu. – Vamos fazer o concurso do melhor animal. Concordam?

     – Sim! – Afirmaram.

     – 3…2…1…Vão!

      Correram. E o animal estranho e a chita ganharam. E atraíram todos os animais a gritar sem parar:

      – São os melhores do mundo!

       E quem ganhou foi o estranho animal. Mas quem será o dono? Na etiqueta diz que é o Miguel M.

(Teste de Português)

Miguel M, 5A

A Aventura da Pomba

Pigeon vol

Jacques Caffin via Compfight

       Era uma vez uma pomba. O seu nome era Flyer.

     No dia 1 de Dezembro de  2016, ela acordou às 5 horas.

    – Ainda é muito cedo! – Exclamou o Flyer.

     Apanhou as suas Adidas e subiu as escadas. Na cozinha, pegou no pão e comeu-o ao pequeno-almoço. Depois, pegou na mochila e arrumou as Adidas na mochila. Um amigo dela disse:

     – Acho que vais à Serra da Estrela.

     A Flyer respondeu:

     – Sim, mas para fazer o quê?

    – O amigo deu a Flyer muitos euros.

     – Obrigada! – disse a Flyer. E voaram.

     A 1234 km da Rússia, o vento estava tão forte, que a Flyer achou que já estavam em Portugal. Mas ela voou com o vento e… já estava em Tchernobyl!

     E a Flyer voou para a zona de exclusão. Quando atravessou a ponte Prypiat, encontrou um brinquedo, uma espada de plástico e continuou. Em Kopachi, encontrou um gato que queria comer a pomba. Flyer fez isto: voou e espetou a espada no olho do gato. O gato, sem olho, gritou e correu.

     Passada uma semana, a 8 de Dezembro, ela chegou a Portugal, à Serra da Estrela. Pagou o quarto do hotel e foi para a cama às 23h 50.

(TS de Português) Svetlana T, 5B

 

O Gato Frederico

Wanna be your friend !

Rinaldo R via Compfight

     O Gato Frederico tinha muitos amigos.

     Certo dia, Frederico estava a brincar com um dos seus amigos, que era um ratinho pequenino e, sem querer empurrou-o, mas aproveitou e comeu-o, pois ficou com a impressão que ele lhe tinha saltado para dentro da boca.

    O Frederico, ao reconhecer o disparate que tinha feito, começou a chorar…. O João ouviu-o a chorar e perguntou o que se passara, mas Frederico pensava que João era má pessoa e nunca tinha ido com a cara dele.

  
     Passado algum tempo, Frederico perdera todos os seus amigos, por ter comido o Titio…
     Frederico pensava na sua vida, no parque; o João ia a passar e viu-o sentado. Decidiu dizer-lhe que o amigo Titio estava vivo e que se ele abrisse a porta, os seus amigos estariam todos ali.

    Isto quer dizer que não podemos julgar os outros.

                                                                                                       Carolina F, 6C

A Salvadora

     animais_salvos

   Imagem: La Ferme des Réscapés

     Andava eu a passear com os meus dois amigos pela rua da Carne Assada, em Sintra, quando um dos meus amigos viu uma cobra!

     Era preta, ondulada, pois estava a fugir, e tinha cerca de 80 cm de comprimento com dois dedos de grossura. Rapidamente, eu peguei numa rede e apanhei-a.

    A cobra tentou trepar a rede e nós desatamos a gritar, porque ela estava perto de um pé de um amigo. Então, gritamos todos!

    Uma velhinha ouviu e saiu de casa a correr num passo inseguro . Depois convidou-nos a entrar e mostrou-nos os seus animais. A senhora tinha setenta anos e adorava animais. Ela dedica-se a salvar animais em perigo de vida.

     Contou-nos que tinha comprado um pónei aos ciganos por um balúrdio, só porque ele tinha uma doença nas patas. Mostrou-nos Alces, bambis, cavalos, porcos, patos, pintainhos e patos bebés.

    Era uma senhora muito boa para o ambiente. Ela criou uma espécie de lar de terceira idade para animais. A Quinta da Portagem que herdamos dos meus avós, fica mesmo ao lado e nós nem sonhávamos que ela protegia aqueles animais todos!

Alex, 5C

Porque é que os Animais são Fixes

     A Long Time Away From New Zealand

Trey Ratcliff via Compfight

     Os meus animais preferidos são os cães e os gatos, pois acho que são muito fofinhos.

     Penso que os animais não devem ser maltratados, porque eles são como se fossem humanos; também se fôssemos nós, não gostávamos que nos tratassem mal.

    O animal que eu acho mais bonito é o cavalo. São muito belos os saltos que eles fazem e o encanto de como lhes preparam as crinas. O que eu mais gostei, quando passei um dia a dar conta dos cavalos da minha avó foi quando estive a pentear as crinas e a montá-los.

     A experiência de montar a cavalo é fabulosa, porque estamos a montar nós sentimos os ossos deles a moverem-se e faz um pouco de impressão, mas é divertido na mesma. Quando eu caí do cavalo não me magoei, mas o cavalo ficou muito triste e começou a gemer um bocadinho e eu pus-me em pé e ele ficou muito contente e continuei a montar.

     O animal que eu acho que deve passar o dia a dia connosco é o cão porque se nos acontecer alguma coisa, o primeiro a preocupar-se é o cão. Mas também, quando é preciso, atacam as pessoas que estão a fazer mal a alguém conhecido.

    “Os cães  nunca mentem quando falam de amor” pois eles são aconselhadores perfeitos sobre o amor, mas se têm dúvidas podem ver uma série na televisão, “o meu cão tem um blog”, no Disney Channel.

     Quem leu este texto, nunca se esqueça de tratar bem os animais, porque eles são humanos como nós.

Madalena C, 6A

África e Kevin

     kevin_2

Imagem: Kevin Richardson

     Em África, tudo é maravilhoso, quando Kevin foi para lá, tudo e todos ficaram muito melhores. É um senhor que trabalha com animais no seu próprio terreno. Chama-se Kevin Richardson e anda sempre com leões e leoas. Vai todos os dias correr com eles e ainda os leva para casa.

    Ele criou dois leões bebés, que se tornaram chefes de um bando. Ele tem uma casa lá dentro num terreno gigante onde estão no total 36 leões e leoas.

     Mas há muitos mais animais: chitas, hienas, leopardos, etc

      Um dia, o Kevin estava a passear com um leão e uma leoa. Quando ela estava atrás de um leão , a andar, a leoa saltou upara as costas dele e ele caiu no chão, mas ele não se magoou.

      Não se esqueçam, vão ver o Kevin com os seus melhores amigos de quatro patas.

Margarida l, 5B

Carta ao Zoo

The main mane. egnilk66 via Compfight       

            Zoo de Lisboa, 4 de Outubro de 2005

     Queridos Caçadores:

     O Zoo adorava, se pudessem, parar de caçar animais, mas não é só um, são todos! Principalmente, o leão mais bonito que temos.

     Se fizessem isso, podiam vir trabalhar connosco para o Jardim Zoológico. Podiam cuidar dos animais, não levar nenhuma arma e não os ameaçar.

     Continuando, vamos falar de animais: os linces são animais fantásticos, com aquelas orelhas pontiagudas…

     Obrigada e lembrem-se:

Não matem os animais!

Os Responsáveis do Zoo

Margarida L, 5B

Liberdade ou Cativeiro para os Animais?

   Francis i linx

Teresa Aragó via Compfight

      Em relação à vida dos animais, considero que devem viver, às vezes, em liberdade e, às vezes, em cativeiro.

     Em primeiro lugar, eles devem viver em liberdade até a sua classificação ser de animais em “perigo”. Aí devem estar em cativeiro.

     Em segundo lugar, os que não estão nessa classificação devem estar em liberdade, pois têm mais espaço e mais comida e estão no seu habitat natural.

     Finalmente, os que estiveram em cativeiro, já podem ir para a liberdade, pois já se reproduziram muito. Por exemplo, o lince Ibérico, estava em cativeiro; os que se reproduziram foram libertados num Parque Natural e depois soltos para o seu habitat.  

     Por todas estas razões, eu acho que os animais devem estar, por vezes, em cativeiro e, por vezes, em liberdade.

Afonso C, 6A

Eu Sou a Pepa!

     Happy hollow sparkieg via Compfight

     Olá, eu sou a Pepa!

     Adoro escrever, tenho dois aninhos e sou uma Jack Russell um pouco maior do que devia ser. Muita gente diz que o meu nome devia ser “Pirata”, mas eu prefiro “Pepa”.

     Tenho o meu corpo todo, mas todo, branco, tirando o meu olho esquerdo, que é preto. O meu pêlo é fino e curto; o focinho, como as orelhas, é pequeno, e os meus olhos são castanhos.

     Tenho um companheiro que me está sempre a aquecer quando me vou deitar, é como se fosse meu pai. Gosto muito de bolas e adoro os meus donos!  Sou muito dorminhoca: consigo dormir um dia e uma noite. Às vezes faço asneiras: por exemplo, escavar buracos no jardim, saltar a vedação para ir até ao Parque vizinho… Gosto de brincar ao “braço de ferro”, mas improvisado. Adoro que o meu dono Tomás me atire o peluche: corro e devolvo o meu peluche ao dono. Quando os meus donos estão a ver televisão, eu peço para ir para o sofá e faço beicinho: às vezes eles deixam, outras não.

     Quando eu for velhinha acho que os meus donos vão ter muito cuidado comigo: levar-me ao veterinário, dar-me todos os remédios e todo o carinho.

     Para mim, ser cão é muito elegante, pois os donos dão-nos muita coisa boa. Se eu tivesse uns donos maus, aí sim, preferia não ser cão. Cá para mim, penso que nós existimos para fazer as pessoas mais felizes.

Tomás G, 5C

Eu Sou o Bongo

Old pup TheGiantVermin via Compfight   

     Olá, eu sou o Bongo! Sei que não era de mim que estavam á espera, porque este blog é do meu amigo Scup.

     Já que o meu amigo disse como era, eu também vou dizer. Tenho altura média, sou bem proporcionado. O meu pelo é curto e espesso, é castanho clarinho numas partes, sou loiro e as minhas donas dizem que o pelo da cabeça é mais fofinho.  Tenho orelhas caídas. Os meus olhos são castanhos amarelados e têm uma expressão meiga. No meio do meu pescoço tenho uma coleira de metal, com uma chapa em forma de bola, com o meu nome e o número do telemóvel da minha dona.

     Adoro brincar ao futebol e ao “busca”, com a minha dona preferida – Carlota -. Às vezes, quando as minhas donas simpáticas estão na piscina e elas pegam na bola e atiram. Adoro a minha casa: tem um jardim enorme, o que é bom para eu brincar e correr. Mas há um sítio onde eu só fui uma ou duas vezes é 0… 0 … o… andar de cima.

Tam, Tam, Tam…

     A minha família é grande: tenho sete donas, de 54 anos a 1 mês e tenho quatro donos, dos 53 aos 19 anos: um está sempre lá em casa e os outros não. A minha preferida é a Carlota; ela não consegue ralhar comigo a dar palmadas, porque me adora. Tem loucura por me dar muitas festinhas. Sempre que ela está desanimada, vem brincar comigo, para se esquecer dos seus problemas e eu faço-lhe a mesma coisa. Não sei como é que iríamos viver separados! Eu já perdi dois amigos: o Dengo e o Scone – não vou perder outra – e tenho imensas saudades deles!

     O Scup vem aí, por isso não posso continuar… Adeus, adorei falar com vocês!

Carlota C, 5C

O Pónei e a Laura

20130125_132717_12Creative Commons License Shagshag via Compfight

       Era uma vez uma menina chamada Laura; ela adorava campo e animais.

     – Eu daqui a 10 dias faço anos, Mãe.

     – Pois é, filha.

     Passados dez dias, a Laura fazia anos e fez uma festa divertida no Parque das Palmeiras.

     A Mãe ainda não lhe tinha dado o presente de anos, e ela já estava a achar estranho.

     Quando os amigos foram embora, a Mãe deu o presente; ela ficou de boca aberta e exclamou:

     – Mãe, isto é um pónei!

     – Sim, filha.

      – Ah, ah, ah, ah! Eu tenho um pónei, eu tenho um pónei! Ah, ah, Iupiiiiii, Eh, eh!

     – Então, filha, gostaste?

      – Sim, Obrigada.

      O Pónei e Laura fizeram imensas aventuras: foram a Sintra, foram a Cascais…

      – Pónei, acho que temos de ir a Belém.

       E ele relinchou de alegria.

       Eles foram e foram… até que chegaram a uma Gruta, onde o Pónei ficou preso e magoado.

     A Laura ficou aflita mas foi tratá-lo e depois foram para casa. E a Laura contou tudo o que tinha acontecido à Mãe.

Carolina S-C, 5C

Animais Favoritos

 Bucking Mad
Creative Commons License Photo Credit: Marc Soller via Compfight

     O meu animal favorito é um tigre bebé, porque é muito fofo. O lobo bebé é o animal mais bonito.

     O cão é o animal preferido para o dia-a-dia porque podemos sempre brincar com ele.

    O cavalo preto é o meu ideal; a sua habilidade especial é dar saltos sobre a água; já montei muitos cavalos e já fiz alguns torneios. O cavalo que me marcou mais foi o Flecha, porque era muito rápido, era do dono da escola e ninguém, mesmo ninguém, nem o próprio dono, o conseguia montar, apenas eu o conseguia, pois ele era muito rebelde e ele sentia a minha rebeldia.

     Os cavalos são muito meigos; os cavalos são o símbolo da liberdade.

Bernado M 6C 

O Meu Animal Favorito

Este texto foi escrito por Mariana M 5b 2011-12

O Leăo Marinho é o meu animal favorito, porque é um animal bonito, inteligente e capaz de fazer coisas extraordinárias. O Leăo-Marinho é cinzento acastanhado, com bigodes e duas orelhinhas pequeninas. As suas patas traseiras săo duas barbatanas como as das morsas. Esta espécie vive nos oceanos de todo o mundo. Eu gostava de ser um leăo marinho, pois assim, podia descobrir todos os tesouros que existiam debaixo de água.

     Eu năo mudaria nada, nele, pois ele é muito bonito como é. Eu acho que o meu animal favorito năo está em vias de extinçăo porque eles estăo epalhados por todo o mundo. Os caçadores furtivos săo uns falhados, porque ao matarem os animais năo ganham nada com isso.

     Os animais existem porque sem eles o mundo era diferente. Por exemplo: as moscas fazem muita diferença, pois sem elas tínhamos muito lixo, proque as moscas alimentam-se dele.

Mariana  M 5B 2011-12