A Espada do Rei

     quadro antigo de d Afonso Henriques com o escudo das cinco quinas e a espada

   Imagem: wikipedia  Atribuição: CC

      A Espada de D. Afonso Henriques, exposta no Castelo de Guimarães, era pesada, com uma grande e afiada lâmina de ferro antigo, com proteção para a mão, no seu punho.

      Quando peguei na espada, pensei: ” Como é que D. Afonso Henriques conquistou Portugal, sempre com a mesma espada? Que impressionante!

     Eu acho que a espada de D. Afonso Henriques simboliza a conquista do Reino Português.

      Eu penso que ela nos transmite uma pequena mensagem: “Nunca Desistas dos Teus Sonhos”.

Rafael Cy, 6C

“Innovation Project” Sem. 1- O Que é Inovação?

Partilhamos aqui a I Parte do nosso trabalho, desenvolvido em Inglês, para a semana 1 do Innovation Project, na companhia de cerca de 500 Escolas de 83 Países: O que é Inovação?

A Inovação Impulsiona as Taxas de Emprego

 

mapa e gráfico com países da europa, as suas bamceiras

                                    Escola Embaixadora do Parlamento Europeu CAD                              

      Em Portugal, uma real revolução em relação aos empregos está a acontecer agora: graças à evolu ção da ciência de Computadores. Uma era totalmente nova de Conhecimento está em evolução. A Tecnologia está a ajudar a distribuir o emprego, à medida que cada vez mais pessoas desejam trabalhar nesta área. 

Francisco B, 8B

A Inovação também vem através do Desporto

    A Inovação também vem pelo Desporto. Torna as pessoas mais saudáveis e fisicamente mais fortes, more capacitadas para realizar diferentes espécies de trabalhos. O Desporto também nos permite desenvolver a amizade e a confiança mútua, graças ao trabalho de Equipa.

Pedro C , 6B

Sailing for Peace

Campeonato Português de Juvenis – Navegador: Tomás g

     Para crescermos mais fortes temos de estar unidos como se fôssemos uma Equipa Mundial Global, de modo a podermos ir mais fundo na evolução. Hoje em dia, o nosso mundo está esgotado e com uma fraca autoimagem.  

     No âmbito da Navegação, não existem diferenças: cada um sabe que pode ganhar. Sempre que eu participo num campeonato de Optimist, aprendo coisas e tendências novas com os meus amigos de outros países, alargando assim o meu horizonte para o sentido de uma Cidadania Global.

Tomas G, 8A

Questões Emergentes – Inovar a Escola

Atividades Favoritas

bola de rugby branca e azul sobre a relva

     Pixabay Atribuição CC0

     Jogar Rugby, jogar com equipas: temos de ser muito unidos, temo de desenvolver aptidões físicas e ganhamos mais facilidade em realizar trabalho de Grupo.

Valor de Março: o Perdão

árvore esbatida pelo nevoeiro e a frase sobre o perdão

Imagem: Flickr  Autor Hajnalka Mahler Atribuição: CC2.0

       É algo que fazemos; por exemplo, houve um aluno que se meteu numa luta com o meu amigo: fazemos o perdão para curar uma relação. É mais fácil perdoar do que ser perdoado. Às vezes ficamos tristes, ou com rancor, porque precisamos de ser perdoados. Podemos agradar uma pessoa ofendida com um presente, por exemplo, ou fazer algo que a pessoa gosta muito; por exemplo, a pessoa adora um livro, uma imagem desse livro: nós podemos desenhar essa imagem.

           Inovando a Escola

gruta da fada em sintra

     Gruta da Fada Flickr Ivo Gomes Atribuição CC2.0

     As Fichas pequeninas foram uma estratégia inteligente. Também substituímos um teste por um Trabalho de Projeto. O nosso foi sobre uma Visita de Estudo no Museu de Mitos e Lendas e no antigo Museu do Brinquedo.

      O Trabalho consistiu em escolher um mito ou lenda e escrever uma carta ao Diretor do Museu. Nós escolhemos “A Gruta da Fada” na Serra de Sintra. Investigamos na Net sobre mitos e lendas do museu; tiramos tópicos e desenvolvemos. Aprendi a trabalhar em Grupo; todos nós redigíamos.

      Seria interessante fundarmos uma Associação de Estudantes, Clubes de Xadrez, de Escrita, de Música, de Dança; outros podiam estar relacionados com conteúdos de disciplinas combinadas entre si. Também podíamos montar umas barraquinhas, por exemplo, para explicar o funcionamento dos vulcões.

Novas Questões Emergentes

desenho de homem deitado a dormir com um computador ao colo de onde saem toda a espécie de sonhos

Pixabay    Atribuição CC0  Autor Arupinum

     Como é que os nossos Pais decoram os caminhos na estrada? O meu Pai também perguntava isso ao meu Avô.

     Por que é que ficamos um bocado estranhos na adolescência, como por exemplo, um jovem que eu conheço e que agora responde mal às pessoas?

     Para onde vão as pessoas que morrem?

      Imagino que estou em coma e que esta vida é um sonho. Estou agora a viver mas posso, na realidade, estar em coma. Este é um problema que não pode ser resolvido racionalmente.

      Imagine-se que morremos e havia um céu e um inferno: vamos para o céu e este pode ser o inferno; estou no céu e a viver uma vida boa, mas nunca é ótima. Por exemplo, tens uma pessoa que amas imenso; tu és imortal e essa pessoa não é. Porque vai ficar sempre com ela dentro de si, isola-se e a sua vida não faz sentido, mesmo que seja eterna.

Conversas na Oficina

André R, 7A

O Convívio Solidário: Transformar o Mundo

mapa mundi, a cores, com o azul forte para os oceanos

     Imagem: Wikipédia Creative Commons Attribution 3.0 License.

     Na Festa da Comunidade Educativa, dançamos e tocamos músicas, além de propormos muitas atividades em que ajudamos os mais necessitados, pois paga-se o bilhete de entrada no Sarau e a participação nas atividades e no bar da Festa. Com cada tema anual, este ano, “Ser +”, celebramos na Festa, um ano inteiro de trabalho e de comunicação entre nós.

     O valor deste mês é a Solidariedade.

     Podemos vivê-la, a nível pessoal, quando as pessoas que vivem melhor ajudam os mais necessitados; podemos dar, por exemplo, comida; podemos dizer “Bom Dia” e conversar; podemos transmitir Alegria.  Podemos não ser desagradáveis com as pessoas de quem não gostamos.

      A nível de Escola, juntamo-nos todos e conseguimos ajudar quem precisa de nós, fazendo Festas em que nos divertimos, mas em que o dinheiro que juntamos, em vez de ficar para nós, damos. Este ano estamos a apoiar 3 Escolas Amor de Deus em Cabo Verde.

     A Solidariedade a nível mundial exige que não criemos guerras entre países, sejamos países calmos; os países mais ricos darem aos mais pobres alguma parte.

Conversas na Oficina

Isabelinha S 6D 

Possibilidades Solidárias

quatro mãos unidas segurando-se mutuamente os pulsos

Pixabay – Mãos Unidas Atribuição CC0

Miguel M – Esta Festa é boa, gosto muito dela, e ainda vamos ajudar outras Escolas em Cabo Verde.

Francisco M N – A Festa é para todos sermos solidários e celebrar a nossa união.

Miguel M – A nível pessoal, a Solidariedade passa por oferecermos aos outros o que usamos, não precisamos, mas o outro precisa.

Francisco M N – Também é partilhar sentimentos, ajudarmos quando um amigo precisa e também sermos retribuídos.

Miguel MA nível de Escola, podemos ajudar outras escolas, com dinheiro, para comprarem livros e melhorarem as instalações.

Francisco M N – A Nível Global devemos não poluir, não haver discriminação de raças; uma pessoa não pode ser maltratada por causa da sua cor, não faz sentido. Cada raça continua a ser um ser humano, com o mesmo coração, pode ter a mesma bondade e ainda muitas características que ainda não descobrimos.

Miguel M – Também tem que haver igualdade de tratamento entre géneros; há mulheres a quem se paga menos. E temos que falar das Metas Globais aos outros, senão não conseguimos; uma pessoa sozinha não consegue mudar, por mais sacrifícios que faça. Eu tenho estado a inventar outra Meta Global: os pobres terem mais bens. Eles nem sequer têm o essencial.

Francisco M N – Vi um Youtuber no Brasil a distribuir o dinheiro que tinha ganho e as pessoas, que tinham trazido os seus filhos, foram logo comprar comida.

Miguel M – Vou tentar distribuir o que não preciso: doar brinquedos.

Francisco M N – Se eu fosse rico, fundava uma Empresa de Solidariedade. Os pais do Bernardo fizeram muito por Angola e Moçambique. Eu enchi dois sacos enormes com Disney, Faísca e outros brinquedos, desde os meus 3, 4 anos.

Miguel M – É essa a ideia: posso ter poucas coisas e aposto que, mesmo assim, de muitas delas, não preciso e há aí quem precise muito mais do que eu.

Como exemplo de Possibilidades Solidárias fica o Vídeo da Fidesco que nos mostra onde e como estão as dezenas de Jovens Famílias que, desde Agosto e durante dois anos, foram viver, em diferentes missões, para as mais diversas situações de pobreza do mundo.

Miguel M e Francisco M N 6A

 

Futuro Vivo: Família, Solidariedade e Aventura

 areal onde está inscrito um cora ção imenso, mar azul ao fundo   Photo by Khadeeja Yasser on Unsplash 

     Um momento único na Páscoa 2018 foi estar com a minha família da parte do Pai, em Óbidos; no sábado de Páscoa, almocei com a minha Família paterna, e no Domingo de Páscoa, almocei com a Família do lado da Mãe. Estes momentos marcam-nos porque estamos em Família; daqui a alguns anos podem alguns membros ter morrido e sermos menos.

     O que mais gosto é de passar tempo com a minha Família, estar com as minhas primas. Gosto de ir para o Algarve no verão, porque os meus pais têm lá imensos amigos e os filhos deles são nossos amigos. Na Praínha, temos segurança, andamos todos juntos e fazemos imensas coisas!

      No CSV, já sei que vou para Inglaterra, New England! Fui sorteada por números. Vou de avião e, primeiro, aterro em Londres.

      A Solidariedade é ajudar os outros nos momentos precisos. Uma experiência vivida de solidariedade é Festa da Comunidade Educativa dos Colégios Amor de Deus, em que se ajudam as pessoas de outros países e pessoas que precisam, através do dinheiro recebido: nas atividades, no Sarau, quando se entra, tem de se pagar para ir ver; no sábado, numa sala da Pré, também fazem um bar que vende comidas, bebidas e rifas.

     Imagino o futuro do mundo muito mais avançado do que agora, vão-se inventando e teremos mais tecnologias, poderemos melhorar o ensino, diminuir a poluição.

     Podemos contribuir para um mundo melhor no sentido dos valores: as pessoas pensem melhor antes de agir; serem melhores enquanto pessoas; se, por exemplo, alguém está a falar e outro diz uma coisa má e começam a gritar… Em vez disso, podem falar normalmente. Com isto, acho que as pessoas podem ser também mais solidárias umas com as outras.

Carminho S, 6A

Festa da Comunidade em União com Cabo Verde

três ilhas de cabo verde e 3 fotos dos alunos

     Imagem: PowerPoint de Amor de Dios.net

      Mais um ano que a nossa Comunidade Educativa percorre, como que subindo mais um pequeno passo na escadaria do Tempo.

     Em 2018, o CAD celebra a sua comunhão de vida, em união com todos as Comunidades Amor de Deus,  em especial solidariedade com três Escolas de Cabo Verde.

 Assim, os frutos recolhidos ao longo dos dois dias Festivos serão reunidos ao de todas as outras Escolas Amor de Deus, na Campanha comum “Aqui precisam de Nós“.

     Nas belíssimas ilhas de S. Vicente, S. Nicolau e Santiago, três Escolas esperam poder melhorar as suas instalações e os seus recursos, para um serviço mais qualificado às crianças e adolescentes que as frequentam.

     Como diz a Carolina C, fazemos a Festa para estarmos todos juntos, a divertirmo-nos em conjunto e, ao mesmo tempo, celebramos a união vivida em cada ano letivo.

     “Na Primavera”, diz a Carolina C, “os animais andam felizes, porque os predadores não atacam as presas e vivem em harmonia. Aparecem as flores e as crias: vida nova”. Para nós, humanos, aparecem as Festas. 

    A Carolina A acrescentou que “podemos ser solidários partilhando bens como a comida ou melhorar instalações das casas, mas também através da nossa presença e da comunicação”. 

    Ser Solidário é, para as pessoas, uma Primavera da alma: “Enquanto dançamos, cantamos, montamos barraquinhas e convivemos, estamos a cultivar a amizade e a recolher fundos para as 3 Escolas de Cabo Verde”.

Carolina A, Carolina C e

OE

 

Foste Tu que Me Fizeste Estar Aqui

 

trilho de ponte em perspetiva, rodeado de árvoresFlickr – Autor: Ian Sane Atribuição – Creative Commons 2.0

                Olá Pai,

     Eu acho… calma, eu não acho, tenho a certeza que tu és muito amigo!

    Gosto imenso de fazermos trilhos das pontes, de jogar padel, de andar de Sup e de ir à rua fazer muito mais aventuras!

     Pai,
     Lembro-me de irmos à neve andar de trenó. Lembro-me quando me ensinaste a andar de bicicleta, me mostraste o que é o Padel e ainda muito mais!

     Eu amo, nos fins-de-semana, estudar contigo, apesar de nos podermos “irritar” um pouco.

     Pai, 
    Tu és amigo, corajoso;  a tua mão fria como gelo, os teus olhos castanhos como a terra…
    Tu és fofo, alto, forte, e também “chato”, mas brincalhão!

    Tu ajudas-me muito!

    Adoras ouvir música…

    E só para saberes: “I LOVE YOU”!
    Pai,
    Não te esqueças:  

Foste tu que me fizeste estar aqui!

Afonso

Afonso F, 6D

Ensaios para “Ser +”

                       cartaz do sarau contra fundo preto, estrelado, mostra  as datas e anuncia o espetáculo

Imagem: Cartaz do Sarau do Colégio Amor de Deus

       Hoje é segunda feira e já é loucura total, porque sexta-feira é o Sarau da Escola e andamos a ensaiar a manhã toda.

      Foi mais difícil para mim, pois faltei dois dias, quinta e sexta, que foram os dias em que inventaram a coreografia e hoje, já toda a gente sabia a dança. A Kika viu-me um pouco atrapalhada e ajudou-me; agora já sei a coreografia toda.

     A coreografia é feita para a 1ª música do Musical “Annie”; então, dançamos com as vassouras. O tema do nosso ano letivo é “Ser +”; os sétimos anos tratam da poluição.

     Chega uma turma e polui o palco; outra turma representa a natureza, vestidos de vento, água, fogo e terra.

     A Natureza mostra-se afetada pela Poluição, enquanto os poluidores mostram desprezo pela Natureza.

     Quando essas turmas saem, entra a minha turma  com as vassoutas a limpar a poluição que está represntada pro garrafas de plástico e papéis. Adoro ensaiar, porque sinto que estou num musical e adoro essa sensação.

Carolina CV, 7C

Obrigada Pela Maneira Como Me Tratas

Magical Morning Brook Ward via Compfight

    Francisco,

   Eu admiro em ti o teu dom de me conseguires aturar desde a pré, ou seja, desde quando eu era pequeno.  

   Só fico triste por teres abandonado a tua carreira de Advogado, mas espero que um dia voltes a trabalhar em Direitos Humanos! 

    Lembro-me do dia em que fomos à praia e fizemos uma caminhada quase até ao fim dela, onde havia um monte de areia em que eu subi e desci rebolando umas 6 vezes!   Depois fizemos uma corrida para voltar, em que tu me deixaste ganhar e também não me esquecerei do Sport Zone Bike boy.   Um dia temos de voltar a andar de barco, mas desta vez com bom tempo!

      Francisco,

     Obrigada pela maneira como me tratas sempre que estou contigo.

    Feliz Dia do PAI!

    Espero que o vivas com muita Alegria e rodeado por toda a Família e Amigos!

Rafael

Rafael Cy, 6C

Quando Tu Sorris

    Papoilas no campo vistas de baixo para cima, sobre fundo de céu muito claro e a frase sobreposta: "Quando sorris, vem-me uma alegria do fundo do coração"

Photo by Milos Tonchevski on Unsplash

          Pai,

       Aprecio em ti quando vais correr: pareces um corredor profissional!

      Sabes pôr-me feliz nos momentos em que estou triste.  

      És muito esperto na tua bela profissão de Advogado. És carinhoso com a Família.

      Gosto da maneira como me ajudas a estudar HGP.

      Gostava muito quando ia às tuas cavalitas. E quando fomos à Disneylândia, a descer num sítio que eu e o Pai adoramos: a Montanha Russa!

       Pai,

    Eu gosto quando tu sorris: vem-me uma Alegria do fundo do Coração.

Matilde Cons, 5A

Adoro Passar Tempo Contigo

Full of flowers!! Pepa Pascual via Compfight    

         Pai,

         Aprecio em ti a forma como brincas e me fazes rir.

     Eu adorava quando era pequena e tu me pegavas nas mãos e me fazias girar. Ficavas cansado.

         Pai,

     Adoro quando vamos, aos Sábados, a Cascais, até à loja da Mãe e damos um beijinho a todos. De seguida, vamos de mão dada comer um gelado ao Santini: tu pedes um de manga e eu, de baunilha!

     Pai,

      Espero que nunca me deixes! Adoro passar tempo contigo: és muito divertido, és como um dos meus melhores amigos, porque tens uma parte de cérebro que é como uma criança.

    Adoro-te, Papá!

    Obrigada por te teres apaixonado pela Mãe e por me teres criado.

     Eu amo-te muito, AMO-TE!

Mariana

Mariana Lm, 5A

Espero que Fiquemos Sempre Juntos

flores rosa suspensas como numa trepadeira sobre fundo branco e a frase: O teu abraço é um olá à vida

   Photo by Farsai C. on Unsplash  

     Pai,

     Gosto muito da tua maneira de ser:

    És brincalhão quando me levas às tuas cavalitas. És carinhoso quando me levas ao Parque e brincas comigo às apanhadas.

     Lembro-me, quando todas as noites me lias um livro. Lembro-me, quando andei no elevador assombrado, quando eu tinha medo, mas fizeste-me forte!

     Lembro-me também quando fomos ver os heróis da Marvel. Posso não o ter demonstrado, mas nem sabes o que eu gostei!

    Quando for mais velha, vou tentar perder o medo e vou contigo às Montanhas Russas!

    O teu cabelo é preto como uma formiga, as tuas mãos são quentes como o sol.

    O teu abraço é um OLÁ à vida.

    O melhor DIA do PAI para si.  Espero que fiquemos sempre juntos.

Joana

Joana Cb, 5A

A Olhar Para Os Meus Olhos…

reflexo de pai e filho reclinados sobre cerca de madeira sobre o mar

Photo by Steve Shreve on Unsplash

     Pai,

     Aprecio o facto de nunca desistires de nada nem de ninguém, em especial das pessoas que mais gostas!                 

     Pai,

     Gosto muito quando vens ver os meus jogos de Basket e quando vens passear comigo na praia de Carcavelos.

     Pai,

     Tu ensinaste-me a andar de bicicleta, lembras-te?

     Estávamos no Bombarral, em magníficas férias!

    Quando eu for grande, quero que conheças os teus netos e lhes ensines tudo o que me ensinaste a mim

     Gosto muito quando o Pai fica a olhar para os meus olhos e sorri e dá-me beijos.

      Pai,

    Obrigada por seres o meu Pai e por fazeres de mim o melhor ser humano possível.

    E tudo o que eu faço, e tudo o que eu ganho é para ti.

Francisco

Francisco M N, 6A

Viver Valores, Recriar o Mundo

dua mãos abertas onde está pintado o mapa do mundo e rodeadas por pombas brancas

Pixabay Atribuição: CC0 Creative Commons

     O que eu mais gosto é de estar com as amigas, de brincar com a Alexandra: aprecio toda a sua maneira de ser e de pensar! Só se esquece de algumas coisas mas … ela não se esquece pouco, é muito!

    O Perdão é um valor bonito, mas difícil É mais fácil perdoar do que ser perdoado, porque há algumas miúdas que são difíceis. Perdoo, mas não esqueço: a vantagem é  aprender a evitar a situação.

    O equivalente a uma festa inesquecível  foi conhecer as minhas melhores amigas, ter a minha Famíla por perto, nunca me esquecer das pessoas.

    Páscoa significa Paz e Felicidade.

    Ter de falar em público é algo que me suscita embaraço. A Professora perguntou à turma o que achavam que devíamos ter feito melhor: disseram que era falar mais alto,  interpretar bem o texto e memorizá-lo.

    As situações em que falar é um prazer é quando falo com as amigas, principalmente com a Alexandra. Descobri-a no Face-T, falando pela Aplicação, já desde o fim do 5º ano.

     Às vezes gosto de escrever, mas acho inútil; falo comigo própria, quando estou aborrecida com alguém.

    Acho que, no futuro, o mundo vai ter mais tecnologia; viver no mundo vai ser mais fácil e melhor. Não vai haver poluição, criminalidade e pobreza.

    Mas ainda vão existir a falta de alimento e de cuidados de saúde: doenças para as quais não se encontrou ainda a cura.

     Contribuir para um mundo melhor implica ajudar as pessoas que necessitam, distribuir alimentos, oferecer roupa, não poluir, ajudar a Natureza com a reciclagem.

     No sentido dos valores, acho que os países devem ter justiça, prender os criminosos; mas todos podem tornar-se puros, graças à bondade que as suas vítimas podem mostrar: as famílias de vítimas podem escrever-se com os ofensores até conseguir perdoar e assim eles conseguem perdoar-se a si próprios.

     Fazer com que as diferentes culturas consigam ser amigas: para isso deveria haver encontros especiais, para todos se porem de bem, promoverem convívios. Se houvesse conflitos, poderiam ir a tribunais de mediação.

Conversas na Oficina

Layane S, 6C

Viver o Perdão, Repensar o Mundo

troféu dos jogos Userianos: uma pirâmide transparente com os diferentes valores em letras brancas Imagem: Oficina de Escrita

Ser +: Vivendo o Perdão

    O Perdão consiste em desculpar alguém que errou. Acho que, às vezes, é difícil perdoar, mas, de vez em quando perdoo e no momento seguinte já estamos bem. Quando não consigo perdoar é porque essa pessoa magoou-me muito.

Ser +: Metas Globais 2030

    A nossa contribuição para um mundo melhor deve ser não poluir, não desprezar as pessoas. As pessoas perdoarem-se umas às outras; existirem laços; haver justiça entre todos. As pessoas não se magoarem nem psicologicamente nem fisicamente. 

Ser +: Inovando a Escola

     Eu queria que não houvesse horários. Haveria mais liberdade: não era preciso ir ás aulas; aprendíamos como quiséssemos. Podíamos comer e falar nas aulas. Aprendíamos como queríamos, usando formas inventadas por nós.

                                                                        Conversas na Oficina (escrito)

Teresinha F, 6D

I LOVE YOU

 Jogo do dia do pai: transformação de uma pintura de arte abstrata num jogo da glória

Wilson leonel via Compfight  Atribution: Modification Authorized

       Meu Querido Pai,

      Gosto muito de si e espero que goste deste presente.

      Adoro os passeios que fazemos, as brincadeiras e as cócegas que o Pai me faz!

      Adoro estar consigo!

        O Pai

     É um Pai excelente! Se não fosse o Pai, eu não tinha uma ligação ao mar, aos barcos, não adorava meter-me em aventuras e isto tudo são coisas que eu adoooooro fazer!

Graças ao Pai!

     O pai é corajoso, aventureiro, simpático, alegre, são maravilhas do Pai que fazem ser feliz e ter orgulho no Pai que tenho! 

      Obrigada, Pai,

    Por fazer de mim uma menina tão feliz!

    Eu sei que a Mãe também me faz, mas hoje as minhas cartas são dedicadas a si.

           Eu admiro o Pai,

      Por mim, eu ia ao fim do mundo só para estar consigo, mas não é preciso, pois o Pai está sempre ao meu lado!

      Eu sou uma menina sortuda por ter um Pai tão querido e que me está sempre a ensinar!

I Love You

Isabelinha

Isabel S, 6D

Ó Tu, O Para Além de Tudo…

O céu,  em profundidade, por entre as nuvens distinguem-se  raios de luz azul clara e a chaga do lado em  azul mais escuro

Pixabay Atribuição: Creative Commons

Ó Tu, o além de tudo.

Como te dar outro nome?

Que hino pode cantar-te?

Não há palavra que te expresse.

Que espírito te apreende?

Não há inteligência que te conceba.

Só Tu és inefável;

Tudo o que é dito, de ti é que saiu.

Celebram-te todos os seres,

Os que falam e os que são mudos.

Prestam-te homenagem todos os seres,

Os que pensam e os que não pensam.

A ti aspiram o desejo universal

E o gemido de todos,

Tudo o que existe te invoca,

E todo ser que em teu universo sabe ler,

A ti eleva um hino silencioso.

Tudo o que permanece, só em ti permanece.

O movimento do universo em ti se finda.

De todos os seres, Tu és o fim.

Tu és o único.

Tu és cada um, e não és nenhum.

Não és um só ser, tampouco o conjunto.

Tens todos os nomes:

Como te chamarei?

És o único a quem não se pode nomear;

Que espírito celeste poderá penetrar as nuvens,

Que velam o próprio céu?

Tu, o além de tudo, oh! Tem piedade;

Como chamar-te por outro nome?

Gregório Nazianzeno (330-390)

 

A Claridade da Esperança

Jesus, envolvido no sudário é depositado no sepulcro por dois discípulos e acompanhado por Maria, Sua Mãe

Imagem Flickr Atribuição: Creative Commons

      O dia do Amigo Divino cresce e ilumina-se por detrás da cortina rendada do nosso dia expectante.

     Aqui bordamos, com os trabalhos de toda uma vida, o levíssimo tecido translúcido.

     Na delícia de tecer o tempo aprendemos a fazer emergir sentido e a soltá-lo, livre, no mar aberto do ser, como crista de ondas vivas, em vez de o procurar, esgotando-nos, no terreno revaladiço dos factos repetíveis.

    À mão, torneamos o tempo, afinamos-lhe a têmpera no fogo da inspiração que se sujeita ao barro do momento, o desentranha do caos e cria  a forma única do escrito, do consumado e do imperfeito, todo rosado por dentro, na aurora do sentido.

    Mas o nosso trabalho é um canto modulado por outra pauta de música, entremeado de notas inaudíveis, já fora do nosso espectro.

    Não sabemos onde vamos, mas à medida que cresce o incógnito, também se intensifica a esperança clara de que nos aproximamos: “Lá, onde não haverá mais morte, nem dor, nem luto, nem pranto”.

OE

Via Sacra – 2018

cruz dourada contra fundo branco e azul

PixaBay Atribuição CC0 Creative Commons

     A Via Sacra é um caminho de Amigos. Só na união de corações se consegue fazê-la: percorrer as estações da Dor que salva o mundo.

     Judas, que a provocou, desesperou-se.  Mas é também por ele e com ele que a percorremos, de outro modo não somos integrados na profundidade radical do seu Mistério.

    Pedro, que a negou, pôde segui-la, mas chorando amargamente, porque não lhe foi dado pedir e receber o perdão do seu Mestre.

    É com ele, em íntima união, que a percorremos, pois ela anticipa e cria todas as situações futuras  de pedir e aceitar o perdão.

    João, junto à Mãe e mutuamente se amparando, representam as primícias da Salvação de todos:

     “- Tu, ao menos, vê de me consolar.”

    E o discípulo, tendo consumado o Caminho até à Morte de Jesus, pode acolhê-lA como sua.

OE

Pai, és Grande e Forte


desenho de pai com a filha às costas ambos com os braços levantados

Atribuição: CCO  Pixabay Autor: moahmed- hassan

O que Aprecio em Ti, Pai

    Pai, eu aprecio a tua força, pois és grande e forte e eu aprecio isso em ti.

Memórias de Infância

   Lembro-me como se fosse hoje, Pai, quando foste de trabalho durante oito ou doze dias, para o Brasil. Quando chegavas, fazias-me cócegas iguais ao número de dias em que tinhas estado longe!

Momentos em Comum

     Adoro quando andamos de bicicleta, até ao Guincho, no verão! Tu vais sempre atrás, embora sejas mais rápido, só para eu não ficar muito atrás.

Um Projeto de Futuro

     Adorava ir para neve contigo, com a Mãe e o Mano, mas para França ou assim, fora do país. Quando fores velhinho, vou deixar os netos a tua casa para eles brincarem muito contigo!

Um Grande Obrigada

    Obrigada por tudo o que me andas a ajudar sobre os testes. Obrigada por me ensinares a ser uma amiga leal.

Margarida R, 5C

As Possibilidades Infinitas do Perdão

Dr. Martin Luther King Jr. Forgiveness is not an occasional act, it is a constant attitudeCreative Commons License BK via Compfight

Cristal: Perdão

     Dedicado à Autora Filipa Sáaraga

    Perto da última etapa da sua demanda, a nossa jovem Princesa vai aceitar libertar-se dos sentimentos de culpa, tenazes que aprisionaram muito tempo o acesso ao seu íntimo. 

   Pela mão da pequena Mestra, vai aprender que não podemos agradar a todos; que até bastam as diferenças de temperamento para provocar fricções desagradáveis no convívio. Por contraste, torna-se essencial a auto-aceitação, considerando com simplicidade a retidão das nossas intenções e o esforço por darmos o nosso melhor.

   Quanto às relações que falharam no passado, tal como palavras ditas irreflectidamente ou atitudes intempestivas, elas não devem alimentar um perpétuo remorso. O arrependimento atrai o perdão – se não dos outros, ao menos o próprio e, certamente, o de Deus.

    As mágoas de amor são feridas profundas que existiam muito antes dos relacionamentos que se vieram a tornar vitais para nós. Elas próprias assomaram à superfície, atraídas pela força curativa dessas relações de eleição; nestas chegamos a investir, talvez insensatamente, todo o sentido que antes reconhecíamos à vida. Na raiz de todas as provas persiste uma “ausência de si próprio” que é preciso aprender a acolher.

   A partir de agora, as preocupações que voltam sempre sobre o passado doloroso vão revelar à Princesa o seu caráter vão e deixar de tolher o ímpeto do seu afeto para o futuro, a sua afinada intuição para um bem sempre maior.

   Com o perdão vivificante, reflui a vaga do ressentimento e ficam a descoberto, nos sulcos do sofrimento, preciosas lições de vida que podemos transmitir aos outros.

   A pequenina Mestra entrega então à Princesa um critério para discernir se o perdão está operante na sua história tão provada, apesar de tão jovem: ao recordar uma situação em que nós próprios recebemos o perdão, podemos constatar como este dom nos tornou melhores; assim o perdão entra no rol de todos os dons que podemos oferecer aos outros, sendo porventura o único que mais infalivelmente traz uma superabundância de Paz.

    Por fim, será uma vítima singular, que encarna a máxima dor que possa ser infligida, a sossegar definitivamente a Princesa sobre as condições e as possibilidades infinitas do Perdão.

OE

Para que a Vida Aconteça

espigas de trigo com frase: para que a vida aconteça, quantas vezes é preciso morrer"

Imagem: Pablo.com

      Começamos a preparação para viver a Páscoa de Jesus, com um tempo a que chamamos Quaresma. Não é tempo para se lamentar, nem chorar, mas para renovar a vida. Tempo para lançar a semente da fé e do amor na terra da nossa existência e permitir que, morrendo, ela fecunde a vida e a transforme! Para que a vida aconteça, tantas vezes é preciso morrer!

   Para que os filhos possam ter uma vida em que não falte nada…tantas vezes os pais precisam “morrer” e trabalhar longas horas, dia após dia.

   Para que os alunos possam progredir e aprender…tantas vezes professores e educadores têm que “morrer” para o seu tempo de descanso e de atenção à família.

    Para que os doentes num qualquer hospital e centro de saúde possam ser cuidados com dignidade…tantos profissionais da saúde têm de “morrer” para os seus próprios problemas e dedicar-se, de corpo e alma, para aliviar a dor.

   Para que os meus resultados escolares apareçam…tantas vezes é preciso “morrer” para a brincadeira ou para as minhas saídas de fim de semana!

    Se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, fica só; mas se morrer produzirá muito fruto. (jo 12,24). Se o grão de trigo, ou uma qualquer semente, não se quiser entregar à terra e nela morrer, ficará sozinha, não produzirá plantas novas, sementes novas. 

    Páscoa é isso mesmo…fazer o caminho de “morte” para ressuscitar (nascer) para uma realidade mais bela, renovada, em que se possa respirar vida…ser Vida!

    Todas as turmas e setores da escola devem trazer os vasos para a celebração da missa de Páscoa do dia 23 de março.

Obrigado e bom trabalho

A Diretora Geral,  Irmã Natália

Ver Artigo completo na Página da Direção

A Beleza Vence Sempre o Perigo

Dream beach

Peter_069 via Compfight

     O meu Projeto para este Carnaval é ir a Bali com a minha Família. Eu acho que Bali é muito bonito, principalmente as paisagens. O pôr do sol deve ser mágico.   Estou muito ansiosa por ir.

    Bali é uma ilha exótica, que fica na cintura de fogo do Pacífico com vulcões ativos, mas a sua principal fonte de lucro continua a ser o Turismo, porque a Natureza e a Beleza vencem sempre o perigo.

    As praias são belas, maravilhosas, os tons da areia são negros no Norte e a areia, no Sul, é branca. A água é transparente e magnífica. A temperatura deve ser ótima: muito melhor do que Cascais em Fevereiro. 

     Mesmo se explodir um vulcão  enquanto uma pessoa está lá, essa pessoa sabe que foi a um sítio inacreditável, e não se limitou à sua zona de conforto; ao contrário, foi arriscar a sua vida para ver o mais esplêndido e talvez se sinta mais realizada e feliz que uma pesso que nunca viajou e não conhece o resto do mundo.

Teresa F, 6D 

Ser Mais: Sigam os vossos Sonhos

tubo de onda de surf de um azul claro intenso Photo by Maxwell Gifted on Unsplash  

 Ser +

  • É ser corajoso,
  • É ajudar e não só;
  • Também é preciso ser paciente;
  • E tomar atenção aos outros.

      Temos de ser mais do que conseguimos! Se não, não teremos coragem para fazer o Bem.

    Para bem de todos, devemos ser:

  • Corajosos;
  • Humildes;
  • Inteligentes.

      E tentar juntar todos os elementos para SERMOS + .

      Se formos sempre assim, podemos fazer este mundo melhor. Eu sempre gostei do Mar; para mim, há um desporto incrível: comecei a seguir o meu sonho e hoje sou quem eu quero! A palavra importante é:

SIGAM OS VOSSOS SONHOS!

     Mas cumprindo as regras indicadas acima.

Simão Cb, 5C

 

Dinheiro sem Pessoas?

Fünfzig-Euro-Scheine zum Trocknen aufgehängtCreative Commons License Marco Verch via Compfight

     O dinheiro não é nada se não se tiver família, felicidade, amor e alegria.

     O dinheiro pode trazer á nossa vida uma mansão, uma grande garagem, uma sala com uma televisão gigante, um sofá com 25 lugares, 10 cozinhas, 30 casas de banho, 40 quartos 5 sótãos e 5 caves, mas isso não vale a pena se se for a única pessoa a viver nessa casa.

      Eu prefiro ter pouco dinheiro mas ter família e pessoas a viver comigo, do que ser rico e não ter ninguém a viver comigo e sem ninguém para me ajudar se eu precisar.

      Nisto eu consegui perceber que o dinheiro não é nada sem pessoas.

Rafael Cy, 6C

Variações sobre o Amor

folhas no chão em forma de coração     Photo by Roman Kraft on Unsplash

    – Amo-te tanto, mas tanto, que podia ir daqui à Lua!

     Eu gosto de uma rapariga, mas isso será Amor? Eu gosto do meu cão, isso será Amor? A resposta é “SIM”, pois é isto e muito mais. 

     O Amor é algo que não se pode descrever, mas vou tentar fazê lo. 

     Eu gosto tanto da minha namorada que, quando a vejo, o meu coração parece que fica mais alegre. 

    Mas para mim, o Amor verdadeiro é o Amor pela Mãe, o Amor pela namorada e o Amor pelo Pai. 

     O Amor é o que a nossa Mãe e o nosso Pai sentem por nós e esse Amor é tão forte que até arriscariam a vida por nós. 

     O Amor é o que as pessoas sentem no coração, ao olhar para uma pessoa. 

    O Amor não se escolhe, sente-se no fundo do coração e nunca está explicado. 

     Amor é estar com os Amigos, estar com a Família e com os meus cães.

     O Amor é estar com as outras pessoas a divertir-te. 

     Pois não há só o Amor dos namorados, também há o Amor de amigos, de Mãe, de parceiros de Equipa… 

      O meu Amor pela minha Família é tão forte, que arriscaria a minha vida por todos e ainda pela minha namorada.

      Há o amor heróico dos soldados que carregam aos ombros um amigo ferido e atravessam o tiroteio sem hesitar.

      O Amor pelo amigo é a coisa mais linda do mundo e o da Mãe e do Pai também é. 

     O Amor é quando eu vi um mendigo e lhe dei o dinheiro que tinha para refrigerantes. Então o mendigo, todo contente, deu-me um abraço e foi comprar pão e manteiga por muitos dias, pois eram mesmo 20 euros. 

     Quem vir este texto, quero que pratique o Amor; agora estou a falar de um outro Amor: se vires um Sem-Abrigo, não passes sem ajudar.

    

    Lourenço A, Miguel M e Francisco M N, 6A

Alegrar-se ou “a Sabedoria do Otimismo”

http://deusmelivro.com/critica/a-princesa-azul-e-a-felicidade-escondida-filipa-saragga-20-5-2015/

Imagem: Deus me Livro

2º Cristal – Optimismo

      Prosseguindo a nossa meditação sobre a vivência dos valores  –  despedimo-nos deste mês dedicado à Alegria – e continuamos a parafrasear os ensinamentos que a sábia Rosa entrega à jovem Princesa, no coração luminoso da Floresta Negra.

     Fica também o nosso agradecimento à nossa querida antiga aluna Filipa Sáaraga, por nos proporcionar, com a sua “A Princesa Azul” participar do seu hino ao verdadeiro Otimismo.

      A pequenina Rosa sente-se radiante com os progressos da sua Princesa: ela tornou-se capaz de enfrentar os perigos da Floresta. Agora  pode contar com esta sua nova alegria recém nascida por ter superado difíceis obstáculos. A mestra, ao entregar-lhe o segundo Cristal, passa a ensinar-lhe como conservar e utilizar na prática, a energia escondida nas “coisas boas”. 

      Quando terminam as Festas e entramos nos trabalhos do Ano Novo, encontramos ajudas preciosas neste Cristal, para sustentar e prolongar a Alegria:

  • És capaz de valorizar três pequenos acontecimentos de um dia muito simples?
  • Consegues disciplinar-te para não voltar a pensar em sofrimentos que não podes ainda resolver?
  • O que achas que te acontece à medida que vais repetindo pensamentos bons todos os dias?

   As pequenas tarefas a exercitar no dia a dia vão ampliar esta Alegria nova a todas as esferas da vida,  mesmo se persistem ameaças reais:

  • Continuarão a existir pretextos para ficarmos  preocupados, mas perdem a sua força, se nos ocuparmos muito mais com o que amamos.
  •  Se projetamos o Ano Novo como um futuro melhor, pomo-nos em ação com outra ligeireza.
  • E mesmo que a realidade destrone os nossos cuidadosos projetos, estaremos capazes de inventar outras aventuras.
  • A Alegria cresce com este esforço, e este, por sua vez, torna-a sempre mais intensa.

     É aqui que a Princesa projeta a sua viagem de regresso pela Floresta perigosa de uma maneira nova: ela irá atenta às surpresas dos seus recantos iluminados. 

    E agora confia que a sua “diferença poderá trazer” ALEGRIA “[…] “a todos os que são diferentes”.

OE

Uma Alegria Única

 http://aronbengilad.blogspot.pt/2015/05/Imagem: Aronbengilad.blogspot   

    Para celebrar a Alegria, as pessoas continuamente inventam mil surpresas subtis ou grandiosos eventos.

    Podemos partilhar com os amigos a ida a um concerto da nossa banda favorita, por exemplo; ou simplesmente sentarmo-nos num banco do parque, à sombra generosa de uma tília e tecer a conversa mais interminável do mundo.

      A Alegria pode expressar-se de muitas maneiras diferentes:

  • A Alegria de sermos felizes – porque alguém nos amou primeiro.
  • A Alegria Profunda – o facto de existirmos, que podia não ter acontecido.
  • A Alegria de estarmos contentes – a partilha dos bons momentos com os amigos.
  • A Alegria de termos recebido alguma surpresa – descobertas que mudam a vida. 

     A Alegria também nos rodeia no facto luminoso de quase tudo o que existe ser colorido e atrair assim o nosso olhar para uma radiação ínfima no espectro daquilo que inspira sorrisos. 

     A meio do espectro da Alegria, situam-se todas as Festas humanas, desde as celebrações de Família àqueles momentos íntimos que só festejamos com os amigos mais queridos.

     Acima da faixa da Alegria que nós, humanos, conseguimos captar, estende-se toda uma gama de notas divinas que já apenas conseguimos pressentir de longe.

     Mas, inclassificável entre todas, brilha, inconfundível, a Alegria que a Festa da Imaculada irradia e que é, ao mesmo tempo, humana e divina.

    Podemos captá-la intensamente, porque envolve a nossa humanidade, mas ao mesmo tempo ultrapassa-a, porque se refere à Liberdade de Maria.

    Esta Liberdade, que  é total e sem falha, que nos está prometida e que Ela viveu perfeitamente, desde o seu primeiro instante, transmite uma Alegria diferente, mas capaz de se entranhar em todas as nossas Alegrias.

OE

Tão Leve e Tão Subtil

https://getstencil.com/app/saved

     A Alegria é o melhor que há na vida: quando estamos felizes esquecemo-nos das desventuras da vida.

     A cada minuto que passa existe um novo nascimento fruto do amor de um homem e de uma mulher: o amor, também ele é fruto da Alegria, pois antes da Paixão existe uma Alegria que junta esses dois seres.

     Alegria amorosa que atrai os opostos, geração após geração, no abraço fecundo que perpetua a Humanidade.

     A Alegria é a felicidade que há nas pessoas, é como fazer surf nas ondas que torna algumas pessoas tão felizes. A Alegria é algo que não se vê, mas é como se sentisse no corpo apesar de não o tocar. 

      Tão leve e tão subtil, parece entranhar-se nos recessos do ser, por vezes mendigo aguardando guarida.

      A Alegria é estarmos felizes por algo que fizemos de bem: como a maré baixa, vai subindo e fica maré cheia.

     As marés, por vezes transbordam, no oceano agitado da Alegria: fertilizam os terrenos esgotados, encharcam sonhos gastos, fazem brotar, onde o silêncio era deserto, uma canção inesperada. 

Texto a 3 mãos

Manuel N, Franciso B e OE

ALEGRIAS – 3

https://unsplash.com/photos/tvc5imO5pXk   Photo by Robert Collins on Unsplash

     No dia de Natal, acabamos de acordar e vem a Felicidade, olhamos para o dia, achamo-nos na Alegria. O Natal é um momento de Família, todos felizes com coração e paixão, recebemos os presentes dá-nos vontade de agradecer.

     Até quando olhamos para o lado, os amigos estão lá para brincar connosco e para nos ajudar quando precisamos: uma Alegria tê-los ao pé de nós

     Tantas Alegrias nos rodeiam: os pequeninos que sobem à Biblioteca com grandes olhos redondos e ainda nem sabem ler.

  A Alegria está em todo o lado, até mesmo onde se pensa não se ver nada.

   Até com os amigos, quando estamos em grupo com os amigos mais chegados, eu sinto uma Alegria infinita.

     Invisível, sob os acontecimentos, racha o solo do acontecer quotidiano e brota como um repuxo de água viva.

   Tal como uma semente brota em flor, brota a esperança e alegra facilmente o coração de uma pessoa, pois tal como a semente, a Alegria precisa de ser tratada até crescer e ser maior que a soma das suas partes.

     Cuidamo-la, feridos, por vezes, pela vida, mas é sobre ela que nos debruçamos primeiro: a mais vulnerável, a mais jovem, promessa de um Futuro Absoluto que mal adivinhamos.

Texto a 4 mãos:

5A: Joana Cb, Mariana Lm, Matilde ConsOE

Exercício de Escrita Criativa segundo o Livro “Quero Ser Escritor” de Margarida Fonseca Santos e Elsa Serra. 

ALEGRIAS – 2

https://getstencil.com/app/savedImagem: Stencil   

      Ela própria se torna o motor do nosso viver: tomamos a decisões, atiramo-nos ao nosso trabalho e resistimos graças à sua energia secreta que mantém o nosso coração fiel.

      Se a Alegria fosse uma animal, seria um coelhinho. A alegria tem liberdade, paixão e sentimentos sem fim. 

     A pomba da Alegria voando e se espalhando por todos nós, saltitamos, brincamos e cantamos sobre a alegria de amar os outros ou de ser amado.

     A Alegria da Família é uma coisa amorosa que nem a conseguimos explicar porque é tanto amor, tanto amor que, se fizermos as contas, é infinito. 

     Misteriosa força que move o coração dos homens e parece penetrar até os poros do universo. Quando já não conseguimos captá-la, sobrevoa-nos, divinamente passa, na sua leveza, para além do horizonte. 

    A Alegria é um sentimento de um coração aberto para ajudar quem mais precisa. Quando alguém sente alegria é algo fantástico. 

     Como se fosse desabando por cima de nós, a Alegria cresce, cresce sem parar.

      A partilha multiplica a Alegria, desdobra-a, quebra-a em mil pedaços doces que misteriosamente sobram mesmo depois de todos a terem saboreado.

Texto a 4 mãos:

5A: Joana C, Mariana L, Matilde COE

Exercício de Escrita Criativa segundo o Livro “Quero Ser Escritor” de Margarida Fonseca Santos e Elsa Serra. 

ALEGRIAS – 1

https://getstencil.com/app/saved

   Imagem: Stencil

   Um infinito, uma torrente que desaba, a nossa alma está viva e sente-se em casa na Alegria.

     Livre, cantando sobre mim, a chuva da Alegria!

    A Alegria, quando nós a sentimos, é uma coisa extraordinária. Por exemplo, no amor, há tanta Alegria que não conseguimos parar de sorrir.

    Alegria de um coração puro que a luz irradia na sua transparência ingénua: apesar de todas as dificuldades, como é maravilhoso viver!

    A Alegria é um sentimento que inclui praticamente todas as pessoas, mas mais a Família e os Amigos. A Alegria até pode ser com o cão, o coelho…

    Há tantas formas de a viver: a própria Natureza nos inspira, nos seus mil matizes de cor que parecem sorrisos do próprio Ser.

    A alegria não tem fim: o melhor da Alegria é amor, amigos, família, bom ser e dar-nos bem com as pessoas e bem-estar com os amigos.

     Amigos verdadeiros estão sempre ao nosso lado para quando precisarmos sem até sem serem chamados, brincam connosco, são como nossos irmãos que são para sempre e nunca nos largam.

    Os amigos são como se fossem família. Para termos amigos temos que respeitar, não os aborrecer e sermos uma bondade para eles

Texto a 4 mãos:

5A: Joana C, Mariana L, Matilde COE

Exercício de Escrita Criativa segundo o Livro “Quero Ser Escritor” de Margarida Fonseca Santos e Elsa Serra. 

Querido Eu – VI

  https://unsplash.com/search/photos/twoPhoto by Wil Stewart on Unsplash  

     Querido Eu,

     Obrigada por me fazeres ser querido e me ajudares em todas as situações. Obrigada por teres contribuído para que eu existisse; obrigada por me teres ajudado em todas as vezes em que eu parti a cabeça ou fiz galos, pois já foram muitas até! Sempre me ajudaste a continuar em todas as dificuldades e recordo todas as vezes em que conseguimos ganhar juntos!

      E Não é fantástico existirmos, quando podíamos não existir?

     Também recordo quando me rio de mim mesmo, porque fizemos alguma coisa engraçada, ou parva, ou até quanto tento fazer algo e depois falho.

      Eu aprecio-te por me conseguires fazer ter vários amigos, por fazeres com que eu seja bom a música, por ter boa educação nas aulas e não falar no meio delas.

     Admiro-te por fazeres os meus amigos gostarem de mim, por me inspirares travar amizade com as pessoas certas, por me apoiares em ter coragem para fazer várias cenas arriscadas.

     Gostaria de contribuir contigo para um mundo melhor, talvez até construir uma coisa totalmente nova, ajudar as pessoas contigo, ter uma mulher querida e filhos espertos!

Vicente E, 5ºA

Querido Eu -V

Photo by Andrew Palmer on Unsplash

     Imagem: Andrew Palmer

     Querido Eu,

     Obrigado pela companhia ao longo destes meus anos de vida. Obrigado por estares aqui, senão nunca tinha aprendido a surfar a andar e a sonhar: Obrigado por tudo.

     Obrigado por ajudares a vencer os meus medos, a ter força para aquilo que eu faço; quando eu era mais novo, era maluco, agora já não tenho tantas ideias desatinadas, como tentar subir para uma bicicleta de adulto  e até tentar apanhar cobras, mas que loucura! Obrigado por termos conseguidos passar os meus medos, para poder ir além deles e conquistar as minhas vitórias. 

     Obrigado por estares aqui! É muito bom: posso respirar, posso brincar, posso sorrir e sentir, obrigado por estares aqui! Obrigado por me ajudares a rir das palhaçadas e asneiras, em vez de ficar “chateado” comigo, triste e de mau-humor, mas tu deste-me muita bondade. Ainda me lembro quando deixei cair um balão de água para cima de mim e de um irmão meu, mas depois desatamos a rir à gargalhada!

     Eu aprecio em ti a bondade, força, trapalhice e loucura; são estas qualidades que me fazem ser como eu sou. Sem um destes traços da personalidade eu não era assim. Esqueci-me de falar na minha sensibilidade a fenómenos que metem medo: a isso sou muito, mesmo muito sensível… porque me fazem impressão!

     Quero ter força para sermos um bom surfista; eu acho que vamos longe porque toda a gente diz que surfo bem. Então, eu quero ir contigo mais além de tudo!

Simão CB 5C

O Dizer do Sentir

https://getstencil.com/app/savedImage: Stencil      

       A Vida é como um vulcão em erupção: com altos e baixos, mas temos de os superar. A Vida não é um sentimento que se escreva em três linhas, mas um sentimento que se vive desde que nascemos até que morremos.

     O sorriso é como uma árvore cheia de frutos, dá muita alegria; só um sorriso pode valer tudo; o sorriso é transmitido a quem o capta.

     O olhar límpido parece-se com uma cascata: ela nunca para, está permanentemente a voar, se ela parar, explode. É como no olhar límpido: temos de dizer o que achamos sem medo de avançar e sofrer as consequências.

     O amanhã ninguém o espera, mas é como uma estrada cheia de pedras, nunca sabemos se vamos cair ou se vamos ficar intactos.

Federica V, 7C

Entrevista à Nossa Bibbliotecária Lola

Mexico Bound

Kenneth Spencer via Compfight

       Temos connosco, no nosso Programa de Rádio MDM, a famosa Bibliotecária Lola. O nosso objetivo é conhecê-la ainda melhor

        Gostaríamos que nos explicasse por que gosta tanto da Formiga.

       Gosto muito da Formiga, eu descobri um amor novo que nunca tinha sentido e nunca pensei ser possível. É um sentimento único que me transmite tranquilidade e uma amizade profunda: a minha “menina preta” como lhe chamo, gosta de mim de qualquer jeito e eu dela. 

http://cadescrita.edublogs.org

Imagem: Gentileza da Entrevistada

      Que motivos a levaram a escolher a sua profissão?

      No início foi apenas coincidência, mas afinal acho que nasci para isso, estar junto das crianças.

     O que mais aprecia no convívio com os alunos? 

      Poder ajudá-los a transformarem-se em adultos melhores, mais humanas, darem valor ao que realmente é importante na vida: serem felizes. 

     Partilhe connosco um ponto alto da sua vida profissional.

     Um dos melhores foi um abraço que recebi de uma aluna ao fim de dez anos e me disse: “-  Foste uma das pessoas mais importantes na minha Adolescência!

     Como tem vindo a realizar, este ano, o seu Projeto de Acolhimento e de Compromisso com os seus Alunos? 

     Tenho tentado  bem fazer com que eles compreendam o que é estar numa Biblioteca e façam dela um espaço agradável para todos.

     Obrigada, Lola, por ter vindo enriquecer o nosso programa com a sua generosa partilha. 

    Tenho de agradecer ao aluno Miguel M por se ter lembrado de mim e também à mentora Prof Inês Pinto.

Miguel M e Lola H

Programa de Rádio MDM

Ser Humilde

   Photo by Vittorio Zamboni on Unsplash

  Photo by Vittorio Zamboni on Unsplash  

    Ser humilde é uma atitude que deve ser trabalhada todos os dias, pois tal como uma rolha de cortiça na água é constantemente empurrada para a superfície, assim também nós sofremos de uma tendência para sermos o centro de tudo.

 Ser humilde passa por:

  • Tratar bem os outros;
  • Reconhecer o próprio consciente: ficamos a saber algo mais sobre nós; 
  • Os outros  recebem mais atenção, percebem que alguém os compreende.
  • Não é só ser carinhoso e amável, mas sim partilhar ativamente os seus dons com os outros, por exemplo: 
    •  um pintor partilha os seus quadros; 
    •   um professor partilha a sua sabedoria;
    •  um padre partilha a sua religião viva.  

     Como qualquer outro valor,  podemos treinar a humildade de formas muito simples, no quotidiano, tais como: 

  • Esperar uns segundos antes de falar quando uma discussão se torna acesa demais.
  • Ao longo de uma conversa, tomar a decisão consciente de escutar mais do que falar.
  • Apreciar a proximidade dos outros formulando perguntas não intrusivas mas que ajudam os outros a mostrar a riqueza dos seus pontos de vista.

      Ser  humilde tambémm é ser capaz de se dizer as atitudes de que não se gosta no outro, sem precisar de magoar alguém.

Margarida CC e OE

Texto a duas mãos segundo o livro “Quero Ser Escritor” de Margarida Fonseca Santos e Elsa Serra 

A Alegria de Fazer Anos

https://unsplash.com/photos/Z-4kOr93RCI

Imagem: Photo by Luca Upper on Unsplash

     Hoje eu Faço anos!(1) Acho que se deve celebrar, porque o dia em que eu nasci é muito entusiasmante: 

  • Fui e sou uma prenda para os meus Pais 
  • Para Mim própria
  • E para os meus Amigos

     Hoje vai haver um jantar fabuloso de Família: vão lá estar os meus tios, primos, vai haver um bolo de surpresa e vamos cantar os Parabéns com toda a Alegria para mim e para o meu tio que também faz anos neste dia.

      Espero que os meus amigos também se lembrem dos meus anos: Esta manhã a Joana e a Mariana já me deram os Parabéns e sinto como gostam de mim.

      Gostaria de receber um trampolim e todos lá em casa queriam ter uma piscina. Eu punha o trampolim no quintal de trás e podia saltar quando chegasse ao fim da tarde. Não sei o que a minha gata Emília pensaria ao ver-me pelo ar!

     Eu acho que os anos das pessoas são uma Alegria cheia de Fantasia. Estes valores enchem a nossa vida e dão-nos força para crescermos com Felicidade!

(1) 31/10

Matilde Cia, 5A

Trabalhando o Compromisso

   http://cadescrita.edublogs.orgImagem: Oficina de Escrita

“Todas as Vidas são Compromissos” 

Jacqueline Rémi

      Em Outubro estamos a trabalhar o Compromisso; ele pode consiste em agradar e ajudar uma pessoa que precise que alguém se comprometa com ela, por exemplo: 

  • Um colega que não sabe fazer amizades; 
  • Os colegas mais inteligentes ajudarem – “sem se armarem – os que têm mais dificuldades.
  • O Professor de Matemática compromete-se a ajudar-nos puxando por nós, mandando-nos calar, para mantermos a atenção, o nosso futuro ser melhor e não ficarmos ignorantes.

Margarida Cc, 6A

Aceitando as Diferenças

  htp://cadescrita.edublogs.orgImagem: Oficina de Escrita     

     Em Setembro, trabalhamos o Acolhimento. Tínhamos uma tabela de madeira pendurada à porta da sala:

  • Juntámo-nos em Grupo para discutirmos o que é “ser +” e o que é o Acolhimento.
  • Depois da discussão, partilhamos em Grupo-turma.
  • Concluímos que a melhor interpretação para esta palavra era: “ACEITAR AS DIFERENÇAS”.

       A nossa Diretora de Turma disse para estarmos atentas às pessoas, não só aquelas que são verdadeiros mendigos e refugiados, mas também às que estão mesmo à frente dos nossos olhos. Por exemplo:

  • Um colega que está sempre sozinho e não comunica, a não ser com o seu telemóvel – falamos também sobre este problema.
  • Outro colega fez anos e nós não demos por nada, mas ele trouxe chupas para todos. Reconhecemos que a sua postura e o seu silêncio nos afastam e não sabemos como fazer.

Margarida Cc, 6A

A Solidão do Compromisso

sunset Françoise Kervarec via Compfight

     Há uma solidão própria ao homem livre: há-de estar pronto e desperto para o combate do dia. Há de responder á aurora com o seu próprio movimento.

    Há uma solidão que se adensa no trabalho, quando a concentração permite compreender o que permanece exterior e de algum modo o assimila para si mesmo e o torna, por aí, interior.

    Há uma solidão “por entre as gentes”, um jogo que permite a relação, uma distância que cuida e reconhece o valor incalculável de uma outra presença.

    Há uma solidão em relação a todos, porém, que não tem paralelo com as outras, e para a qual não há compensação.

    Cada um de nós responde por todos os outros e nesse espaço não cabe partilha alguma, é a condição oculta da comunhão.

     É uma solidão em esforço, em andamento, buscadora.

     Ela saiu pelo lado de dentro na direção de embora e tudo o que permanece aquém, na larga esfera do mundo, não pode adivinhá-la nem sequer reconhecer-lhe os traços.

     Quem se subtrai para tal solidão não deixa vestígio algum da sua partida. Persiste, em território sem limites, caminha segundo o impulso cego do seu coração.

     Essa solidão é ela mesma uma marcha, uma aproximação ao que só se lhe torna acessível porque a supera totalmente.

OE

Acolher, Comprometer-se, Ser Pacífico

https://unsplash.com/search/photos/welcoming

Imagem: Unsplashing

    Em relação ao acolhimento, no princípio do ano, vi um aluno que, no ano passado era muito popular, mas não era acolhedor; este ano estava diferente: ajudava todos. Com isso, ele deixou de ser popular e os antigos colegas não o acolheram. Agora, ele convive com quem é com ele e, na realidade, está muito mais feliz do que estava antes.

Alexandre T

    Comprometer-se – é uma palavra gira, não é? Mas sabem o que quer dizer? Comprometer vem de “prometer” algo a si próprio, como, por exemplo, acolher as pessoas que foram vítimas do incêndio gigante aqui em Portugal. Eu já fiz isso, porque uma amiga da minha mãe e outras pessoas ficaram sem nada. Eu dei muitos dos meus brinquedos a crianças que necessitavam. Sei que não é o suficiente, mas se todos ajudarem, é diferente.

André  R

     Ser Pacífico é quem ajuda toda a gente. Se as crianças forem pacíficas, já é uma ajuda para melhorar o mundo. E se os pais retribuirem, vão passar boas impressões aos filhos. 

Alexandre T

      Paz. Que Palavra profunda e bonita, não é? Paz tem a ver com ser pacífico, como, por exemplo, não começar uma guerra. E sabem como se faz? Não é com armas, nem ameaçando: é chegar a uma conclusão que é boa para os dois indivíduos. Por acaso usamos uma arma – essa podemos usar para o bem e para o mal – que é a palavra, mas, neste caso, usamo-la para o bem.

André  R