Conversas na Oficina: Uma Raposinha no AquaPark

On the Run! Pat Gaines via Compfigh

          O Dia começou como normal, com o Túlio, panda vermelho ou pequeno, que acordou e disse:

    – Vou pintar as caras dos meus irmãos e irmãs com pasta de dentes.

     E desenhou uns bigodes ao Vanya, o cabrito; e com a caneta desenhou os olhos e foi ter com a Svetlana, eu, a raposa com seis caudas e penteado vavilonas e também sou um Pokémon Vulpix, nº 37 e desenhou-me uma barba e uns olhos.

     Eu acordei e ralhei:

     – Tuuuuuulio! Apaga isso, depressa!

     O Tuliou apagou e disse-me:

     – Tu viste a tua cara?  – E riu-se.

      Eu, Svetlana, dei-lhe uma bofetada:

      Twack! E afirmei:

     – Se me voltas a fazer isso, vais ser o meu saco de boxing!

     Ao pequeno-almoço os pais perguntaram:

    – Crianças, sabem onde nós vamos?

    – Vamos ao Aquapark?

    – Claro! – responderam os pais.

       Nós fomos numa caravana, o Tulio, os seus irmãos, eu, os cachorrinhos de Huskie, Aliosha, Grisha, os cachorrinhos de Boxer, todos  para o Aquapark e, no minuto certo, os cachorrinhos de Huskie, exclamaram:

      – Estamos cansados! – a viagem era longa.

    Quando chegaram, eu mostrei os Escorregas radicais, chamados “Tornado-Kamikaze-Whirlwater”.

     Eles experimentaram as  diversões mais espectaculares. Recordo quando Vanya gritou:

     – Não Quero!

      Mas depois, todos se divertiram imenso e regressamos à noite. Nunca me esquecerei desse dia maravilhoso.

(Em parte ditado)

Svetty T, 5B

Querida Ana

suritigre_ana_sofia

Imagem: Zoo de New York 

Floresta dos Castanheiros 6 de Março de 2017

     Querida Ana,

     Estou muito feliz por me teres inventado.

    O meu nome é Suritigre, o meu pelo é fofo, castanho, com riscas brancas.

    Vou contar-te um pouco da minha vida: gosto de viver rodeado de árvores e de ter, ao pé das árvores, uma ribeira. Gosto do inverno: relva coberta de neve, o vento a refrescar-me. Posso comer mirtilos, framboesas e avelãs.

     Os meus amigos são o Timom e o Pumba.

     Sou muito pequeno e tenho a cabeça muito pesada, por isso, quando vou a correr, caio algumas vezes.

     Adorei o desenho que fizeste de mim e sou muito feliz.

Beijinhos para ti,

Suritigre

Ana Sofia D, 5B

A Busca do Gorro

anthropomorphic taxidermy mouse lost in new york subway map metro card

Creative Commons License Amber Maykut via Compfight

      Era uma vez um rato que era rei, gostava muito de fumar e de usar um gorro.

     Há pessoas que dizem que fumar faz emagrecer, mas ele era gordo, porque comia muita coisa, apesar de ter sido expulso do Mac, porque é proibido fumar no restaurante, por isso ele prefere ir a bares em que tenha esplanada.

    Uma vez, perdeu o gorro, porque é muito distraído e o gorro também era um modelo pequeno porque era para ratos.

      Ele procurou  em todo o lado, mas não o encontrava no meio do bar: foi um escândalo, pois o gorro era caro. Ele procurou e, por fim,  encontrou debaixo da mesa.

      Mas ele não estava a conseguir tirar o gorro de debaixo da mesa, porque estava preso, e como era gordo, sem querer, deu um encontrão ao seu ajudante que guardava a droga.

     Ele caiu na mesa, a mesa caiu e assim o rato pegou no gorro.

(Exercício de escrita criativa: com as letras do nome V-A-S-C-O criar um desenho; dar um nome a cada desenho e escrever uma história, em cinco minutos relacionando as palavras escolhidas numa narrativa – segundo o livro de Margarida Fonseca Santos.)

Vasco E, 8