Conversas na Oficina: Uma Raposinha no AquaPark

On the Run! Pat Gaines via Compfigh

          O Dia começou como normal, com o Túlio, panda vermelho ou pequeno, que acordou e disse:

    – Vou pintar as caras dos meus irmãos e irmãs com pasta de dentes.

     E desenhou uns bigodes ao Vanya, o cabrito; e com a caneta desenhou os olhos e foi ter com a Svetlana, eu, a raposa com seis caudas e penteado vavilonas e também sou um Pokémon Vulpix, nº 37 e desenhou-me uma barba e uns olhos.

     Eu acordei e ralhei:

     – Tuuuuuulio! Apaga isso, depressa!

     O Tuliou apagou e disse-me:

     – Tu viste a tua cara?  – E riu-se.

      Eu, Svetlana, dei-lhe uma bofetada:

      Twack! E afirmei:

     – Se me voltas a fazer isso, vais ser o meu saco de boxing!

     Ao pequeno-almoço os pais perguntaram:

    – Crianças, sabem onde nós vamos?

    – Vamos ao Aquapark?

    – Claro! – responderam os pais.

       Nós fomos numa caravana, o Tulio, os seus irmãos, eu, os cachorrinhos de Huskie, Aliosha, Grisha, os cachorrinhos de Boxer, todos  para o Aquapark e, no minuto certo, os cachorrinhos de Huskie, exclamaram:

      – Estamos cansados! – a viagem era longa.

    Quando chegaram, eu mostrei os Escorregas radicais, chamados “Tornado-Kamikaze-Whirlwater”.

     Eles experimentaram as  diversões mais espectaculares. Recordo quando Vanya gritou:

     – Não Quero!

      Mas depois, todos se divertiram imenso e regressamos à noite. Nunca me esquecerei desse dia maravilhoso.

(Em parte ditado)

Svetty T, 5B

Print Friendly

Ecos do Sarau: Caetana B

     

Imagem: Dança das Artes  Colégio Amor de Deus

     Eu gostei mais da Dança das Artes com a minha Tia. Não é por ser minha Tia, mas foi a parte mais viva e com espanto. Havia jovens a cantar, depois os que cantavam tinham um fato preto com fitas de papel higiénico cobertos com uma tinta especial que, com as cores, se tornavam néon. Em cada música, um ou dois cantavam, raparigas e rapazes, alternadamente, enquanto os outros dançavam. Esta dança dava imenso gosto ver.

     Participei como “menina Rosa”; o tema era o facto de que somos todos diferentes; então, havia vários subtemas: as Rosas, os Nerds, os Cientistas, os Góticos etc. Quem gostava de Rock ia dançar mesmo que pertencesse  a grupos diferentes: assim, na diferença, podíamos estar unidos. Aí é que fui dançar Hip Hop.

     Gosto imenso de Hip Hop. A Mafalda Aguiar é que fez a dança, que se chamava “Light it up” e nós ensaiámos 2ª e 3ª antes das férias e depois esta 4ª 5ª e 6ª. Foi a dança do 7º.

    Os objetivos desta Festa foram celebrar a nossa Comunidade Educativa e conseguir dinheiro para a Escola Secundária no Bairro do Namuinho, perto de Quelimane.

Caetana B, 7C

Print Friendly

Conversas na Oficina: Ideias para o Futuro

Elite Dangerous / Careful of the AsteroidsCreative Commons License Stefans02 via Compfight

      Avalio o meu desempenho como suficiente. Subi muito em Moral, mas tenho que estudar mais para Português, pois desci. A HGP desci a média e a CN muito pouco.

     A Português desci por causa dos tempos dos verbos, e o que é mais difícil para mim nos testes são as interpretações de texto. Nas composições posso melhorar os advérbios e as preposições.

      A minha estratégia para HGP é escrever apontamentos, tentado fazer por palavras minhas e uso as do Manual que não posso mudar. O meu Pai estuda um pouco comigo.

      A CN desci muito pouco, mas devido à forma como as perguntas são feitas. A Estratégia de recuperação vai ser estudar mais sobre os  animais fazendo perguntas por palavras minhas e imitando os exercícios do teste.

     A subida a Moral foi graças ao resumo que o Prof nos deu; escrevi algumas ideias do papel que o Prof nos deu, acrescentei outras ideias do Manual e fui buscar outras ideias à minha cabeça. Gostei de pensar sobre os sítios em que Jesus foi um homem verdadeiro e verdadeiro Deus e onde viveu na Terra.

     Os meus Projetos de Páscoa são fazer alguns ovos de decoração, comprando doces para comemorar, se conseguir. Brincar com a minha vizinha, é a única companhia que tenho, é como a minha melhor amiga. Gosto de desenhar, uso um caderno de folhas lisas, desenho por imaginação, pois ganho as minhas ideias nos meus sonhos, quando estou a dormir à noite. Tenho uma cabeça fresca, lembro-me bem dos sonhos.

     Estou a ajudar um rapaz que tem cancro, com toda a minha Turma: compramos alimentos,  vendêmo-los por preços mais baixos e enviamos o dinheiro para esse menino, que se chama Tiago.  

     Desejo que nós ajudemos todas as pessoas do mundo que precisam de ajuda!

Michael S, 5A

Print Friendly

O Primeiro Teatro

     Résultat de recherche d'images pour "peça de teatro quase normal"

Imagem: Espalha Factos

      Gostei muito de estar com o meu primo Tiago nas férias, que já não via há muito tempo. Fomos buscá-lo a casa dele para irmos ver o Teatro “Quase Normal” que era no Casino Estoril. Por acaso gostei muito, e nunca tinha ido.

     Antes de começar o Teatro, olhei para trás, vi uma senhora e pensei logo: “Esta Senhora é Atriz”. Falavam mais a cantar, era um musical e havia partes com piada. Ficamos quase nas bancadas da frente, por isso víamos muito bem.

    Este ano, desejei ter boas notas e ainda gostaria de subir a Matemática.

Manuel N, 7B

Print Friendly

Conversas na Oficina: “As Super-Heroínas”

Imagem: Oficina de Escrita

Maria – Alguns de nós formamos uma Banda: a Francisca, o Tomás e a Maria são os Produtores; a Madalena, a Joana, a Vitória e a Inês somos as cantoras. Todas cantamos, mas a Inês tem um instrumento: as Maracas.

Drogue

Joana – Já fizemos duas músicas: “Não desistas do teu Sonho” e “Nós Vamos Ganhar”. Isto ainda é só o início da letra:

 Todos –  As “Super-Heroínas” formam uma Banda

E nenhuma de nós manda.

As Super-Heroínas são as melhores do mundo:

Não param de cantar nem um segundo!

Este vai ser um dia profundo:

Vamos inventar a melhor música do mundo!

Estamos a rimar e nunca vamos parar,

A Malta cá em casa está-nos a acompanhar,

Pois isto nunca vai parar!

 Refrão 

Não, não desistas,

Nós não vamos desistir!

Segue o teu sonho,

E não pares de sorrir!

2x

A Banda das Super-Heroínas

Faz-te divertir, curtir e sentir uma Super-Heroína

E agora só nos falta, dominar a malta

E vencer a ribalta! As Super-Heroínas fazem música

Para te divertires e curtir!

Não te vamos desiludir:

Vamos dar um passo em frente,

Sempre sem mentir! 

 Refrão 2x 

Super-Heroínas Oh, Oh, Yeeh!

Tomás, Maria, Francisca, Madalena, Joana – 3º Ano

Os Pequenos Visitantes da Oficina

Imagem da boneca: Alluka Zoldyck via Compfight

Print Friendly

O Nosso Milagre

     

     Era uma vez uma família muito normal. Essa família tinha três crianças e dois adultos e era completamente normal, viviam numa casa no campo e eram muito felizes.

     Mas um dia, a filha do meio, durante a madrugada, quando estavam todos a dormir, começou a chorar de dores de barriga. A Mãe, ouviu e foi levá-la ao hospital. E lá foram elas…

     Mais tarde, quando o médico já a tinha visto, disse que não tinha nada, mas na verdade, tinha uma doença muito grave de indigestão. Mesmo assim, a Mãe ficou convencida que filha tinha qualquer coisa, porque sentia as dores.

     Este é o início de um grande filme que aconselho a todos. Conta a vida de uma menina com uma doença rara que, ao cair de uma árvore num buraco de nove metros, curou-se milagrosamente.

Madalena M, 6C

Print Friendly

As Minhas Férias

Imagem: Wook.pt

      Tudo começou no dia 17/12/2016: tinha ido às compras de Natal: foi giríssimo!

    Dali em diante, à noite, fui para casa da minha avó, em Torres Vedras, uma pequena aldeia ao pé do Bombarral. Aí, todos os dias havia um novo filme “Sozinho em Casa” I, II e III e “2 Big Heros 6”.

      Eu estava cansado, porque a minha prima de 16 anos só ia chegar na 6ªfeira e por isso levei os meus brinquedos de Five Nights at Freddie’s para ver alguns detalhes que tinham posto nos novos bonecos que encomendei – o tempo, aí, passou a correr.

    No quarto dos meus pais, em casa dos meus avós, no último dia, brinquei com o drone do meu avô: aí chegou o tão esperado dia 24, abri os meus presentes e recebi o livro do Sirkazzio, uma nerf, uma caneca da coleção Keep Calm, um pijama da Star Wars…

      No dia seguinte, fui para casa dos meus outros avós, onde estava a minha prima de 4 anos; abrimos as prendas e recebi vários “Ferrero Rocher” – os meus bombons favoritos e ainda 180 Euros!

     No dia seguinte, visitei a Aldeia Natal; fui ter com os Romanos, entrei na árvore de Natal, andei no gelo…

    Vamos já passar para o fim do Ano: instalei uma rede social da Five Night’s, que se chama Bnaf Amino e criei lá o meu Blog que se chama “Teorias Fnaf”. Depois fui jantar hamburgueres no pão com batatas fritas, pus um temporizador para chegar a 2017 e assim acabei o meu dia!

Afonso S 5C

Print Friendly

A Beleza da Música

Movement and Motion

Thomas Hawk via Compfight

     Eu gosto imenso de música desde pequenina. Dá-nos inspiração e calma. Dá-nos vontade de dançar.

     Gosto de ouvir música a qualquer momento. Prefiro as músicas mais mexidas, como “Cold Water“, “Nauthy Boy“. Às vezes ouço música quando estou a estudar.

    Quando começo a dançar, entro no meu mundo e esqueço os problemas. Frequento uma escola de dança há cerca de quatro anos, na Sociedade de Janes. Aí aprendi a dançar diferentes tipos de música, como Hip Hop, Contemporânea e Jazz.

     Até a própria Natureza – como no canto dos pássaros – mostra a beleza da música.

Sofia L, 9C

Print Friendly

Entre o Passado e o Futuro

 brain_storming_blogger  Imagem: Oficina de Escrita

 Blogger – 2016

     Olá, eu chamo-me Catarina, tenho 11 anos, ando no Colégio Amor de Deus de Cascais, adoro escrever e resolvi criar um blogue, porque acho que deve ser giro imaginar-me ser como uma escritora famosa que escreve muito bem.

     Vamos começar a nossa conversa: Eu hoje vou à praia, de manhã, com umas amigas minhas: vamos passas o dia todo juntas e depois, durante a noite, fazemos uma festa de final de aulas e início de férias!

AJUDA – 2030

  Polio vaccination a response of a recent polio outbreak in the Horn of Africa

UNICEF Ethiopia via Compfight 

     Olá, sou a Catarina. Sou médica há quase cinco anos. Adorava ajudar aqueles povos que estão em guerra, porque precisam de muita ajuda. Também acho que deve ser uma experiência enriquecedora para a minha carreira.

    Cá, estamos num hospital e temos tudo à nossa mão, mas lá não, nos países que estão em guerra, nós temos de fazer aquilo tudo no momento, porque senão, uma pessoa pode morrer. Espero que, com as entrevistas que estou a fazer, me contratem para eu ir ajudar a tratar pessoas desses países que estão em guerra.

Catarina C 7D

Print Friendly

Teacher Challenge: Step 10

   teacher_step_10_A_mini

   Imagem: Oficina de Escrita

     What is at stake in this 10th challenge – allowing our students to connect with other students –  it’s the heart of an attitude, let us say, the heart of a way of life,  that finds a deep resonance in the inner horizon of our youth.

    In our country, the school year is about to start, so each one and all of us, teachers and educational workers in our school, are gathering and buzzing  to ultimate the last details for the great reception: kids are coming, youth is back again!

    The multiple meetings we went through in July have all been pierced by the watch word: “How to surprise our students?” In fact, the sense of urgency to keep our pace with the global movement of innovation that is transforming life in schools all over the world is deep rooted in our hearts and minds.

   In order to take some baby steps along this demanding path, small teams of teachers are organising different project works trying to cross multiple contents of the curriculum in a unified vision concerning some feature of the real world. At some moment along this process, the question to connect with other students will arise.

    For the moment, some of us have engaged in educational platforms, like Edmodo, its new partner Spiral or Socrative. Students will be invited to use their apps and easily connect to  create and share  learning experiences.  In some classes, the BYOD approach will be tried with students more than 13 years old.

    I love the suggestions Edublogs  gives us as the Twitter classroom account, the Student Blogging Challenge, the list of Class Blogs and the art of connecting classes through Skype.

    We could even stay in the comfort zone of our maternal language, as Portuguese is spoken in Brazil and Africa; we could make a step towards the Spanish speaking countries whose vocabulary and grammar are so similar to ours and where there are several private schools belonging to the same congregation.

    We could even dare a step more and merge into the international web language that English came to be, as our students are constantly in touch with it through their own digital devices, favourite video games  and daily reading routines.

    I wonder until where will we be able to go for the sake of actually “surprising our students?”

Ines P

Print Friendly

Teacher Challenge – Step 9A

     I’m still on the same step, trying to learn how to use Animoto. I subscribed for a month just to explore its possibilities.

    Meanwhile, I’m learning how to create interactive presentations and facilitate group work in Spiral, who is now totally compatible with Edmodo. Both platforms joined their forces to enhance students and teachers enthusiasm for working more creatively.

    And here is what I came up with my Animoto pro personal account: 

 

 

Print Friendly

Teacher Challenge – Step 9

  In Setp 9 I have to make an halt and start again, more carefully, at my own pace.
For today, just to be sure that I tried something beautiful and that I managed to created it and to embed it in my blog, I’m simply posting a 30 seconds video form Animoto about one of my favourite themes “Purposes of Writing”.

Purposes or Writing

Print Friendly

Teacher Challenge – Step 8

   

ninho_1

Imagem: Oficina de Escrita

     In Step 8, we are initiated in the art of embedding online tools. The advantages of posting articles with embeded tools are easy to grasp: it becomes attractive to engage students and to provide collaboration opportunities.

Audio Presentation Tools

     In our school, all along this year, Prof Carla, of Portuguese, has been gathering older students and special guests, once a month, to read Poems or Texts from different Portuguese authors. Since the initiative found success among students,  we are planning to record-alive and publish these sessions of Poetry and Reading in our Library Blog. So, I plan to follow the steps needed to embed these special moments called “Literary Scene” in Audacity which I downloaded in its new version in Portuguese.

     As for embedding Padlet, it didn’t work properly and although I received an e-mail form the support team, my new padlet kept saying it couldn´t be saved. There it goes:

 

Print Friendly

Teacher Challenge – 4

2657499007_3140963d99_z

Image Author Ines Pinto Source:  flickr Commons Atribution: Creative Commons

     This picture, posted in July 2007, as a creative commons attribution share alike, in Flickr photos, belongs to an album of 20 pictures, specially created for an exercise asked by Edublogs, during the 2008 Comment Challenge.

    In Step 7, we must understand, in order to make it clear for our students, that pictures and images on the web are not just free to use no matter how.

     Usually they are published explicitly under certain rules, whether they prevent us to use them without a special permission, as is the case of copyright, or they just are apparently not related to any kind of rule, as it is the case, for instance, of pictures of a hotel posted on its site, as in Pousada dos Girassóis, whose owner is the young author’s uncle.

     In these cases, we must either ask a written permission to publish the image as kindly offered by its author and rightly linked to its source. If no copyright signs are at sight, at least we must link to its source and name it. I usually do this when copying my student texts about public places or hotels they have been during holidays. I think hotels or other public places accept this kind of use of their pictures as a sort of publicity to them. However, I assume I take some risk by doing so.

   Once I asked the Hubble Site if I could post some of their Hubble pictures in order to explain how to change the personal pronouns according to their role in the sentence. Hubble site had the kindness of answering me not only to give the permission but also to ask for a link in order to include my work in their archive of educational items.

   In Edublogs-Pro, with the free access to Compfight, we can choose among thousands of pictures licensed under Creative Commons, which means that those pictures are kindly offered for us to use. There, my students often find what they had precisely imagined.

creative_commons_cad_escrita-pbworks

     I use this creative commons license badge  in our wiki of resources at pbworks so that anyone who wishes can come and pick tests, exercises, writing suggestions, inspirational quotes  or  other kind of assessment tools. I’ve found that visitors from Brazil and Portuguese Speaking Africa take benefit or this sharing, which is the main point of using CC licenses.

   When my students and I can’t find what we are looking for in Compfight  we look in this wiki page where edublogs taught us to collect links to sites that offer creative common images

 In Step 7, I’ve learned that in sites as the Getty Open Content, all the digital images are available whether the Getty holds the rights to them or they belong to the public domain, in which case one must use the simple source credit: “digital image courtesy of the Getty’s Open Content Program”.

     Thanks to the Challenge Team for the very useful lesson.

Inês P

Print Friendly

A Minha Casa de You Tuber

     U-Bahn Control Room

James P. Morse via Compfight

    Na minha casa de sonho, não só posso fazer vídeos como também conviver com os meus amigos e família. A minha casa não ia ser só minha, ia também partilhá-la com dois amigos meus, o Duarte F e o João M.

    No primeiro andar (não, não é o rés-do-chão) haveria os meus dois quartos e a minha casa de banho. O meu primeiro quarto iria ter um roupeiro elétrico, com imensas t-shirts costumizadas do meu canal de you tube, uma king size bed, uma televisão Samsung curved tv e um sítio para eu carregar o meu telemóvel e o meu tablet sem ter de usar fichas.

     O meu quarto de jogar e de editar vídeos teria uma secretária curva no canto do quarto, com um ecran triplo, umas colunas para ouvir música enquanto edito vídeos, uma PS4, uma Wiiu, um computador de jogos, um computador de pesquisa, um computador com um disco rígido gigante, um servidor e um programa de edição de vídeos.

Duarte P (2015)

(Atualmente no Colégio dos Plátanos)

Print Friendly

A Minha Despedida do 6º Ano

Ines_Nokas-You_Tube

Imagem de Ines Nokas

        O que adorei este ano e foi muito especial para mim, foi estar com os meus amigos e fazer brincadeiras malucas: passamos muito tempo a conversar, às vezes dançamos e outras cantamos. 

    Quando estamos com os amigos, unimo-nos como se fôssemos um. Não estamos sós, porque estamos com um amigo e um amigo é muito especial.

    Surpreendeu-me ter fãs no youtube, pois tenho já 13 subscritores, em dois meses e pouco, no meu canal.

     Queria conquistar mais subscritores e continuar com a minha turma… estes votos parecem impossíveis, mas em parte dependem de mim: posso ter mais qualidade nos meus vídeos, melhorar o som, a maneira de falar e editar melhor as imagens.

     Eu poderia fazer um esquema antes de começar os meus vídeos. Assim a construção das frases seria mais perfeita e comunicava melhor.

     Na Oficina de escrita, eu poderia recolher ideias para aperfeiçoar o meu canal e ajudar a Stora a fazer vídeos de escrita criativa. Vamos colocar um frasco bonito para coleccionar as sugestões dos colegas quer sejam youtubers ou não.

      Em relação á turma,  depende pouco de mim, os professores têm de escolher as turmas e não podem ser iguais. Mas podemos ficar com os melhores amigos. Eu escolhi a Adriana e a Raquel, não sei se o Diogo poderá ficar.

    Este verão, vou à praia de Carcavelos, e à piscina da casa dos meus avós, na Costa da Caparica e vou-me livrar um bocadinho da Escola.

        Se eu fosse um animal, eu seria um golfinho, porque os golfinhos são inteligentes e muito brincalhões dentro e fora de água.

    Espero que o nosso verão corra muito bem, que seja muito divertido e que as pessoas que não são youtubers criem um canal para poderem fazer mais amizades.

Inês M, 6C

Print Friendly

A Marta dos Videogames – II

II

The Fiery Dragon

Muhammad Elarbi via Compfight

     No caminho, Marta pensava que tinha renascido, mas ela só queria parir para o seu mundo; ainda pensou na hipótese do que ela tinha dito no seu quarto, ela só queria ser feliz. Entretanto, a Rainha Shmolca levou-a para o seu Castelo, que era de gelo e tinha estátuas lindas.

     Entretanto, a rainha Shmolca explicou-lhe que ela tinha ido parar a um sítio chamado Encárnia, e que esta se  estava a preparar para o dia Nacional dos Videogames Reais. Ela pensou que era o futuro e que ali podia ser livre; então pediu se podia participar; a rainha autorizou, mas antes dela ir treinar, a Rainha cedeu-lhe um papel com as regras do jogo.

       Ela demorou 3 horas a ler as regras, até que, finalmente, tinha acabado de ler 1403 regras. Ela pensava que já tinham passado três dias, quando olhou para o relógio, nem queria acreditar que tinham passado 3 horas, sim, porque três dias em Encárnia equivaliam a 3 horas.

     Bem, lá chegou o dia dos jogos, ela só queria vencer! O primeiro nível era muito fácil. Ela conseguiu passar, porque só tinha Montanhas com lava (coca-cola) e que explodiam se se atirasse uma pedra branca lá para dentro (mentos). Marta poisou uma pedra branca e abanou, mas não caiu. Ela passou 30 níveis, só faltavam mais 5 níveis.

    No nível 31, ela tinha um ajudante que se chamava Cliar, tinha 600 anos, já estava um bocadinho velho; ainda estavam 10 Encarnianos em jogo e um humano.

     Passou os quatro níveis, só faltava mais um, mas ela não ganhou, pois com criaturas de três metros, acho que Marta não tinha hipótese. Mesmo assim, ela ficou feliz, mas, de repente, foi parar ao seu quarto outra vez.

     Ela correu por toda a casa para ver se encontrava o buraco Negro, mas nem vestígio dele! Apetecia-lhe chorar, pois ali podia ser livre; ela ficou confiante que um dia pudesse voltar a ver o buraco negro novamente.

Dia dois de Novembro, 2140,

Querido Diário,

      Hoje percebi que podemos ser nós mesmos não importa quem não gosta de nós, mas sim quem ou o que é que nos faz viver todos os dias com um sorriso na cara e impede que os outros nos deitem abaixo.

     Querido Diário, não desistas dos teus sonhos, pois um dia quem sabe, noutro mundo, ele se vão concretizar.

Mafalda C, 8A

Print Friendly

A Marta dos Videogames I

I

Deep in the forest

Sergio Otero via Compfight

    Era uma vez uma menina chamada Marta. Na escola, era tratada por “Marta dos Videogames”. Ela era muito boa aluna, entregava os trabalhos no dia, fazia todos os tpc, mas o que ela não gostava era de se sentir sozinha, pois Marta achava que muitas pessoas ali não eram elas próprias, e Marta mostrava-se ela própria.

     Um dia, quando ela estava em casa a jogar videogames, pensou que já estava farta deste mundo e queria ir para outro.

     Não estava ninguém em casa, quando ouviu uma voz a chamar por ela que parecia vir da cozinha. Marta estava com medo, porque não sabia quem era, portanto, ela pegou no seu cão Lucky – um Labrador – e foi ver quem era. Não estava lá ninguém, mas depois ouviu o som de uma coisa a cair no quarto.

     Marta foi lá e estava um buraco negro! Ela decidiu tentar destruí-lo, mas não conseguiu e então o buraco sugou-a.

    Enquanto ela passava pelo buraco, pensava que ia ficar sem vida, pois estava no fundo do tempo; entretanto ela desmaiou.

     E Acordou para lá do Horizonte … Vontade de rir? Pensava que era um sonho, até que viu uma senhora com uma coroa de ouro, a dizer:

     – Bem-vinda às minhas terras! Como queres que te chame? – Perguntou a senhora.

     Marta respondeu:

     – Pode-me tratar por Marta!

      Disse a Senhora:

     – Nunca ouvi esse nome nas minhas terras. O meu nome é Shmolka, sou a rainha das terras de Encárnia.

     A Rainha Shmolca disse para Marta a acompanhar.

(Continua)

Mafalda C, 8A

Print Friendly

Aventuras de Vídeo

ines_piano-2

Imagem: Gentileza de  Inês Nokas You Tube

Comente a sua vivência no “Mergulha aqui  é Fish!

     Eu adorei, pois sou muito dedicada à arte. É uma das  atividades que mais gosto de fazer. Participei neste projeto fazendo uma entrevista com a Prof Paula Xavier. O meu Grupo criou onze peixes diferentes. O meu peixe era muito colorido, tal como os outros. Ganhámos um prémio a nível Nacional, Kit do Mar.

Qual a última vez em que fez algo de novo?

     Fiz muitos vídeos no meu canal de You tube desde a última entrevista.  Os últimos vídeos que fiz foram de tecnologia. Adoro comunicar com o meu público através do canal.

Gostaria de experimentar estudar com o seu público uma disciplina preferida?

     Adorava, sentia-me uma professora! Poderia, por exemplo, pegar em Ciências, de que eu gosto muito. 1º lia um parágrafo devagar, depois, mostrando a imagem, repetia por palavras próprias.

Qual é o seu objetivo para este último período?

    Ter boas notas, e haver mais pessoas a gostar do meu canal. Para enriquecer o meu canal, estou a pensar em fazer um vídeo de estudo, como a Khan Academy, só que de alunos para alunos e estou a pensar mostrar o meu desenho da pirata e ensinar a fazê-la.

Escolha três canais favoritos e explique em que é que os aprecia

Tazercraft, Authentic Games e Rezendeevil. Estes canais têm muita simpatia, fazem muito bem vídeos e comunicam com o público de uma forma cativante.  

Inês M, 6C

Print Friendly

O Obscuro Salão de Jogos

Cobra MkIII

Ik Neema via Compfight

     Numa noite normal, numa cidade normal, existia um salão de jogos normal.

      Nessa noite, que era uma sexta feira 13 de Novembro, um cão falante, um gato falante e uma Pop Star foram a esse salão de jogos.

     O senhor da loja, que tinha setecentos anos, disse que era de graça. Logo, quando entraram, as portas fecharam-se sozinhas.

     Quando eles estavam a ir para os jogos, havia muitos esqueletos no chão. Mas eles não quiseram saber dos esqueletos, e, quando começaram a jogar, o velhote pressionou num botão que estava por baixo do balcão. Eles foram para dentro do vídeo jogos. O velhote disse que eles só saíriam dos vídeo jogos quando morressem.

    Mas eles pensaram: se conseguissem passar um jogo todo, conseguiam sair dali nos jogos.

     Mas entretanto,  o velhote era tão velho que morreu. Por isso,  entraram nos videojogos e saíram dali, livres, sem terem tido trabalho nenhum.

      As portas abriram-se e eles fugiram.

     Mas afinal, o velhote não tinha morrido, porque ele era invencível.

      Na sexta feira, 13 de Novembro, ele fazia vinganças: por isso, quem ler esta lenda irá ser teletransportado para esse salão de jogos e irá ficar lá para sempre.

Duarte S, 5C

Print Friendly

O Concerto da Boa Nova

banner_dama

Imagem: Agenda Cascais

      Na sexta-feira passada, fui a um concerto de solidariedade dos D.A.M.A. na Boa Nova. Imensos amigos meus disseram que iam, mas nunca imaginei que fosse tanta gente.

     Quando cheguei lá com a minha irmã e as amigas, ficamos chocados com tantas pessoas que foram: dos 4 aos 7; dos 8 aos 15; dos 16 aos 40: todas as idades!

     Também achei muito engraçado que as mães eram todas amigas e depois iam com os filhos que também eram todos amigos, por isso iam todos juntos ao concerto.

     Quando cheguei ao pátio, estava cheio de pessoas a cantar e a dançar. Foi tão divertido!

     Mais tarde, fui ter com os meus amigos e os meus melhores amigos: Carlota M, Matilde D; Teresa S, Titi M e Diogo L. Estivemos a saltar, a dançar, a berrar, e a cantar. Apesar de ter sido um concerto pequeno, foi giríssimo!

     Eles conseguiram reunir pessoas dos 4 aos 40 ou mais: todos a cantar e a saltar. Foi mesmo giro!

Carlota C 6C

Print Friendly

Sofia VG: o Encanto da Patinagem

Spectacle patinage artistique sur roulette (49)

Orick Kimy via Compfight

OE – O que a atraiu na Patinagem?

Sofia VG – Já tinha andado na dança, no hip-hop… o meu Pai falou-me nesta modalidade e quis experimentar.

OE – Onde pratica?

Sofia VG – No Grupo Desportivo Recreativo Familiar de Murches.

OE – Qual o ritmo dos seus treinos?

Sofia VG – Treino 3 vezes por semana, entre 45 minutos  a uma hora.

OE – Há quanto tempo pratica este desporto artístico?

Sofia VG – Desde Setembro de 2015.

OE – Como decorre um treino normal?

Sofia VG – Primeiro damos quatro voltas ao rinque para aquecer; duas a patinar para a frente e duas a patinar para trás. Segundo, treinamos os testes e os saltos.

OE – Em que consistem os Testes?

Sofia VG – São testes que temos de fazer para subir de nível. Já fiz quatro e passei em todos, mas ainda não vou a Campeonatos.

OE – Que salto considera mais difícil?

Sofia VG – O salto mais difícil é o do Loop: temos de dar uma volta no ar; primeiro vamos a andar para trás, depois salta-se tentando girar e cair sobre o patim direito com um joelho fletido.

OE – Que música a inspira mais?

Sofia VG – Nas aulas só treino saltos para os testes, não ouvimos música. A Treinadora está a observar-nos, diz-me o que estou a fazer mal e depois mostra-me, ela própria, como devo fazer.

OE – Quais os seus objetivos nesta modalidade artística?

Sofia VG – Para já, continuar a aperfeiçoar a dança e os saltos com enorme prazer.

OE – A sua Oficina de Escrita deseja-lhe as maiores felicidades na sua aventura de Patinagem.

 

(Ditado) Sofia VG, 7A

Print Friendly

Rhythmic Gymnastics, My Passion

madalena_ginastica_velado

Imagem: Oferecida à Oficina

     Hello,

     My name is Madalena. I love rhythmic gym. I practice for a year and two months.

    My teacher is Carla Roque and we are about fifty girls between five and sixteen years old. We are a great team!

     We practice twice a week for about an hour in our school gymnasium.

     My favourite exercises are when we dance or when we make steps on pairs.

    We may dance with a hoop,(o arco) a ball, a pair of clubs (duas maças) or a  ribbon (uma fita). We throw them in the air while we make leaps (saltos), turns (voltas) or acrobatic manoeuvres.

    Rhythmic Gym is a mix of Ballet and Sport: it is very elegant and dangerous at the same time.

(Trabalho para o “Speaking” de Inglês)

Madalena C, 6A

Print Friendly

Uma Peça de Teatro

macaco_mini

Imagem: Teatro Turim

     Estas férias, no meu ATL, ainda apresentamos um Teatro em que fui eu quem teve a ideia: o nome da história era “O Macaco de Rabo Cortado”.

Eu fiz de Professora, fizemos uma música, eu adorei!

     Quem quiser saber a canção, aqui está a letra:

Eu queria ser um Macacão,

mas não Consigo

Do rabo fiz uma navalha

Da Navalha fiz sardinha,

Da sardinha fiz pão,

Do pão fiz farinha

Da farinha fiz um livro

Do livro fiz guitarra,

Da guitarra fiz confusão

E da confusão fiz-me trapalhão

Por isso estou a cantar esta canção.

Eu queria ser macacão, eu consigo ( 4 x no fim).

     A canção tem a ver com a história, porque o macaco cortou o rabo, pediu ao barbeiro para lhe dar a sua navalha; depois foi à peixaria e pediu uma sardinha em troca da navalha. Foi ao moinho e trocou uma sardinha por pão e farinha. Foi à escola e trocou o pão e a farinha por um livro. De seguida, trocou o livro por uma guitarra.

   Este é um resumo do meu teatro. Espero que tenham gostado das vossas férias como eu gostei das minhas.

Madalena C, 6C

Print Friendly

Os Pequenos Visitantes da Oficina

    paz-nas-montanhas_katia

Imagem de Hakai oferecida à Oficina por Kátia da biblioteca do CAD

     Os alunos do 2º Ano que assim o desejam, participam em inúmeras atividades criativas na Biblioteca do CAD, às Quintas feiras ao fim da manhã, sob a responsabilidade de Kátia Souza. Como passam diante da Oficina durante o nosso intervalo de 30 minutos, acabaram por se tornar visitantes habituais, que vêm enriquecer este espaço dedicado à escrita com o seu inesgotável entusiasmo pelo que aprendem na Biblioteca e pela sua singular ternura. 

     Hoje temos connosco três convidados do 2º ano que trouxeram, para  pintar, uma peça de barro, estiveram a criar colagens em mini envelopes, a folhear livros de Arte para crianças e a conversar. São eles Tomás, Vitória e Madalena.

     Projetos da Madalena:

     – Vou estar em Porto Rico com a  minha Mãe nos  meus anos e vai ser uma grande aventura! Estou a pedir esta viagem à minha mãe há anos.

     Projetos doTomás:

     – Gostava de ser um artista, gostava de ser cantor, tipo Ariana Grande. Gosto de imitar projetos de outros pintores. Alguns dos meus pintores favoritos: Vicent Van Gogh. Roy Lichenstein e Monet. Gostava de pintar agora “O Quarto” de Van Gogh.

     MadalenaÉ que, nas Artes, com a professora Clara, estamos a fazer desenhos de pintores.

     Projetos da Vitória:

     – Quando for mais velha, gostava de ser veterinária. O que me atrai é tocar nos  pelos dos animais que são fofinhos. Gosto muito de pinguins.

     Estou a imitar um quadro de René Magritte: mostra  uma pessoa que passa por um sítio e vai para outro. Acho que o quadro tem várias cores e vê-se o campo!

OE – Obrigada pela vossa presença e felicidades na descoberta dos grandes Pintores!

Print Friendly

Entrevista a uma Jovem Youtuber

ines-nokas-Under the big top - piano YouTube

Imagem: Inês Nokas – You Tube

     Temos hoje connosco, na Oficina, Inês M, que vem partilhar a sua experiência de youtuber, em segurança, na Net.

OE – Como se tornou uma Youtuber?

Inês M – Desde o mês passado (Fevereiro).

OE – Como teve esta ideia? 

Inês M – Vi muitos vídeos e percebi que eu também podia ser uma Youtuber. 

OE – Toma os cuidados necessários para estar com segurança on line?

 Inês M – Sim, não mostro o rosto, não dou informações pessoais e tenho licença dos meus Pais. 

OE – O que gosta de partilhar com a sua audiência global?

 Inês M – Gosto de mostrar o que gosto de fazer, porque me divirto a fazer os vídeos.

OE – Quais são os assuntos que já partilhou ao longo do primeiro mês? 

  Inês M – Partilhei como jogar Piano Tiles 2 e depois fiz quatro vídeos a jogar; mostrei os meus livros em dois vídeos; dei dicas de bons canais para as pessoas se inscreverem; mostrei como jogar Robbery Bob 1; mostrei as minhas malas,e as minhas coleções de cartas; mostrei o meu Tablet (do meu Pai) e os jogos de Tablet; ensinei alguns cuidados a ter com coelhos de estimação; fiz dois vídeos com músicas que toquei no piano; outros dois com os meus desenhos de desenhos animados e ainda um com um truque de magia.

OE Quais os benefícios em jogar Piano Tiles? 

 Inês M – O Piano Tiles exige muita concentração, treinamos os reflexos. Nas músicas mais difíceis temos que treinar muito para alcançar o nosso objetivo, que é ganhar uma estrela. 

OE – Também encontra ajudas nos canais que subscreve?  

Inês M – Há um canal que me ensinou a fazer os meus desenhos do Diário Gráfico: Igor SaringerEu vou parando o vídeo para seguir os passos. 

OE – Muito obrigada por esta partilha. Voltaremos a encontrar-nos em Maio para nos contar sobre os seus progressos na arte de comunicar em Vídeo e sobre as suas novas produções. Muitas felicidades na Web.

Conversas na Oficina

Inês M, 6C

Print Friendly

Conversa com um Jovem Guitarrista

Stratocaster

David Ferreras via Compfight

Projetos Musicais para Fevereiro

    Vou tocar muitas vezes as minhas  guitarras, mas como invento solos, então não gosto que me ouçam.

    Há umas escalas e é suposto eu improvisar nessas escalas. Por exemplo, na escala de sol maior, começo no terceiro traste e na sexta corda; 1- 4- com o indicador e o mindinho; 1-3 com o indicador e o anelar; 1-3- igual; 1-3 – igual; 1 – 4 com dedo médio e o mindinho; 1-4 igual: é suposto improvisar, não fazer esta sequência sempre igual.

     Quando estou a inventar, não começo logo a tocar bem, tenho de ir fazer a composição e depois ainda treino; não sei o que vai sair; quando faço uma melodia de que gosto, consigo apanhá-la outra vez de ouvido. Criei uma chamada “Rock and Roll”.

Na escola de Música

     Primeiro toco a Valsa 2 na guitarra clássica, uma música nova chamada “little star”. Depois, passo para a guitarra eléctrica, depois tocamos o “get back” dos Beatles e o “Smoke on the Water” dos Deep Purple. Introduzimos efeitos e o meu amplificador dá  já para os fazer, pois comprei um igual ao da minha escola.

Perspetivas para Março

     Depois do Carnaval, as novas e últimas músicas que aprendi foram Layla de Eric Clapton, na guitarra elétrica e a Valsa 3, na guitarra clássica.

    As que vou aprender nos próximo fim de semana são “Purple Haze” do Jimmy Hendrix  e mais um bocadinho do solo do Hotel California dos Eagles que é a música favorita do meu avô.

Diogo Tv, 8A

Print Friendly

O Início da Invasão – I

dr_gastao_you_tube

Imagem: Dr. Gastão – YouTube

     Tudo começou quando Sir Chaka, Mr Costi e Jacob estavam juntos a gravar um vídeo para o Youtube sobre experiências com cães.

     Dr. Gastão era o que levava o público a ver o vídeo pelas suas experiências malucas. Sir Chaka e  Mr. Costi, nas partes de espera pela ação, faziam “estupidezes”, por isso, as pessoas nunca paravam o vídeo, enquanto Jacob, em cada experiência, fazia, sem querer, os químicos explodirem.

     Assim, estavam a fazer sucesso, apesar de ser só um vídeo especial em conjunto:  You tube, Dr. Gastão –  17 inscritos;  1º Vídeo: 14 Likes. Sir Chaka e Mr. Costi – 186 inscritos;  1º vídeo: 3 likes e 1 dislike. Jacob – 9 inscritos; 1º vídeo: 9 likes. Esse vídeo teve muito sucesso para eles, tiveram 47 likes. Os inscritos de Jacob e do Dr. Gastão começaram a subir à maluca.

     O vídeo estpecial teve tanto sucesso que, passadas 21 semanas, ficaram com 77 likes. Por isso, decidiram fazer outro vídeo especial. As gravações ficaram ótimas e as edições ficaram excelentes.

     Postaram o vídeo e, quando enviaram, foram ouvir para o You Tube. Foi então que descobriram que o mundo estava a ser invadido por uns monstros com um barrete de Natal e com enfeites Natalícios!

     As pessoas começaram a ficar doidas. As tropas de Espanha e de Portugal estavam a cobrir Portugal. Para ser dominado pelos monstros, só faltava parte do Brasil, perto das praias viradas para o Oceano, Portugal e uma parte pequenina de Espanha.

     Começamos a ficar em pânico, porque nós, os youtubers, tínhamos ficado 6 horas a planear e a fazer o vídeo, por isso não tínhamos ainda sabido de nada. Tínhamos de começar a pesquisar sobre os invasores.

Vasco E, 8B

Print Friendly

Velocidade Furiosa

     fast and furious premiere Teymur Madjderey via Compfight

     O filme “Velocidade Furiosa” fala de sete homens que fazem corridas e assaltam sítios.

     A personagem principal chama-se Brian; é loiro, de olhos azuis e tem cerca de trinta anos. O autor chama-se Paul Walker. Na “Velocidade Furiosa 7” ele quase morre numa parte com um desastre de carro: o carro até explode, mas ele sobreviveu! Estava muito bem feito. O problema é que, a meio das filmagens, o autor Paul Walker morreu num desastre de carro e o seu irmão Cody Walker fez o resto do filme.

     Uma das personagens secundárias chama-se Dom; o nome do ator é Vin Diesel, é careca e muito musculado. E ainda há o Chin, que é um chinês de cabelo preto.

     Eu gostei do “Velocidade Furiosa 7” porque tem mais gráficos; saiu no cinema no dia seis de Maio de 2015.

Pedro G

Print Friendly

Um Dia de Caça

DB-f8v

Imagem – Duc de Berry

     Num belo dia, o rei foi caçar com a sua escolta; o rei vestia um longo manto bordado com cruzes a representar a fé cristã; ia montado num cavalo com sela de lã vermelha, tal como toda a sua vestimenta.

     O Rei saiu do palácio, passou a cidade e foi caminhando até à sua floresta. Mal saíram da cidade, viram campos de searas, onde os pardais comiam sementes alegremente. À beira dos campos, via-se um grande lago de cor azul cristalina, imensamente transparente, via-se até ao fim do lago, os peixes que passavam por aquelas águas. De repente, vê-se passar duas vacas, a puxar uma carroça de trigo feita de uma madeira preciosa, de cor meio roxa, meio dourada.

     O rei e sua escolta voltavam da caça montados nos seus belíssimos cavalos, acompanhados por uma matilha de cães. Os nobres vinham com águias nas mãos, treinadas para caçar pardais e perdizes. Atrás dos reis, ao fundo, dois camponeses, com os seus chapéus de palha.

Rafael N, 6D

Print Friendly

Conversas com um Jovem Músico

Enter Sandman atache via Compfight

Temos connosco, na Oficina, Diogo T, do 7A, um amante de Guitarra, que veio partilhar connosco projetos e práticas da sua paixão.

Eventos Musicais para Junho:

      Nos dias 20, 21 e 27 tenho concertos marcados.

     No  dia 20, no Lançamento do livro do meu Avô, João Tavares na livraria Desassossego. Sei que é um livro de História, pois o meu avô foi professor de História na Cidadela – a minha avó era professora de Geografia e foi Diretora quando se fundou a Escola.

     A 21, o concerto é no Museu da Música. No final, vamos sempre ver o museu que tem muitas guitarras, algumas partidas e velhas e outros instrumentos de música. Vou tocar uma música que é a preferida da minha avó, porque é muito calma, chama-se “Valsa”. Depois vou tocar outras que são muito fáceis, só têm notas para se memorizar, mas em termos de dedos são muito fáceis.

     O Concerto do dia 27 vai ser mesmo ao lado da casa da minha avó – uma casa azul e branca “Sociedade Musical Sportiva Alvidense” onde há música, dança e ginásticas. Vou tocar “Little me”, enquanto a Mell e mais duas amigas vão cantar.

Um Professor Singular…

     O meu professor chama-se Flávio; eu gosto muito dele, eu é que pedi para ele ser meu professor porque o Sanchez e a Ana Clara é que me disseram que ele era muito bom. Tem uma garrafa gigante dos Miniams que a Mãe lhe comprou em Los Angeles e que eu gostava de ter.

O Ritmo da Prática…

     Toco sempre aos sábados das 13h 45 às 14h, mas nas semanas ou meses em que há concertos, treino quase todos os dias, porque temos de treinar várias músicas. Neste mês vou ter duas aulas de 45 minutos por semana,  uma nestes sábados e outra às segundas, das 18h às 18h 45m.

As Aulas de Guitarra …

    Nas aulas, aprendo a reconhecer o ritmo das músicas, a identificar rapidamente as notas na pauta, a mudar o som dos acordes colocando bem os dedos. Agora estou a aprender os Acordes de Barra que são os mais difíceis, e que eu vou ter de tocar no “Little Me” e no “Don’t do Edd Sheeran. São difíceis, porque se não fizermos força com o dedo indicador, cobrindo as cordas todas, o som não sai bem ou não sai mesmo.

    Na guitarra elétrica é mais fácil, porque o cabo é mais pequeno; por isso vou tocar o “Little me” na guitarra elétrica. Pedi à minha mãe um amplificador novo em que se aperta num botãozinho e, quando se toca, a guitarra faz um som de Rock and Roll.

     Músicas Favoritas..

    Uma das músicas que gosto mais é uma muito gira, que se toca na guitarra elétrica, mas aprendi com um dos melhores tocadores de Gélé que eu vi, “One Hundred Reefs – Chicago Music and Change Air”; com ele aprendi também a tocar no modo Rock and Roll. Outra das favoritas é ACDC – “Back and Black” e também “Stay with Me”.

     Também já inventei muitas músicas, algumas eram bem giras.

     OE – Obrigada, Diogo, por esta partilha. Desejamos o melhor sucesso para os Concertos de Junho e um feliz verão 2015.

(Transcrição de um Improviso) Diogo T, 7A

Print Friendly

A Menina de Castigo

http://fora-da-estante.blogspot.pt/2011/10/menina-de-castigo.html

Imagem digitalizada do livro “Do Outro Lado do Quadro”

Lá  estava ela sentada na cadeira da sala de jantar.

Estava um bonito dia, o sol entrava pela janela… 

Tão bonito, o dia!

Aquele jardim parecia uma piscina de flores, com aquelas flores todas tão bonitas!

E ela, ela estava ali sentada, sempre a olhar pela porta, para ver se a mãe chegava.

A menina de castigo, farta de esperar.

Carolina B, 7B

Print Friendly

Uma Lição de Desenho e Pintura

WIP Portrait
Photo Credit: Ramón Gutiérrez via Compfight

     A Ana Clara, no seu blogue Viva publicou um artigo em que inicia uma nova modalidade de ensino à distância com uma lição de desenho e pintura sobre a Tartaruga da Disney. Na minha qualidade de aluna da Clara, tentei pôr em prática as suas instruções.

   Tive dificuldade em controlar e fazer deslizar a cor: lápis caran d’ ache sobre papel cavalinho; não tenho intuição sobre a colocação de sombras e leves contornos que criam volumes: limitei-me a tentar imitar os originais. 

     1ª Etapa: apenas a forma geral 

     2ª Etapa: definir onde termina a carapaça, barbatanas, o meio do rosto, para situar os olhos e a boca.

crush_2_etapa

     3ª Etapa: formato dos olhos e da boca.  Detalhar o rosto, com o formato dos olhos e da boca.

crush_etapa_3

    4ª Etapa: Apagar linhas auxiliares, desenhar o interior dos olhos contornando-os de novo.  

etapa_4_crush

     5ª Etapa: Detalhar manchas e carapaça.

Etapa_5_crush

6ª Etapa: Pintar ao de leve.

etapa_6_crush

     7ª Etapa: Pormenores da pintura; contornos e sombras que dão volume. 

etapa_6b_crush

     8ª Etapa: os retoques finais.

etapa_7_crush_mini

     Claro que, no fim, a pergunta é: como hei-de melhorar? Espero a apreciação da minha Mestra.

Print Friendly

Susan, um Destino

nighthawks_mafalda2

    Imagem Andrew Graham Dixon Archive

    Era uma vez uma menina chamada Susan: não tinha muito dinheiro e então teria de trabalhar num bar onde havia espetáculos. Estava numa noite de circo e apareceu um homem muito, muito mas mesmo muito rico, digamos que era mais do que bilionário, e disse:

     – Ó menina, dê-me um wiskhy!
     – Com certeza, chefe! – respondeu Susan, bem educada.
     Passado um bocado, o homem voltou com a mesma cara séria e pediu que o acompanhasse. Daí começaram a namorar e, mais tarde, casaram-se, mas porque não saiu ela do bar? Aí fica um pergunta sem resposta…

Imagem: Andrew Graham Dixon – Archive

Mafalda B 5B

Print Friendly

Ler e Ver

Imagem: The Chronicles of Narnia

     A Leitura é útil para aprender, para nos entreter. As profissões em que se escreve são as em que se ensina, em que se inventa.

     Nunca houve um livro que me entusiasmasse; pelo que me lembro, nunca apreciei muito a leitura; há um livro que eu gosto: Narnia. O meu pai ainda me lê algumas histórias ao adormecer; estamos todos no quarto das minhas irmãs.

     Mesmo  assim, em vez de ler, vejo histórias por um portal chamado televisão. As que aprecio mais são “Narnia” e “Dentuça e Papuça” – são desenhos animados antigos, que este ano já passaram: têm um cão e uma raposa que, primeiro, brincam imenso quando são bebés e depois, o cão, desde o Inverno até à Primavera, vai aprender a caçar longe do amigo. Quando volta, é um grande caçador; a raposa chega, mas o cão pára de brincar com ela.

     Eu diria a um colega que ler é muito importante, porque aprende-se a estudar; aprende-se a ler, sabe-se o que é que se passa dia a dia , ler é muito importante para o futuro.

     Eu, em HGP, primeiro leio e decoro muito bem o estudo. Depois, a minha mãe faz-me perguntas. Leio, fico a pensar na resposta, por vezes ouço ou vejo e outras vezes é só decorar, digo logo certo.

    Gosto muito de máquinas, na aula, apresentaria um artigo ou um livro sobre máquinas, como funcionam e como é que se inventam.

Miguel F 5C

Print Friendly