A Melhor Mãe do Mundo!

    
Birthday roses

Roberto Verzo via Compfight

     Mãe, a primeira impressão que tiveste, quando eu nasci e me viste pela primeira vez, foi o melhor sentimento que jamais viveste.

    Quando eu dei os meus primeiros passos, tu sentiste, Mãe, que irias começar a fazer várias coisas a partir dali. As minhas primeiras palavras foram “Avó” e “Avô”, mas depois esqueci-me e comecei a dizer “Papa” – comia muito naquela altura. Tinhas de me dar de comer de duas em duas horas!

     E mesmo agora, quando estou longe, tu sentes que te falta algo e eu também, mas sabes que estou bem. Quando te ligo e aconteceu alguma coisa mal, tu percebes logo, Mãe, pela minha voz. E mais ninguém, só a minha Avó.

     Mãe, quando partiste a cabeça, no nosso restaurante favorito, “A Chaminé“, eu consegui sentir a dor que tu sentiste. E abri rapidamente a mini toalha dodot, para pôr na tua cabeça. Deixaste a mala cheia de sangue e o telemóvel; a mala teve de ir para o lixo. O pai foi a correr, chamaram logo o Inem.  Eu senti a dor que tu sentiste.

     Tu sentes quando eu choro, mesmo quando estou longe. Mãe, quando não estás, sinto um vazio dentro de mim, mas ao mesmo tempo sinto-te presente à minha volta.

      A Mãe é o único ser que nunca se esquece durante a vida inteira! Obrigada por seres a melhor Mãe do mundo!

      Afonso S, 5C

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *